Matérias Mais Lidas

Guns N' Roses: a curiosa e humilde reação de Axl Rose ao ser eleito melhor vocalistaGuns N' Roses: a curiosa e humilde reação de Axl Rose ao ser eleito "melhor vocalista"

Legião Urbana: série da Globo sobre a banda é cancelada e motivo irrita músicosLegião Urbana: série da Globo sobre a banda é cancelada e motivo irrita músicos

Capital Inicial: a razão curiosa pela qual Dinho Ouro Preto ficou viciado em drogasCapital Inicial: a razão curiosa pela qual Dinho Ouro Preto ficou viciado em drogas

Iron Maiden: gravação impressiona ao mostrar o quanto Adrian Smith é preciso ao vivoIron Maiden: gravação impressiona ao mostrar o quanto Adrian Smith é preciso ao vivo

Keith Richards: por que ele odeia heavy metal e acha Metallica e Sabbath piadasKeith Richards: por que ele odeia heavy metal e acha Metallica e Sabbath "piadas"

Bruce Dickinson: em vídeo ele promete noite fabulosa em homenagem à Jon LordBruce Dickinson: em vídeo ele promete noite fabulosa em homenagem à Jon Lord

David Ellefson: Ficou claro que a parceria no Megadeth acabou, era a banda do MustaineDavid Ellefson: "Ficou claro que a parceria no Megadeth acabou, era a banda do Mustaine"

Mayhem: fique longe das redes sociais, aconselha NecrobutcherMayhem: "fique longe das redes sociais", aconselha Necrobutcher

Guns N' Roses: Por que estão regravando material antigo? Slash explicaGuns N' Roses: Por que estão regravando material antigo? Slash explica

Joey Jordison: amigo do fundador do Slipknot diz que manterá causa da morte em segredoJoey Jordison: amigo do fundador do Slipknot diz que manterá causa da morte em segredo

Nightwish: em momento nostálgico Floor Jansen relembra sua irmã mais velha no metalNightwish: em momento nostálgico Floor Jansen relembra sua "irmã mais velha no metal"

Kerrang: 14 músicas gravadas por bandas de rock e metal que são assustadorasKerrang: 14 músicas gravadas por bandas de rock e metal que são assustadoras

Epica: Simons conta porque a banda pisou no freio após The Holographic PrincipleEpica: Simons conta porque a banda pisou no freio após "The Holographic Principle"

Rock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvirRock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvir

Skank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de LeoniSkank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de Leoni


Tunecore 2

Titãs: histórico grupo paulista retornou a Porto Alegre

Resenha - Titãs (Pepsi on Stage, Porto Alegre, 06/06/2012)

Por Paulo Finatto Jr.
Em 10/06/12

O disco "Cabeça Dinossauro" (1986) pode ser rotulado de duas maneiras: como a obra mais importante dos TITÃS em trinta anos de carreira ou como o álbum mais transgressor do pop/rock brasileiro. Com o intuito de prestar uma homenagem ao trabalho, o histórico grupo paulista retornou a capital gaúcha na última quarta-feira para um show mais do que especial. O repertório de "Cabeça Dinossauro" (1986) foi executado na íntegra e a banda ainda retirou da cartola músicas que há anos não eram mais executadas ao vivo. O público que compareceu ao Pepsi on Stage gostou do que viu, mesmo que com ressalvas.

Fotos: Liny Rocks

Embora com um line-up que pouco lembra a superbanda dos anos oitenta, Paulo Miklos (vocal e guitarra), Tony Bellotto (guitarra), Branco Mello (vocal e baixo), Sérgio Britto (vocal e teclado) e Mário Fabre (bateria) mostraram ao vivo que os TITÃS ainda podem ser considerados o ícone do rock nacional, mesmo que o show comemorativo tenha sido um pouco burocrático e sem a mesma energia do passado. O lamentável atraso de quase uma hora – que ocasionou até vaias entre os presentes – pode ter sido determinante para o resultado morno atingido na abertura com o espetáculo, com a faixa-título "Cabeça Dinossauro". O som do Pepsi on Stage estava excepcional e o grupo conseguiu reverter o quadro a seu favor já na sequência, com "AA UU" e com a performance um pouco mais animada de Sérgio Britto como frontman. Por mais que "Cabeça Dinossauro" (1986) seja um disco imprescindível para a história do rock brasileiro, as músicas menos conhecidas da obra, como "Igreja", passaram despercebidas em meio a tantos outros clássicos que tocaram – e ainda tocam – exaustivamente nas rádios de todo o país.

O aspecto mais burocrático e monótono da noite era alterado sempre que Paulo Miklos assumia o posto de vocalista dos TITÃS. Com uma performance bem mais vibrante se comparada com a de Branco Mello ou a de Sérgio Britto, o guitarrista incendiava a plateia com as músicas mais agressivas do disco homenageado. O resultado com "Polícia" foi excelente. A curtíssima punk/metálica "A Face do Destruidor" sucedeu "Estado Violência", outra faixa também menos conhecida do repertório, mas que conquistou um bom retorno dos gaúchos. Com a volta de Sérgio Britto ao posto de vocalista, os TITÃS emendaram "Porrada" e "Tô Cansado", que deixou ainda mais claro que o público conhecia apenas os principais sucessos de "Cabeça Dinossauro" (1986). A prova definitiva veio com as conhecidas "Bichos Escrotos" e "Família", que incendiaram novamente o Pepsi on Stage, praticamente lotado por fãs e curiosos. A clássica "Homem Primata" manteve o mesmo pique.

