Ruído Festival 2004: Ballroom, 27, 28 e 29 de fevereiro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

(Press-release)

Pelo terceiro ano consecutivo, o Rio de Janeiro recebe seu maior festival de bandas independentes nacionais: Ruído Festival 2004. Graças ao sucesso dos dois anos anteriores, a edição desse ano será marcada por uma grande novidade: pela primeira vez serão três dias de rock. E em pleno Carnaval. O melhor de tudo: nenhuma banda toca em rádio e todas têm um público cativo e numeroso.

Serão atrações gaúchas, paulistas, baianas, mineiras, capixabas e cariocas, na edição que contará com o maior número de bandas de fora do Rio. Só para refrescar a memória, o único festival dedicado ao rock independente nacional na cidade carioca trouxe, nos anos anteriores, Dead Fish, Mukeka di Rato, Zumbis do Espaço, Wander Wildner e Thee Butchers' Orchestra, além dos cariocas Netunos, Autoramas, Narjara e Matanza. Confira a escalação desse ano:

DIA 27, Sexta, 21:00 H

Matanza (RJ): os quatro cowboys do rock voltam ao Ruído apresentando músicas do seu segundo CD com a mesma energia de sempre, falando de bebidas, bandidos, mocinhos, mulheres e tudo o que se relacionar ao Velho Oeste americano.

Nancyta e os Grazzers (BA): som pesado com vocal feminino, influências do punk, metal, rock alternativo, literatura urbana e ficção científica. Grazzers são aliens ainda não muito pesquisados no antimundo e seu estado primário se chama GRAZZÓPTERA. Isso é Nancyta e os Grazzers.

Narjara (RJ): o sexteto inicia nova turnê, com músicas, performances e figurinos inéditos, levando um rock mais inclassificável do que nunca, explorando ainda mais suas experimentações non sense, usando violino, megafone, máscara de proteção e outros elementos estranhos.

Verbase (MG): com seu primeiro CD lançado pela gravadora Tamborete, essa galera une a psicodelia do final dos anos sessenta com brit pop indie inglês (Byrds, Oásis e Teenage Fanclub) e até "Clube da Esquina" (Lô Borges, Milton e Beto Guedes).

Arkham (RJ): os cariocas do Arkham vêm ao Ruído trazendo seu aparato instrumental, formado por sintetizadores e figurinos esdrúxulos, mas com muito peso e performance de palco aeróbico.

Los Canos (BA): eles gostam dos extremos. Black Sabbath, Beatles, Bob Dylan, Weezer, Wander Wildner, Autoramas, Cascavelletes, Léo Jaime, Ramones, Kiss, Pavement, Neil Young, etc... O resultado? Punk-melódico-quase brega" com toques de Jovem Guarda e algumas baladas.

DIA 28, Sábado, 21:00 H

Walverdes (RS): banda festejada no cenário underground nacional, Walverdes é rock pauleira conciso e eficiente, com os shows levando adiante a máxima do bom e velho rock: guitarras altas, músicas pulsantes e ausência de frescuras.

Ludov (SP): O Ludov faz canções com esmero e domínio da linguagem, com melodias assobiáveis com vocação jovem, urbana, por DNA, mostrando que o pop redondo e inteligente, no Brasil, não ficou restrito aos melhores momentos dos anos 80

Wonkavision (RS): essa banda de power pop usa backing vocals, sintetizadores analógicos e não abre mão de distorção. Após tocar em quase todo o país, a galera se aquece para lançar seu primeiro CD, no meio de 2004, produzido por John, guitarrista e compositor do Pato Fu.

Leela (RJ): uma das mais populares bandas cariocas, o Leela vai mostrar no Ruído seu rock feito à base de teremim, já apresentando músicas que estarão em seu primeiro CD, que será lançado nesse semestre pelo selo Arsenal Music.

Tom Bloch (RS): "somos uma banda de rock, fazemos música pop e acreditamos em interferências". É como se definem os caras, que fizeram o primeiro show em 99 e já em 2000 foram indicados como Melhor Democlip no VMB 2000, da MTV, com a música Nossa Senhora.

