Rock in Rio: festival voltará a ser mais rock 'n' roll em 2019?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Molina, Fonte: SINNERS ROCK BEER
Enviar correções  |  Ver Acessos

Sempre como alvo de críticas por se submeter às ondas musicais mercadológicas ou deixar de incluir nomes que sejam autenticamente do estilo, o festival Rock In Rio demonstra que, em 2019, tem a intenção de resgatar o prestígio, que conquistou em 1985 e 1991, ao escalar artistas que desenvolveram a música.

AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusWallpapers: Papéis de parede da banda Iron Maiden

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não que outras edições não tenham contado com ícones do rock 'n' roll, mas ao excluir o "Dia do Metal" do festival em 2017, a organização recebeu muitas críticas. E, além disto, o festival se diversificou tanto que diminuiu o espaço do rock, dando lugar para Axé Music, Hip Hop, MPB, POP Music, Eletrônico, Teen Music e outros.

O heavy metal, como um dos subgêneros mais cultuados do rock, de repente, perdeu todo seu espaço, sendo representado apenas por Guns N' Roses, Aerosmith e Def Leppard, que têm um distante parentesco com o estilo.

Já em 2019, parece que será diferente. As primeiras atrações confirmadas são essencialmente do heavy metal e têm história no festival. O Iron Maiden ficou conhecido na América do Sul quando se apresentou no Rock in Rio I, em 1985, na turnê do clássico álbum "Powerslave". Anos depois, participou do evento em 2013 para celebrar a turnê do álbum "Seventh Son Of Seventh Son", de 1989, que originou o histórico DVD, VHS na época, "Maiden England". E sem poder esquecer, em 2001, o Iron Maiden gravou CD e DVD ao vivo na Cidade do Rock com um público aproximado de 250 mil pessoas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Megadeth estreou no Rock in Rio II, de 1991, na divulgação do histórico álbum "Rust In Peace", que contava com a formação clássica: Dave Mustaine (voz e guitarra), Marty Friedman (guitarra), David Ellefson (baixo) e Nick Menza (bateria). Na época, Mustaine estava com "faca nos dentes" e "sangue nos olhos" ao sustentar ainda seu desafeto com o Metallica, por ter sido expulso da banda no início da década de 1980.

Em 2019, o Megadeth estará com o guitarrista brasileiro Kiko Loureiro (ex-Angra) que foi admitido há algum tempo e revitalizou o som da banda. Com ele, o Megadeth chegou a ganhar um Grammy pelo trabalho "Dystopia". Feito que tentava há anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Já os alemães do Scorpions também participaram do primeiro evento em 1985 no auge de carreira. Na época, lançavam o clássico LP "Love at First Sting", que tem inúmeros sucessos.

E para abrir o Palco Mundo, o RIR contará com o Sepultura, que sempre tem sua presença garantida no festival. A banda mineira fez sua estreia em 1991 no festival e, de lá para cá, ganhou os palcos do heavy metal mundial. História que é desnecessária repetir.

Além da definição do Line-Up do Palco Mundo do "Dia do Metal", conversas de bastidores sinalizam outras bandas de prestígio, como o Pearl Jam (maior nome grunge em atividade) e o Helloween (referência do power metal alemão que atualmente excursiona com membros originais). O Helloween poderá participar também do "Dia do Metal", no Palco Sunset.

Para representar o rock nacional, o RIR já confirmou o Paralamas do Sucesso, que surgiu na efervescência do rock brasileiro na primeira edição do festival, em 1985. História que todo mundo já sabe.

Em 2019, o Rock in Rio acontecerá no Parque Olímpico do Rio de Janeiro dos dias 27 a 29 de setembro. E do dia 03 a 06 de outubro, com o dia 04 de outubro sendo dedicado de maneira exclusiva ao heavy metal.

Após a confirmação destes nomes, o que resta aos admiradores de rock 'n' roll é torcer para o festival manter esta política de valorizar mais o estilo que dá nome a ele.

O público fiel sempre estará lá e vai esperar mais atrações roqueiras, pois o festival ainda vai escalar outros artistas. E é óbvio que uma Anitta ou outra sempre vai existir, como de fato sempre aconteceu. Mas isto é inevitável. O evento necessita de patrocinadores, parceiros e vender. O Rock in Rio não vive só da arte do rock 'n' roll. Infelizmente!

Mas de repente seria adequado deixar o carnaval, o axé, o forró, o funk e o samba para o mês de fevereiro.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Rock In Rio"


Rock in Rio: Iron Maiden pediu água vulcânica no camarim, mas sem exigências bizarrasRock in Rio
Iron Maiden pediu água vulcânica no camarim, mas sem exigências bizarras

Rock in Rio: Grohl, que chorou com cover do Weezer, relembra Nirvana no Hollywood RockRock in Rio
Grohl, que chorou com cover do Weezer, relembra Nirvana no Hollywood Rock


AC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de AngusAC/DC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Wallpapers: Papéis de parede da banda Iron MaidenWallpapers
Papéis de parede da banda Iron Maiden


Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280