Metal Hard Nite: evento imperdível na noite de Porto Alegre

Resenha - Metal Hard Nite (Cord Rock Club, Porto Alegre, 16/09/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

De casa nova desde o mês de maio, a Metal Hard Nite comprovou a sua importância para o público gaúcho na última sexta-feira. O evento, que é um dos poucos – e provavelmente até mesmo o único – destinados ao povo que aprecia o som pesado, mesclou novamente bandas ao vivo e DJ’s especializados em rock e metal. Os dois ambientes do Cord Rock Club abrigaram um ótimo número de frequentadores assíduos da festa e curiosos que puderam desfrutar mais uma vez do open bar com bebida liberada até o fim da noite.

5000 acessosDemonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaram, parte 15000 acessosKiss: a mais longa e reveladora entrevista de Eric Singer

Fotos: Sophia Velho (sophiavelho@gmail.com)

Com a abertura da casa programada para as 23h, já era possível ver uma pequena fila sendo formada em frente ao Cord Rock Club meia hora antes do previsto. A nova versão da Metal Hard Nite contou com três bandas que se revezaram no palco do stage floor e os com dois DJ’s fundadores da Gothik Night no dance floor. No entanto, não foi apenas o repertório musical da festa – com contornos evidentes de um próprio festival – que se destacou. Nos bares, a cerveja uruguaia Patrícia, acompanhada por whisky e por vodka, animou muitíssimo bem os presentes até às 5h. Os ingressos acessíveis, sobretudo para plateia feminina, e o famigerado dark room complementaram mais uma vez as particularidades e excentricidades desse evento que não possui como concorrente nenhum outro realizado na capital gaúcha.

O stage floor, que era comandado pelos DJ’s Ricardinho F. e Gilby Sweet, acomodou a banda LOVERS por volta das 0h15 para o primeiro show da noite. Em atividade desde julho de 2009, o recente grupo formado por Luciano Gillan (vocal), Igor Stelmach (guitarra), Ted Tedesco (baixo), André Bortoncheli (teclado) e Lucas Leão (bateria) trouxe para o palco do Cord Rock Club o melhor do hard rock dos anos oitenta. Embora o som não possa ser apontado como a principal virtude do local, os caras conseguiram se sobressair às limitações técnicas da casa. A abertura do pequeno espetáculo – de cerca de uma hora – impressionou muito os presentes: a banda executou versão matadora para “The Final Countdown” do EUROPE. Com todos os músicos em uma sintonia pouco vista até mesmo em grupos de expressão no cenário gaúcho, o cantor Luciano Gillan é quem comandou os melhores momentos do show. Na sequência, “18 and Life” (SKID ROW) e “Love Ain’t no Stranger” (WHITESNAKE) mantiveram o pique intenso no stage floor. A clássica “Dream On” (AEROSMITH) e o hino “Stairway to Heaven” (LED ZEPPELIN) foram os outros destaques do repertório.

No intervalo entre os shows, uma volta pelo Cord Rock Club foi capaz de comprovar o sucesso da última Metal Hard Nite programada para o mês de setembro. No dance floor, muitas pessoas, sobretudo o público feminino, se mexia freneticamente ao som de bandas como WITHIN TEMPTATION e RAMMSTEIN – a música “Te Quiero Puta!” dos alemães é sempre sucesso garantido na festa. Por outro lado, muitos outros se concentravam nas proximidades dos dois bares para conversar e beber, assim como na movimentada área externa da casa. Os espetáculos do stage floor tiveram sequência com a banba F.A.M.E. O grupo, que presta uma homenagem ao melhor que o rock/metal proporcionou na década de noventa, mostrou músicas do calibre de “From Out of Nowhere” (FAITH NO MORE) logo no início show. Zed Alves (vocal), Denis Black Stone (guitarra), René Mendes (baixo), Gabriel Nunes (bateria) e Vinícius Möller (teclado) deram sequência ao repertório com outras faixas de importância para o movimento industrial: “Du Hast” (RAMMSTEIN) e “The Beautiful People” (MARILYN MANSON). Com uma sonoridade bastante coesa e eclética, a banda encerrou a sua passagem de cerca de uma hora no palco do Cord com “Eu Quero Ver o Oco” (RAIMUNDOS), curiosamente a única música cantada em português na noite inteira.

Em seguida, a banda CROSSIFRE entrou em cena para um impressionante show de mais de duas horas. O grupo, que é um das mais consagrados do sul país e possui quase vinte anos de carreira, proporcionou uma noite recheada com os maiores sucessos do hard rock e do metal pesado. Embora poucos sejam dessa época, Tagore Chenier (vocal), Sérgio Coelho (guitarra), Sfinge Lima (baixo) e Manu Soares (bateria) foram por muitos anos a banda fixa do lendário Bar João, local de encontro do público headbanger porto-alegrense nas décadas de oitenta e noventa. No repertório dos caras, muitas músicas foram capazes de agitar a plateia, como a abertura interessantíssima proporcionada por “Smoke on the Water” (DEEP PURPLE) e as óbvias “The Number of the Beast” (IRON MAIDEN) e “Enter Sandman” (METALLICA).

Embora não tenha se apresentado para um público homogêneo durante todo o show – muitos transitavam entre o stage floor e o dance floor durante a performance das bandas ao vivo –, os gaúchos da CROSSFIRE foram impecáveis no modo como conduziram o repertório de versões cover, assim como os outros dois grupos escolhidos para se apresentarem nessa edição da Metal Hard Nite. Na primeira parte do show, “Back in Black” (AC/DC) movimentou a pista e foi cantada por boa parte dos presentes. Na segunda, “Love Ain’t no Stranger” (WHITESNAKE) e outra do AC/DC – “You Shook Me All Night Long” – evidenciaram as ótimas escolhas feitas pelo quarteto. No entanto, “No More Tears” (OZZY OSBOURNE) e principalmente a dobradinha “Tom Sawyer” e “XYZ” (RUSH) impressionaram pela destreza técnica de todos os integrantes da CROSSFIRE. Os quatro gaúchos deixaram o palco do stage floor por volta das 4h.

Para muitos, o fim da música ao vivo representou a hora de ir embora. Porém, o open bar, que ainda disponibilizava água e refrigerante para os que não queriam (ou não aguentavam) mais beber a cerveja uruguaia Patrícia e os destilados oferecidos, era capaz de animar o público remanescente do Cord Rock Club. Não há dúvidas de que a Metal Hard Nite desponta atualmente como o evento mais tradicional do calendário heavy metal da capital gaúcha. Os que não compareceram podem ainda prestigiar o evento, que deve se repetir no mês que vem. Imperdível.

Sites:
Metal Hard Nite
http://www.abstratti.com
Lovers
http://www.myspace.com/bandalovers

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Crossfire"

Demonstrações de afetoDemonstrações de afeto
Fotos de rockstars que já se beijaram

KissKiss
A mais longa e reveladora entrevista de Eric Singer

Não é JesusNão é Jesus
Imagem de David Gilmour aparece no pescoço de Fernanda Souza

5000 acessosGuns N' Roses: Axl Rose conversa com fãs e abre o jogo!5000 acessosBeavis e Butthead: como eles seriam se fossem reais?5000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosIn Flames: "É fácil julgar um trabalho só pela capa"5000 acessosP.O.D.: banda esclarece posição de Katy Perry no grupo5000 acessosAndy Johns: "Nem imaginávamos que o Rock duraria tanto"

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online