Na reta final da primeira parte do show, justamente a que homenageava o álbum "Cabeça Dinossauro" (1986), os TITÃS executaram "Dívida", que pouco obteve destaque, e "O Que", que voltou a animar a plateia. De volta para a segunda parte do espetáculo, Paulo Miklos & Cia. fugiram do óbvio e trouxeram para a capital gaúcha músicas que há muito tempo não apareciam nos set-lists do conjunto. A primeira delas foi "A Verdadeira Mary Poppins", retirada do álbum "Titanomaquia" (1993), que conquistou pouco sucesso no início dos anos noventa. Do recente "Sacos Plásticos" (2009), os TITÃS tocaram apenas "Amor por Dinheiro", justamente a faixa que antecedeu outra do esquecido "Titanomaquia" (1993): "Nem Sempre se Pode ser Deus". O que se percebia era o contentamento apenas de uma pequena parte da plateia, pois a maioria esperava mesmo os atuais sucessos do grupo paulista, como "Epitáfio" e "Enquanto Houver Sol", que infelizmente ficaram de fora do repertório. Entretanto, "Aluga-se", cover de RAUL SEIXAS presente no álbum "As Dez Mais" (1999), e "Diversão" serviram de trampolim para que o público se animasse novamente.

A primeira pausa para um momento de interatividade entre os TITÃS e o público foi antes de "Vossa Excelência", música que foi dedicada aos ex-presidentes Fernando Collor e Lula, envolvidos em escândalos políticos. As letras ácidas da banda, que marcaram a história da música brasileira justamente a partir do álbum "Cabeça Dinossauro" (1986), reapareceram em outra música praticamente esquecida pelo grupo: "Televisão", cantada com pouco brilho por Branco Mello. Na sequência, "O Pulso" – música de maior impacto comercial – agitou a noite fria, em que os termômetros marcavam menos de 5º C na rua. A faixa nova da banda, que tem sido a principal novidade nos últimos shows, intitulada "Fala Renata", também apareceu. Porém, a música pouco impressionou o público, que se mostrou mais aberto às velharias do que ao momento atual dos TITÃS. As faixas "Será que é Isso que Eu Necessito?" e "Lugar Nenhum" foram executadas na sequência, para a surpresa de muitos. O show foi encerrado de maneira um pouco diferente do habitual.

Na volta para o bis, os TITÃS trouxeram o que o público mais esperava para ver e ouvir ao vivo: "Flores", cantada novamente de maneira pouco talentosa por Branco Mello. Porém, a plateia pouco se importava com a performance do baixista e atendia aos pedidos para pular e acompanhar junto. O derradeiro fim foi decretado com a dobradinha "Sonífera Ilha" e "Marvin". Com cerca de 1h30 de show, os TITÃS mostraram que possuem um repertório invejável, que pode dosar sucessos radiofônicos com faixas mais obscuras e de valor incalculável. No entanto, o que pareceu é que o grupo perdeu um pouco do comprometimento e da vontade de tocar ao vivo. O espetáculo não foi ruim, mas pecou pela monotonia como a maioria das faixas foi despejada. Os verdadeiros fãs do quarteto paulista até podem ter deixado o Pepsi on Stage um pouco insatisfeitos com a performance da banda, mas é impossível reclamar do que contornou a homenagem ao excelente "Cabeça Dinossauro" (1986). O álbum executado na íntegra é o que vai ficar na memória da maioria.

Set-list:

01. Cabeça Dinossauro
02. AA UU
03. Igreja
04. Polícia
05. Estado Violência
06. A Face do Destruidor
07. Porrada
08. Tô Cansado
09. Bichos Escrotos
10. Família
11. Homem Primata
12. Dívidas
13. O Que
14. A Verdadeira Mary Poppins
15. Amor por Dinheiro
16. Nem Sempre se Pode ser Deus
17. Aluga-se
18. Diversão
19. Vossa Excelência
20. Televisão
21. A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana
22. O Pulso
23. Fala Renata
24. Será que é Isso que Eu Necessito?
25. Lugar Nenhum
26. Flores
27. Sonífera Ilha
28. Marvin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

7 de setembro: nomes do rock e do metal nacional se posicionam contra as manifestações7 de setembro: nomes do rock e do metal nacional se posicionam contra as manifestações

Spotify: as 10 bandas brasileiras de rock mais ouvidas na plataforma de streamingSpotify: as 10 bandas brasileiras de rock mais ouvidas na plataforma de streaming

Dia do Rock: canal Bis terá programação com Queen no Rock in Rio 1985, Metallica e maisDia do Rock: canal Bis terá programação com Queen no Rock in Rio 1985, Metallica e mais

Fora Bolsonaro: músicos se manifestam no final de semana dos protestosFora Bolsonaro: músicos se manifestam no final de semana dos protestos

Titãs: banda usa as redes sociais para se posicionar contra BolsonaroTitãs: banda usa as redes sociais para se posicionar contra Bolsonaro


Titãs: As incríveis coincidências nas capas de álbuns da bandaTitãs: As incríveis coincidências nas capas de álbuns da banda

Pra discutir: os 100 melhores discos do rock brasileiroPra discutir: os 100 melhores discos do rock brasileiro

Titãs: plágio, idéias muito parecidas ou fortíssimas influências?Titãs: plágio, idéias muito parecidas ou fortíssimas influências?


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre

Mais matérias de Paulo Finatto Jr..