Irmã abre o baú de Renato Russo em 2004

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Fonte: Folha Online
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 28/12/03. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

MARCELO RUBENS PAIVA
Articulista da Folha de S.Paulo

352 acessosRenato Russo: começam a ser vendidos ingressos para a exposição5000 acessosRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 90

A autorização da vasta obra de Renato Russo está nas mãos de três pessoas: do pai, Renato Manfredini, da mãe, Maria do Carmo Manfredini, e da irmã, Carmem Tereza Manfredini.

"Atualmente, analisamos os projetos entre nós três e entramos num acordo. O Giuliano [14, filho de Renato] é muito novo para decidir sobre essas coisas", explica Carmem, 41.

Carmem, que também dá aulas de inglês, explica que teve de proibir obras anteriores: "Soubemos por meio da imprensa e de amigos, e a gente embargou".

Segundo ela, sempre pedem autorizações para vários projetos, não apenas peças ou filmes, mas também livros didáticos de português e de religião, que analisam as letras do irmão.

É ela quem organiza a obra do cantor, com a ajuda da amiga Renata Azambuja, artista plástica.

O baú começa a se abrir em 2004. No Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília, haverá exposição com objetos pessoais, manuscritos e fotos inéditas.

"Ele odiava computador, fazia tudo a mão. É legal para ver o processo de trabalho dele. São toneladas de papel. Há coisas interessantes: partes de letras se misturam até chegar a uma versão final. Ele mudava e reaproveitava o material", conta Carmem.

"Dá trabalho ser herdeira e representante de um legado artístico e cultural. É um trabalho de diplomacia: receber pessoas, dar entrevistas, estar em eventos. Mas é prazeroso porque, se não fizermos, a memória reduz", explica.

Quanto ao espetáculo de Fezu Duarte, Carmem conta por que autorizaram: "Havia pessoas amigas envolvidas. Olhamos qual era a da peça, analisamos e achamos bem legal. Parece uma coisa séria. E achei a cara do meu irmão: o cavaleiro solitário lutando contra o mal com um grupo de amigos, e um quê de coisa medieval", diz. "A gente sempre parte desse princípio, o que ele pensaria, se ele gostaria", afirma.

Os Manfredini não sabiam que a fama do filho iria permanecer. Imaginavam que, após a morte, em decorrência da Aids, não falariam mais dele.

"Meus pais foram chamados para inauguração de bibliotecas em escolas públicas com o nome do Renato. Isso não pára. E eles vão, com prazer", diz Carmem.

"Aqui em Brasília, o governo até pensa em mapear os lugares que o Renato frequentava para incentivar o turismo. Já tem duas praças. Numa delas, Eduardo e Mônica, os jovens vão lá, ficam cantando, virou um reduto cultural", diz.

Carmem também surpreenderá em 2004. Vai montar um show e cantar. "Sou uma pessoa insegura, mas já decidi que vou fazer. O problema é definir o repertório."

Se irá cantar músicas do irmão? Sim, provavelmente "Depois do Começo". "Achei que as pessoas iriam pensar que eu estava me aproveitando. Mas disseram que, se eu não fizesse nada do Renato, ficariam revoltadas."

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

352 acessosRenato Russo: começam a ser vendidos ingressos para a exposição819 acessosTitãs, Lobão, Ultraje, Legião: o Brasil era do rock há 30 anos1594 acessosLobão: confira a capa de Guia politicamente incorreto dos anos 801048 acessosJoesley Batista: trajetória vira paródia de Faroeste Caboclo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Legião Urbana"

Legião UrbanaLegião Urbana
"Brasil está muito pior do que em Que País é Este"

Renato RussoRenato Russo
"Será que esquecemos a Ditadura Militar?"

Ô NébiaÔ Nébia
Pastor Arnaldo cita Legião, Cazuza e Metallica

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Legião Urbana"

Rolling StoneRolling Stone
Revista lista os 100 melhores álbuns dos anos 90

MMAMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Music RadarMusic Radar
Os maiores frontmen de todos os tempos

5000 acessosPensadores e autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich Nietzsche5000 acessosSeparados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia5000 acessosIvete Sangalo: "Ouço muito SOAD, Linkin Park, Slipknot e Rush"5000 acessosSlash: arrepiando no hino nacional norte americano antes de jogo2371 acessosRonnie James Dio: em propaganda de Budweiser de 19834192 acessosRandy Blythe: puto com fã no memorial de Oderus Urungus

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online