RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


John Mayer: ao-vivo nos EUA em tour do novo álbum

Resenha - John Mayer (Toyota Center, Houston, 06/03/2010)

Por Franz Kellermann
Postado em 29 de abril de 2010

Em turnê de divulgação de seu ultimo disco de estúdio, o Pop-Conceitual (sim, um álbum conceitual) "Battle Studies", John Mayer apresentou-se em Houston, no Texas, tocando seus novos e antigos sucessos, além das costumeiras "covers".

Vale a pena começar por um detalhe que acontece em todos os concertos nos Estados Unidos: a organização. Nos arredores do Toyota Center a ultima coisa que se imagina (para nós brasileiros) é que vai acontecer um concerto com ingressos esgotados de um grande nome da música atual. Nada de imprensa, "banners", filas e nem congestionamento; e isto acontece em todos os concertos nos E.U.A. incluindo concertos de nomes como Metallica, Van Halen e Foo Fighters. O sistema de ingressos dispensa a impressão antecipada e o envio do ticket pelo correio, e conseqüentemente o extravio e roubo. Basta comprar pela Internet ou na bilheteria do local que o seu cartão de crédito ficará gravado para ser usado na entrada do evento, momento que o ingresso é impresso. Dentro do ginásio os banheiros são limpos, cadeiras estofadas e numeradas, restaurantes e lanchonetes espalhadas e a única fila encontrada era a do "merchandise" que, diga-se de passagem, era muito brega.

John Mayer - Mais Novidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Indo ao que importa, o show de abertura ficou na responsabilidade do veterano Micheal Franti e sua banda Michael Franti & Spearhead. Com uma mistura de Hip-Hop, Rock & Reggae bem energética, bem executada e com muita presença de palco a banda de San Diego simplesmente fez com que os lugares vazios das pessoas que estavam "fazendo um lanchinho" rapidamente fossem preenchidos para conferir o que estava acontecendo. A banda levantou o publico e aproveitou bem o seu espaço. Michel Franti correu o ginásio todo cantando entre o publico e depois chamou as crianças presentes (que eram muitas) para cantar a animada música "Say Hey (I Love You)" com ele no palco. São poucos os shows de abertura com uma qualidade e interatividade com o publico como este teve. O Sr. Franti entregou uma responsabilidade muito grande para o astro da noite, o que me fez lembrar o que o Frejat aprontou com o Eric Clapton no Brasil em 2001.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Após o show de abertura o palco foi fechado com um véu que deixava transparecer o palco e toda a movimentação nele. Com algumas projeções sobre o véu, John Mayer e sua banda sobem ao palco e abrem o show com Heartbreak Warefare" do seu último álbum. Com a guitarra cheia de efeitos "à La U2" John Mayer já tinha botado o publico todo de pé, que assim permaneceu até o final.

A banda de apoio é sem dúvida uma das melhores banda de apoio já vista, pois além dos fiéis e excelentes David Ryan e Robbie McIntosh nas guitarras, conta também com o lendário Steve Jordan nas baquetas. John Mayer derramou elogios durante a noite inteira para a banda que nas suas palavras é a formação que mais curtiu sair em turnê.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

O palco contava com um imenso telão de LEDs, que variava as imagens entre animações, público e músicos, além de uma iluminação robótica que "flutuava" sobre o palco e trocava de configuração a todo instante. O som estava muito bem equalizado em todos os cantos do ginásio.

Logo de cara nota-se que as músicas do novo álbum soam extremamente incríveis ao vivo, com muito mais energia e soando menos "Pop". Todas elas tiveram solos adicionados e prolongados (assim como todas as músicas tocadas). Entre elas o destaque ficou para "Assassin". Para tocar esta música, que é umas das mais sombrias de Mayer, ele sai do palco e volta com uma guitarra Ernie Ball "Axis". Mayer é conhecido por tocar sempre com suas famosas "Stratos" e ES-335, além do que o timbre da "Axis" foge do estilo "Blues" de John sendo uma guitarra criada pelo Eddie Van Halen para dar conta de suas "acrobacias". Pois nesta música ele realmente fugiu do seu estilo e tocou de forma muito mais pesada e utilizando técnicas de "tapping-harmonics" e "two-hands", fazendo transparecer seu interesse recente pelo estilo "EVH" (note que um pedal "Phase 90 EVH" faz parte do seu "set-up" assim como existem diversos vídeos dele na Internet tocando "Panama" do Van Halen).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

As "covers" que contaram com "Crossroads" de Robert Johnson, "Free Falling" de Tom Petty, "Ain’t No Sunshine" de Bill Withers foram tocadas de forma fabulosa nas releituras que John Mayer faz destas músicas, porém foi convocando o público presente a serem os "inocentes do amanhã" que "Don’t Stop Believing" do Jouney se tornou um dos momentos mais emocionantes do show fazendo o público cantar junto a todo pulmão.

