Carcass: uma exumação de alto nível em São Paulo

Resenha - Carcass (Santana Hall, São Paulo, 09/11/2008)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Santos Lessa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Dinheiro, mulheres e cocaína. Essas foram as razões para a volta do Carcass aos palcos, segundo o próprio Jeff Walker, baixista e vocalista da banda. Sorte dos brasileiros, que tivemos a chance de assistir a uma apresentação impecável e histórica dos criadores do 'splatter' e um dos mais importantes grupos do metal extremo - e, como não, do metal em geral em todos os tempos.

Humor: as 101 regras do New Metal/Nu-metalKerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Se aos ouvidos mais politicamente corretos a frase incomodou, a sentença de Jeff foi recebida com entusiasmo pelo público que lotou o Santana Hall, em São Paulo. Mas a empolgação maior foi mesmo com o desfile de clássicos apresentado pelo quarteto. O grupo fez uma verdadeira exumação e transitou por todos os discos de sua carreira, ainda que o repertório tenha se concentrado nos aclamados 'Necroticism - Descanting The Insalubrious' (1992) e 'Heartwork' (1994).

O cancelamento das bandas de abertura, a pedido do próprio Carcass, só serviu para aumentar a adrenalina da galera - que, a propósito, esgotou com avidez as camisas da tour, para total infelicidade do mané que vos escreve. Sem o tradicional 'esquenta' e com muita cerveja rolando, a multidão (falaram em duas mil pessoas, mas parecia haver mais gente) vibrou quando as luzes se apagaram e a introdução do álbum 'Necroticism' começou a rolar.

Então Bill Steer (guitarra e vocal), Michael Amott (guitarra), Daniel Erlandsson (bateria) e Jeff, já citado, subiram ao palco e iniciaram a cirurgia cerebral no público. 'Inpropagation' foi executada com perfeição, fato que iria se repetir até o fim da operação, ops, da apresentação.

O que se seguiu então foi um verdadeiro ressuscitamento de velhos clássicos do grupo, tudo diante de pacientes extasiados e exaltados. 'Buried Dreams' fez os batimentos cardíacos da turma vestida de preto acelerarem. Porém, a taquicardia aumentou ainda mais em músicas como a clássica 'Corporal Jigsore Quandary', 'Buried Dreams', 'Incarnate Solvent Abuse', 'No Love Lost' e 'This Mortal Coil'. Sem esquecer de 'Embodiment' e 'Carneous Cacoffiny', que provavelmente causaram lesões na espinha de muita gente.

Com o público ganho (teve até corinho de 'olê, olê, olê, olê, Carcass, Carcass'), os legistas não se fizeram de rogado e deram vida também a velhos clássicos como a maravilhosa 'Reek of Putrefaction' e a já em estado avançado de decomposição 'Genital Grinder', respectivamente do 'Symphonies of Sickness' (1989) e do 'Reek of Putrefaction' (1988).

Ah, sim, das antigas, o grupo também executou o início de 'Ruptured In Purulence' e a fabulosa 'Exhume To Consume', se não me falha a memória, já que perdi o papel em que anotava o set list. E como a concentração alcóolica não era das menores durante o show, fica complicado lembrar todas as músicas - ainda mais na ordem correta.

De 'Swansong', álbum de 1995 que representou o atestado de óbito da banda, o quarteto mandou 'Keep On Rotting In The Free World' - clara citação à 'Keep On Rocking In The Free World', do músico folk-rock canandense Neil Young. Enfim, depois de cerca de 1h30m (foi pouco, muito pouco) e um bis matador, incluindo 'Heartwork', o grupo se despediu mais vivo do que nunca. Ficou a esperança de que Jeff e Cia., ainda que não lancem disco algum (sinceramente, nem precisa), se reúnam esporadicamente para desenterrar esses clássicos do metal.

Obs 1: Vamos ver se esse negócio de internet, de troca de informações, funciona mesmo. Quem puder, por favor, me mande o set list do Carcass. Prometo (ou seria ameaço?) que faço uma resenha melhor do que a atual. Mensagens com o set list, ou qualquer correção, para [email protected]

Obs 2: Gravei parte do show em DV, mas a bateria da câmera acabou. Se alguém tiver o show, ainda que parcialmente, com qualidade razoável, e quiser trocar arquivos, favor entrar em contato pelo mesmo mail.

Obs 3: Se alguém tiver fotos do show e quiser mandar para ilustrar a matéria, agradeceria. As imagens que tenho são frames do vídeo que fiz.

Obs 4: Ninguém tem nada a escrever sobre o show em BH? Gostaria de saber como foi.


Outras resenhas de Carcass (Santana Hall, São Paulo, 09/11/2008)

Carcass: EM SP, mais que um show, uma noite memorávelCarcass
EM SP, mais que um show, uma noite memorável



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Carcass"


Carcass: frontman defende Babymetal das críticas dos puristasCarcass
Frontman defende Babymetal das críticas dos puristas

Melhores álbuns de 2013: as escolhas da Decibel MagazineMelhores álbuns de 2013
As escolhas da Decibel Magazine


Humor: as 101 regras do New Metal/Nu-metalHumor
As 101 regras do New Metal/Nu-metal

Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista


Sobre Daniel Santos Lessa

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin