Resenha - Thoten (Rio de Janeiro, 13/09/2002)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Tabera
Enviar correções  |  Ver Acessos

Cheguei ao ballroom por volta das 23h00 (hora marcada para o inicio do show) já antecipando um atraso para o início. A entrada foi tranquila já que não havia fila. Já conhecia o local e não acho que tenha uma infra-estrutura muito boa para esse tipo de evento já que tem muitos "ambientes", o que deixa o público meio disperso.

Vício: Phil Anselmo relata como é ser viciado em heroínaSteven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As 23h50m as cortinas se abrem e sobe ao palco a banda carioca "The Punishment". A banda contava com a participação de Bruno Sá da também carioca Allegro nos teclados, que dispensa comentários; na minha opinião é um grande tecladista.

Eles abrem o show com a música própria "Rise of the Weakened". O som no local não estava muito bom e a bateria estava muito alta, mas acredito que isso só tenha ajudado a banda, já que o baterista Bruno Marques foi um (senão o único) ponto alto do show. Não que os guitarristas Gabriel Marques e Augusto Leite, e o baixista Rafael Oliveira fossem ruins, mas um dos pontos baixos da banda foi a performace do vocalista Mauricio Carneiro. Mesmo assim o público foi receptivo ao show, já que a banda mandou dois covers: do Stratovarius, "Speed Of Light", que foi bem executada, novamente apenas com uma vacilada do vocal, e "Hallowed Be Thy Name" do Iron Maiden, que ao contrário do outro cover, foi mal executada e talvez a versão mais rápida da musica que eu tenha escutado.


Depois de um pequeno intervalo, às 01h05m, o Thoten sobe ao palco para o ultimo show da "Beyond World Tour". A banda, que conta com Itho Cruz (Baixo), Marcos Barzo (Bateria), Renato Tribuzy (Vocais), Frank Schieber (Guitarra), Sidney Sohn (Teclado) abriu o show com a música "Ashes In The Abyss", super ovacionada por ser uma das mais conhecidas e aclamadas do album "Beyond Of Tomorrow".

Depois do primeiro contato da banda com o público (aproximadamente 600 pessoas), e mais duas músicas próprias, a banda executa o primeiro cover: "Eletric Eye" do Judas Priest que já era esperado já que fez parte do Set List de toda tournê européia da banda. Apesar de alguns problemas com o volume do microfone o cover arrancou aplausos da galera presente.


Em músicas como "Above The Law" e "Smoke on the Water" do Deep Purple a participação das pessoas presentes no ballroom foi incrível. Novamente a bateria foi um dos pontos altos do show; Marcos Barzo realmente é um grande baterista. E ao contrário do show da banda de abertura, o ponto mais alto do Thoten sem dúvidas é a performace do vocalista Renato Tribuzy, tanto na parte de vocal como de frontman, já que os outros membros poderiam trabalhar um pouco nessa área. Isso pôde ser facilmente percebido quando a banda tocou a bonus track européia "Scream". O vocalista Tribuzy realmente se supera nessa música, com um vocal incrível, o que o coloca como um dos melhores vocalistas nacionais (senão mundiais) da atualidade.

É anunciado que a próxima será a ultima musica do show. Mais um cover do Judas, desta vez a clássica "Painkiller", que fez todo o público se empolgar, apesar de eu sentir a falta de uma segunda guitarra nas bases da música. A banda saiu do palco ainda aos gritos de "Thoten!! Thoten!!".

Quem assiste ao Thoten ao vivo percebe que a banda é muito superior ao que demonstra no CD, cuja produção poderia ter sido melhor realizada. Resumindo: por apenas R$15,00 o público pode ver uma das maiores bandas nacionais da atualidade! E se você tiver a oportunidade de ver o Thoten na próxima tournê, não perca!

Para maiores informações sobre o Thoten visite www.thoten.com
ou envie um e-mail para thoten@thoten.com.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Thoten"


Vício: Phil Anselmo relata como é ser viciado em heroínaVício
Phil Anselmo relata como é ser viciado em heroína

Steven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeasSteven Tyler
Primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas


Sobre Bruno Tabera

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336