"Waiting On The World To Change" era presença mais do que certa e contou ainda com a participação especial de Michael Franti, que foi anunciado por Mayer como seu "new best friend".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

"Why Georgia" com seu estilo "Dave Mathews" com violao bem tocado e alegre fechou o show antes do biz mantendo o astral bem alegre do público.

O véu se fechou novamente (não dá pra chamar de cortina) e o "biz" começou com "Who Says". Durante toda a música o véu permaneceu fechado, parecendo no inicio que estava acontecendo um momento "Spinal Tap", porém sobre o véu estavam sendo projetados vídeos de John Mayer em momentos descontraídos com amigos e banda.

Para fechar o show nada como uma "chave de ouro" e Gravity foi com certeza a melhor performance da noite, sendo a mais "bluseira" com direito a um solo muito longo de guitarra com John Mayer colocando a guitarra no chão para tocá-la. A guitarra aliás era uma Stratocaster preta (aonde ainda tinha tinta) no melhor estilo "quanto mais surrada e velha melhor".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6

Por falar em guitarras, parecia um desfile de guitarras tamanho foi o numero de guitarras tocadas por Mayer, Ryan e McIntosh. Basicamente toda música foi tocada por uma guitarra diferente.

Realmente o que se vê é que John Mayer está conseguindo uma coisa que a muito tempo não se vê: popularizar boa música, principalmente Blues e botar a guitarra de novo no alto do pedestal. O publico era bem variado e é sabido que muitas das pessoas ali presentes não estavam atrás especificamente de um gênero musical ou de um grande guitarrista, mas sim pelos sucessos de Mayer, mas não resta duvida que todos ficaram de boca aberta com a habilidade nas seis cordas demonstrada por ele durante o show.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mayer é conhecido também por ser um dos "tagarelas" em shows, porém toda vez que discursou ele acertou na provocação e ganhou o carinho e a empolgação do público. Primeiramente e ele disse que iria tornar o ingresso de todos naquela noite um espécie de remédio para os dias ruins; uma troca: "vocês pagaram o ingresso e eu vou dar o melhor Sábado da vida de vocês. Quando tudo estiver ruim olhem para este ingresso e se lembrem deste dia feliz". Depois ele marcou o "touch-down" quando mostrou o passaporte texano dele dizendo o quanto ele ama o Texas e que ele leva o passaporte com ele para todos os lugares que ele vai. Os texanos que são bairristas como os gaúchos (isto é um elogio, sou paulista mas moro no RS) se renderam completamente a ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Alex Juarez Muller | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Geraldo Fonseca | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |

O show foi perfeito? Não. Faltou "Slow Dancing in a Burning Room" com seu maravilhoso timbre de guitarra e solos. Porém o show não deixou de ser inesquecível e a promessa do "ingresso milagroso" foi cumprida, pelo menos para mim e minha esposa.

Set-List:
Heartbreak Warfare

Crossroads

Vultures

Something’s Missing

Perfectly Lonely

Assassin
Comfortable

Free Falling
(Tom Petty)
Waiting On The World To Change

Ain’t No Sunshine
 (Bill Withers)
Bigger Than My Body

Half of my Heart
Don’t Stop Believing (journey)
Why Georgia

Biz:
Who Says

Gravity

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - WHIP
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps




publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Alex Juarez Muller | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Geraldo Fonseca | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Franz Kellermann

Paulista, mas de coração gaúcho, é fã de Queen, Pink Floyd, Rush, U2, Van Halen e Metallica. Amante da fotografia e técnico em eletrônica, adora explorar novidades tecnológicas, principalmente se estiverem relacionadas ao mundo musical. Rock, guitarras, processadores de efeitos, amplificadores e grandes guitarristas são os assuntos que o deixam facilmente falando por dias sem parar. Considera-se a pessoa mais sortuda do universo por poder viajar ao redor do mundo e assistir, e se possível fotografar, grandes concertos.
Mais matérias de Franz Kellermann.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS