Resenha - Robert Plant (HSBC Arena, Rio de Janeiro, 18/10/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel von Borell
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Depois de 16 longos anos desde a sua apresentação no Brasil ao lado do ex-parceiro de Led Zeppelin, o também lendário Jimmy Page, a voz de uma das bandas mais importantes da história do rock, Robert Plant, voltou ao país para encantar seus antigos e novos fãs. E o primeiro show, de uma série de seis marcados no Brasil, aconteceu nessa quinta-feira (18) na HSBC Arena, localizada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

1865 acessosVlog Rock: o significado dos símbolos do Led Zeppelin5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1981

Fotos: Rodrigo Simas

Dessa vez acompanhado da The Sensational Space Shifters, Plant iniciou a apresentação em ponto, às 22h, sob uma introdução sonora que anunciava ao público que o espetáculo estava prestes a começar. Ao lado de Justin Adams (guitarra), Billy Fuller (baixo), Liam "Skin" Tyson (guitarra), os bebops de Camara, o baixista, Dave Smith (bateria) e John Baggott (teclado), o vocalista apresentou aos fãs alguns clássicos revisitados e outras canções, próprias ou covers, com uma sonoridade rica, que passava pelo blues, com influências africanas e orientais.

O show contou ainda com a participação do músico gambiano Juldeh Camara, que entrava e deixava o palco em diversos momentos, após contribuir para as diferentes experimentações no palco com o seu ritti e o kologo, espécie de violino e banjo africanos, e um similar de tamborim chamado bendir. Já os desavisados de plantão, que não sabiam se tratar de um projeto um tanto diferente de um potente show de rock, pareciam dispersar a atenção em relação ao ídolo, enquanto Plant meio que hipnotizava a plateia com aquela musicalidade e sons que poucos devem ter tido a oportunidade de escutar ao vivo até então.

As primeiras faixas do repertório da turnê brasileira foram “Fixing to Die”, “Tin Pan Valley” e “44”, do bluesman Howlin’ Wolf. E o público carioca, que compareceu em bom número, apreciava silenciosamente a performance daquela figura icônica que Plant representa no universo da música. Aos 64 anos, o cantor já não consegue atingir as mesmas notas de outrora, mas sua potência vocal e sua presença de palco ainda estão muito vivas lá em cima. A todo momento o vocalista pediu palmas para a plateia e era prontamente atendido em todas as suas solicitações. Antes de “Friends”, primeira música do Led Zeppelin executada na noite, Plant fez o primeiro contato verbal com os fãs, durante o show ele foi bem econômico nas palavras, e perguntou aos cariocas como eles estavam.

Plant ainda completou dizendo que esperava que eles estivessem bem porque ele estava ali para isso. E não tinha jeito. O público se empolgava de verdade somente quando rolava música do Led Zeppelin. Depois da já citada “Friends”, não foi diferente com “Black Dog” e “Bron-Y-Aur Stomp”, mesmo que as faixas tenham passado por uma grande, porém interessante, reformulação musical. Continuando a falar dos anos entre o final da década de 60 e o início de 70, os fãs foram ao delírio com “Ramble On”, presente no disco “Led Zeppelin II”, de 1969.

Em seguida a esse momento inacreditável, de acordo com palavras de muitos presentes, Plant direcionava sua noite experimental aos instantes finais. Vieram o cover de John Mayall & The Bluesbreakers, “I’m Your Witchdoctor”, e o medley de “Who Do You Love”/ “Whole Lotta Love“/ “Steal Away”/ “Bury My Body”, quando vocalista e banda deixaram o palco da HSBC Arena pouco antes de 23h30.

Mas Plant ainda tinha algumas surpresas para o público. “Going to California” marcou o momento de maior emoção na plateia e até o mais disperso fã (?) na pista, ou na arquibancada, deve ter se arrepiado com a interpretação do cantor. As duas últimas canções do set list também pertenciam ao repertório do Led Zeppelin, para a felicidade do público. A primeira foi “Gallows Pole”, do Led Zeppelin III (1970), e por último, para fechar com chave de ouro, “Rock and Roll”, presente no álbum Led Zeppelin IV (1971).

As vozes nesse momento realmente explodiram em toda a extensão da HSBC Arena. A pegada mais pesada da faixa destoou de toda a apresentação e só isso já pareceu suficiente para satisfazer quem ansiava por uma noite mais roqueira. Após cerca de 1h45 de show, no final das contas Robert Plant conseguiu agradar o seu exigente público, de uma maneira ou de outra, numa apresentação em que a plateia teve a impressão de ter sido bem mais curta do que realmente foi. E isso é um ótimo sinal de que valeu a pena.

Set list:

1- Fixing to Die (cover de Bukka White)
2- Tin Pan Valley
3- 44 (cover de Howlin' Wolf)
4- Friends (Led Zeppelin)
5- Spoonful (Howlin' Wolf)
6- Somebody Knocking
7- Black Dog (Led Zeppelin)
8- Bron-Y-Aur Stomp (Led Zeppelin)
9- The Enchanter
10- Another Tribe
11- Ramble On (Led Zeppelin)
12- I'm Your Witchdoctor (John Mayall & The Bluesbreakers)
13- Who Do You Love / Whole Lotta Love / Steal Away / Bury My Body (medley)

Bis:

14- Going to California (Led Zeppelin)
15- Gallow's Pole (Led Zeppelin)
16- Rock and Roll ( (Led Zeppelin)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Led ZeppelinLed Zeppelin
Robert Plant acha horríveis seus vocais no começo da carreira

1865 acessosVlog Rock: o significado dos símbolos do Led Zeppelin228 acessosEm 24/02/1975: Led Zeppelin lança o álbum Physical Graffiti485 acessosRobert Plant: unboxing do novo álbum, "Carry Fire"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Led Zeppelin"

Top 500Top 500
As melhores músicas da história segundo a Rolling Stone

Stairway To HeavenStairway To Heaven
Site tenta reunir mais de 100 versões do clássico

Led ZeppelinLed Zeppelin
Page surtado com bateria de dois bumbos de Bonham

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"


Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1981

Black SabbathBlack Sabbath
Iommi fala sobre Dio, Randy Rhoads e Rob Halford

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
"O Rio de Janeiro é uma porra duma merda!"

5000 acessosSlipknot: Qual é o significado e a tradução do nome da banda?5000 acessosKing Diamond: Alguém já o viu sem a maquiagem?5000 acessosOzzy x Sharon: conheça a mulher que supostamente causou a separação5000 acessosThrash Metal: 10 melhores álbuns que não foram lançados pelo Big45000 acessosCDs: sua coleção pode valer uma fortuna e você nem sabe disso5000 acessosMetallica: agente da banda afirma que Youtube é o Diabo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 20 de outubro de 2012
Post de 24 de outubro de 2012


Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online