Resenha - Concertos Dana (UFRGS, Porto Alegre, 22/07/2006)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos






A Dana, uma empresa de componentes automotivos presente em todo o Brasil, realiza desde 1994 o seu projeto Dana Cultural: um programa relacionado à arte e cultura. Entre as atividades desse projeto (que vão desde o patrocínio de livros até a realização de exposições itinerantes) está o Concertos Dana, que é realizado em parceria com a Orquestra de Câmara da ULBRA. Em 2006, no sexto ano de apresentações musicais, foi organizado o espetáculo Clássicos do Rock, realizado primeiramente em abril. Tamanho foi o seu público e repercussão que o mesmo espetáculo se repetiu no fim de julho, novamente para um Salão de Atos da UFRGS completamente lotado.

Apresentação com a Oquestra de Câmara da ULBRA e convidados

Fotos por Fernanda Chemale (Divulgação)

Com um repertório selecionado pelo comunicador Cagê Lisboa (da rádio Pop Rock FM), e com arranjos de músicos de renome da cena gaúcha como Arthur de Faria e Iuri Corrêa, o evento tinha como maior atração, realmente, a presença da orquestra da ULBRA. Premiada com o Açorianos 2005 de Melhor Intérprete Instrumental, a orquestra de dezesseis músicos contou com muitos convidados especiais, entre eles os músicos Angelo Primon (guitarra e violão) e Marquinhos Fê (bateria) - além, é claro - dos cantores Chico Padilha, Nei Lisboa, Pedro Veríssimo e da cantora Adriana Deffenti.

Com uma iluminação muito boa para o tipo de show realizado e com um som impecável, uma das minhas maiores curiosidades seria ver ao vivo os ditos "clássicos do rock" em versões orquestrais. Bandas como Scorpions, Metallica e Kiss já experimentaram algo similar no passado, mas essa seria a primeira vez que teríamos a orquestra como o centro das atenções, e não uma banda internacionalmente famosa. Sob a regência de Tiago Flores, posso afirmar com convicção que toda a orquestra (e seus convidados) fizeram um dos melhores shows do ano. Sensacional desde a primeira música, um 'medley' de "Only You" e "Blue Suede Shoes", do Elvis Presley, passando para "Kashmir" (do Led Zeppelin), chegando até "Ruby Tuesday" (do Rolling Stones) e "For No One" (do Beatles), as primeiras duas músicas que contou com um vocalista. Nei Lisboa, muito conhecido no Rio Grande do Sul pela sua longa carreira de sucesso (mas não dentro do rock) foi o escolhido para essas músicas, e, obviamente, não decepcionou.

Seguindo a apresentação ainda tivemos uma espetacular versão para "Magnum Opus" do Kansas, apenas com a orquestra. Certamente a música menos conhecida do repertório e a que mais surpreendeu a todos, que ainda presenciaram a cantora Adriana Deffenti interpretando "Tente Outra Vez" (do Raul Seixas) e "Jardins da Babilônia" (de Rita Lee). Essa, uma cantora de MPB que recém lançou o seu primeiro CD, para mim foi disparada a melhor voz da noite. O espetáculo ainda seguiu com versões orquestrais para "Another Brick in the Wall" (do Pink Floyd), "Aqualung" (Jethro Tull) e "Nothing Else Matters" (do Metallica). Mas foi em "Tom Sawyer", do Rush, que tivemos outro destaque nessa noite: Chico Padilha interpretou a música com tamanha qualidade que poderíamos imaginar, fechando os olhos, que Geddy Lee estava lá, no palco.

Depois de uma ótima versão para "Sabbath Bloody Sabbath" (do Black Sabbath, e que me surpreendeu pelo seu formato agressivo somente com a orquestra), o show seguiu com um outro convidado: o cantor Pedro Verissimo, da banda gaúcha Tom Bloch, em "One" (do U2). Pedro, que é filho do escritor Luis Fernando Veríssimo, está prestes a ser conhecido muito mais pelo seu competente trabalho do que simplesmente como filho de um escritor famoso. E isso se pode comprovar ouvindo a sua banda, que já lançou um disco muito legal de rock. Para fechar de vez o espetáculo, "Smoke on the Water" foi apresentada, do Deep Purple, que assim como todas as outras músicas anteriores, ficou sensacional. E na volta dos músicos para o bis, novamente "Another Brick in the Wall" foi executada, só que dessa vez com Nei, Chico, Adriana e Pedro fazendo as vozes da mesma.

O Concertos Dana destinado ao "Clássicos do Rock" já é um sucesso, e isso comprovou-se em duas apresentações magníficas e com casa totalmente lotada. Agora resta esperar que ano que vem tenhamos uma segunda parte desse show, que seria realmente uma boa idéia. Isso porque, mesmo escolhendo quatorze músicas e quatorze bandas para representar o rock, muitos nomes (e músicas) também poderiam estar aqui presentes. É uma idéia de se pensar... Não é mesmo?!

Set-list:
01. Only You - Blue Suede Shoes
02. Kashmir
03. Ruby Tuesday
04. For No One
05. Magnum Opus
06. Tente Outra Vez
07. Another Brick in the Wall
08. Jardins da Babilônia
09. Tom Sawyer
10. Aqualung
11. Nothing Else Matters
12. Sabbath Bloody Sabbath
13. One
14. Smoke on the Water
15. Another Brick in the Wall



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de Shows

Ozzy Osbourne: o morcego era quente e crocanteOzzy Osbourne
"o morcego era quente e crocante"

Memoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandasMemoráveis como a música
Os 25 melhores logos de bandas


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.