Europe: muito mais que banda de uma música só

Resenha - Europe (HSBC Brasil, São Paulo, 05/11/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Mansur Figliolini
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Já vimos bandas, ou artistas solo, alcançarem o sucesso com uma música e depois desaparecerem. Os chamados “One Hit Wonders” (termo em Inglês que descreve essa característica). Mas, sabiamente, o EUROPE não entra neste grupo. Na Suécia, sua terra natal, com toda certeza não. E isso foi confirmado na noite de 05 de Novembro de 2010, no HSBC Brasil. Foi a primeira vez em que eles vieram ao Brasil, para um show único, como parte da turnê de seu novo álbum “Last Look At Eden”, lançado no ano passado.

1986 acessosEurope: Ingressos para o show com 50% de desconto no Peixe Urbano5000 acessosAnos 50: grandes vocalistas da história do Rock

Mesmo sendo esta sua estréia em palcos brasileiros, o EUROPE se deparou com milhares de fãs na pista e mesas, aguardando ansiosamente a execução de suas músicas novas e dos primeiros discos. Joey Tempest, vocalista da banda, logo de cara mandou algumas palavras em Português para o público, como “Obrigado”, “Do c..., galera”, “Cantem comigo” e “Saúde”. John Norum e John Levén, guitarrista e baixista, respectivamente, também chamavam o público, indo à beira do palco e atraindo gritos, palmas e pulos dos fãs.

O show começou por volta de 22:15, num momento em que o público já tomava a pista do HSBC Brasil, e pedia ansiosamente o início do show. As luzes se apagavam lentamente, enquanto “Prelude” ecoava das caixas de som, dando ao público exatamente o que ele queria! Um a um, os integrantes da banda subiam ao palco, preparando-se para a execução de “Last Look At Eden”, single do novo disco, que os apresentou, banda e público, oficialmente.

Na sequência, “The Beast”, também do novo disco, e “Rock The Night” do clássico álbum “The Final Countdown”, cantadas em coro pelos fãs e reforçando o fato de o Europe não ser uma banda de apenas uma música.

Outro momento em que isso ficou bem claro foi a execução de “Carrie”. Praticamente todos os fãs a cantavam junto a Tempest, alguns com isqueiros, outros com celulares. E ainda houve um trecho em que os fãs cantaram em solo, com a banda os acompanhando. Não havia como não se contagiar por aquele clima, mesmo que não se soubesse a letra com exatidão, um simples improviso seria o suficiente. Foi um contágio geral e único!

Joey Tempest contou ao público como e quando eles escreveram “New Love in Town”, e qual foi a principal inspiração, antes de executá-la. A canção também arrancou uma fervorosa salva de palmas. A música foi escrita tendo como base o nascimento do filho do vocalista.

Com “Scream of Anger”, “Love Is Not The Enemy” e “Cherokee”, o EUROPE manteve o público aceso e empolgado, o qual respondia ás músicas com uma reação fervorosa, e gritando o nome da banda em vários momentos.

A equipe de iluminação fez um grande trabalho durante todo o show, pincelando jogadas de luz em momentos chave das músicas, mirando seus refletores aos músicos com boa sensibilidade, deixando-os sempre à vista do público, e iluminando-o sempre que ele respondia aos chamados de Tempest.

A forma como o início do show foi montado foi preparando os fãs para o que viria, e, durante a apresentação, o trabalho não foi desvalorizado ou apenas estando presente para mostrar os músicos e nada mais. Alguns grupos mostram uma grande preocupação com o aspecto visual do show.

Ao final de “Supersticious”, a banda deixou o palco, e as luzes se apagaram. O público tinha a certeza de que não era o final definitivo do show. Por algumas razões claras: As luzes de serviço não se acenderam, os roadies não entraram no palco para desmontar tudo e “The Final Countdown” ainda não tinha sido tocada!

Seguindo o figurino e as milhares de vozes que ecoavam do HSBC Brasil, a banda retornou ao palco, e tocou “Ready Or Not” e “The Final Countdown”! Uma introdução de teclado, composta por Joey Tempest em meados de 1984, que posteriormente vendeu cerca de oito milhões de cópias no mercado internacional, levou o público ao máximo de sua euforia e entusiasmo, cantando cada verso junto com a banda e encerrando esta grande estréia.

A banda ainda jogou algumas baquetas e palhetas para a pista, deixando aos fãs umas boas lembranças desta noite, numa esperança de que eles venham mais vezes para o Brasil.

Setlist:
Prelude
Last Look at Eden
The Beast
Rock The Night
Scream of Anger
Let The Good Times Rock
Carrie
Guitar Solo
Seventh Sign
New Love in Town
More Than Meets The Eye
Wings of Tomorrow
Forever Travelling
Love Is Not The Enemy
Cherokee
Supersticious
Ready Or Not
The Final Countdown

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Europe (HSBC Brasil, São Paulo, 05/11/2010)

5000 acessosEurope: um show incrível, com um fechamento memorável

EuropeEurope
Ingressos para o show com 50% de desconto no Peixe Urbano

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Europe"

VírgulaVírgula
Hits dos 80s que a gente tinha vergonha, mas hoje canta com vontade

Canal CMRCanal CMR
Os piores covers de clássicos do Rock

LágrimasLágrimas
25 músicas para chorar

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Europe"

Anos 50Anos 50
Grandes vocalistas da história do Rock

Guns N RosesGuns N' Roses
O "Chinese Democracy" que você nunca viu

Zakk Wylde e Dave GrohlZakk Wylde e Dave Grohl
A treta por causa de canções para Ozzy

5000 acessosSlayer: maluco encara furacão na Flórida ao som da banda5000 acessosPesquisa: As partes do corpo mais citadas em cada estilo musical5000 acessosSebastian Bach: Afinal, por que ele não entrou no Priest?5000 acessosSoulfly: Dave Ellefson fala de seu período na banda de Max5000 acessosTabela Periódica do Rock: músicos que marcaram a história5000 acessosCourtney Love narra intimidades com Cobain

Sobre Rodrigo Mansur Figliolini

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online