Viana Moog (RS): traz um pop de guitarras distorcidas, com letras surrealistas sobre sexo, escapismos, relacionamentos, fissuras e auto-consumo. Suas principais influências são glitter, punk, sixties, Osvald de Andrade, Ferreira Goullard e Garcia Lorca.

DIA 29, Domingo, 19:00 H

Forgotten Boys (SP): tendo como referências Ramones, Iggy Pop e Johnny Thunders, os maiores representantes do punk rock paulista vêm ao Ruído com dois discos de sucesso e shows com Backyard Babies, Marky Ramone and the Intruders, Motosierra, Hellacopters, entre outros.

Carbona (RJ): já tendo feito shows nos EUA e Canadá ao lado de Marky Ramone & Intruders, Chixdiggit e Groovie Ghoulies, o Carbona conta estórias através de letras ingênuas e melodias que grudam como chiclete, com um punk rock de simplicidade cativante.

Los Pirata (SP): os caras concorreram ao prêmio de melhor clipe independente da MTV de 2001 e vêm ao Rio pela primeira vez, trazendo em sua bagagem um rock com sotaque latino e uma bateria de brinquedo. Isso mesmo, eles tocam com bateria de brinquedo.

Estrume'n'tal (BH): oriundo da lendária banda punk Os Meldas, nos anos 90, os caras já têm lançados dois discos, inclusive fora do Brasil, e tocam surf punk instrumental, com influências de Jovem Guarda, Man or Astro-Man? Ramones, Buzzcoks e The Cramps.

Detetives (SP): poucos acordes, distorção, ruídos e muita vibração, usados com parcimônia e inteligência, aliando o mais puro cunho garageiro dos anos 60 e 70, criatividade e estilo. Assim os Detetives se auto definem.

Guitarria (ES): Distorção, berros e bateria tupá-tupá. Assim é a mais nova sensação capixaba, dividindo-se entre o punk rock e o rock n' roll, influenciados por Guitar Wolf, Black Flag, Teengenerate e Social Distortion.

E, assumindo a responsabilidade de mais representativo evento reunindo bandas independentes nacionais no Rio, o Ruído Festival 2004 será palco do pré lançamento do Manifesto da Cultura Independente Carioca. O MCIC será o desenvolvimento de um projeto feito por artistas, produtores, formadores de opinião e platéia com o objetivo de apresentar ao poder público, em ano eleitoral, que a cultura independente no Rio é numerica e qualitativamente representativa demais para a política ignorante, preconceituosa e truculenta que a prefeitura e os vereadores exercem. Hoje, são dezenas de milhares de pessoas sem representatividade política na cidade.

No Ruído Festival 2004 ainda vai rolar um mega stand de CD das três maiores gravadoras independentes cariocas: Navena Muzik, Midsummer Madness e Tamborete, além do bazar da figurinista Layana Thomaz e sua grife Vista a Roupa, Meu Bem. Depois da barulheira carnavalesca, o Ruído Festival 2004 é a única e melhor opção para se desintoxicar.

SERVIÇO

RUÍDO FESTIVAL 2004

Local: Ballroom - Rua Humaitá, 110, Humaitá, tel (21) 2537 7600

Ingresso: R$ 12,00 com filipeta / R$ 15,00 normal
Carteira da UNE ou UBES paga meia

Dia 27, Sexta, 21 horas
Matanza (RJ)
Nancyta e os Grazzers (BA)
Narjara (RJ)
Verbase (MG)
Arkham (RJ)
Los Canos (BA)

Dia 28, Sábado, 21 horas
Walverdes (RS)
Ludov (SP)
Wonkavision (RS)
Leela (RJ)
Tom Bloch (RS)
Viana Moog (RS)

Dia 29, Domingo, 19 horas
Forgotten Boys (SP)
Carbona (RJ)
Detetives (SP)
Guitarria (ES)
Estrume'n'tal (BH)
Los Pirata (SP)

Produção: Rodrigo Quik, Gabriel Thomaz e Débora Martins.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção Notícias

Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Heavy Metal: diagrama explica a origem dos nomes de bandasHeavy Metal
Diagrama explica a origem dos nomes de bandas