Resenha - Australian Pink Floyd (Teatro Borboun Country, Porto Alegre, 02/10/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Lucas Steinmetz Moita
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.





Basta assistir a apenas uma performance da banda para saber porque os Floyd’s originais cederam permissão para execução de suas músicas. O próprio Pink Floyd faria melhor?

Inicialmente parabenizo a produção do evento pela organização que conseguiram manter no local. O teatro não estava lotado, mas foi o suficiente para tremer o solo.

A banda cover formada por Steve Mac (Guitarra), Jason Sawford (Teclado), Colin Wilson (Baixo/Voz), Damian A. Darlington (Guitarra/Voz), Paul Bonney (Bateria), começou a apresentação pontualmente às 21 horas. Contando com um breve intervalo de 20 minutos, o show durou exatamente 2h40! Cansativo? Parece que ficou um gosto de “Quero mais!”.

Logo no início a banda tocou clássicos do porte de The Dark Side Of The Moon, um jam “free style” de vocal à lá Black Music das backing vocals que foi de invejar muitas divas renomadas do meio artístico atual.

Apenas após a sexta música a banda cumprimentou o público para entrar no intervalo.

A semelhança de toda a banda com o Pink Floyd original era inacreditável. Brincadeiras no local afirmavam o uso de play back. Realmente impressionante.

Com variados solos de guitarra, marcante no rock progressivo, o show não obteve número abusivo de músicas mesmo em quase 3 horas, devido à longa duração das canções do Pink Floyd. Iluminação e efeitos especiais foram um show a parte. Um telão no fundo passando imagens um tanto quanto “alucinógenas” durante todo o tempo, e muita, muita luz.

Os dois pontos altos do show foram, como esperado, "Wish You Were Here" e "Another Brick In The Wall". Para o bis, voltaram para encerrar com "Confortably Numb" e "Run Like Hell".

Com promessa de voltar no próximo ano, os australianos deixaram o palco. Muito mais do que satisfeita, a platéia aguarda o próximo show daqueles que ficarão conhecidos como os “sucessores” do Pink Floyd, já que ser denominado de “banda cover” não era justo com a qualidade musical de The Australian Pink Floyd

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Australian Pink Floyd"

Black SabbathBlack Sabbath
Iommi fala sobre Dio, Randy Rhoads e Rob Halford

SarcófagoSarcófago
Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais

MetallicaMetallica
Banda está passando por dificuldades financeiras, dizem biógrafos

5000 acessosBonnie Rotten: Maior estrela pornô do mundo fala do amor ao Metal5000 acessosMetal: As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos5000 acessosMini Iron Maiden: tocando "Ghost Of The Navigator" na escola5000 acessosMetal: blog elege o melhor de 2014 em cinco belas canções5000 acessosAC/DC: vocalista denuncia crueldade de reality-shows1415 acessosIron Maiden: "Two Minutes to Midnight", a guerra sob a perspectiva do Fim

Sobre Lucas Steinmetz Moita

Formado em Jornalismo pela Unisinos, atua em duas áreas bastante bipolares: música pesada e teologia. Proprietário do site CristianismoHardcore.com.br, atuou durante 5 anos com o Programa MoitaRock, entrevistando diversos artistas nacionais e internacionais (como Andre Matos, Angra, Sebastian Bach e Blind Guardian). O Programa MoitaRock foi extinto, mas o trabalho com vídeo e entrevistas continua em HeavyTalk.com.br, ao qual também administra.

Mais informações sobre Lucas Steinmetz Moita

Mais matérias de Lucas Steinmetz Moita no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online