Dave Mustaine: ansioso pelo lançamento do CD

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marco Néo, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 16/05/07. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Dave Mustaine, líder do MEGADETH, postou a seguinte mensagem no Fórum do web site oficial da banda:

"Há muita coisa para ser dita, mas nada é mais importante do que isto:

3333 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosMais Alto!: A diferença entre headbangers e humanos comuns

Esta é uma noite que por muitos anos eu vinha antecipando; a noite antes de um novo lançamento do MEGADETH.

Gostaria de dizer o quando eu amo todos vocês e quantas vezes parecia que eu ia explodir de ansiedade de ver vocês ouvindo o 'United Abominations' pela primeira vez.

Não é segredo pra ninguém o quanto nós gostamos uns dos outros aqui no Megadeth.com e no Myspace/megadeth e eu gostaria de poder estar aí com vocês, dando um rolê, participando do momento e batendo um papo, sentindo o excitamento de cada um de vocês depois de ter ouvido o 'U.A.' pela primeira vez."

Mas eu tenho um segredinho pra vocês... o disco vai soar ainda melhor a cada vez que vocês o ouvirem.

Eu gostaria que vocês soubessem que nós pensamos em cada um de vocês a cada vez que cantamos e a cada vez que tocamos. Nós estamos tão empolgados assim porque NÓS gostamos do resultado final. E isso é muito legal.

O amor de vocês pela banda me inspirou a fazer um álbum que eu adoro, provavelmente mais do que qualquer coisa que eu já tenha feito.

Eu gostaria de fazer uma pequena oração para que cada um de vocês saiba o quanto eu os amo e o quanto eu estimo seu suporte... mesmo os cuzões.

Obrigado do fundo do meu coração".

E Bryan Reesman, da revista norte-americana Metal Edge, recentemente entrevistou Mustaine; seguem abaixo alguns trechos do artigo:

Quando perguntado sobre a música título do novo álbum, "United Abominations", com suas duras críticas às Nações Unidas, ele respondeu: "Tem várias canções no álbum que poderiam ter sido a música título, mas eu achei que 'United Abominations' combinou bem, considerando-se que o que tem acontecido nos últimos cinco anos, que é tão ultrajante. Quando eu era mais novo, houve um incidente em que um diplomata russo, totalmente bêbado, atravessou um sinal vermelho, matou um cidadão dos Estados Unidos em Nova York, e foi liberado por conta da imunidade diplomática. Pelo menos, ele deveria pagar alguma indenização por tirar uma vida humana dirigindo um veículo sob efeito de álcool. Pelo menos, eles deveriam ter chamado esse diplomata de volta para casa para puní-lo por homicício culposo. Ao que eu me lembre, nada aconteceu."

"Isso me fez pensar sobre o que a ONU sempre defendeu, daí eu comecei a ver coisas sobre a crise de 'petróleo por comida' e descobri que um Secretário Geral é um ex-nazista e outro cara foi um espião. Eu me sinto bem seguro sabendo que esses caras organizam a campanha mundial para prevenir a guerra e promover a paz. Tem um filme que está pra sair, chamado 'You and Me', do qual eu participei, e é basicamente a versão de 'Fahrenheit 9 de setembro' para a ONU. Eu acho que assim que as pessoas assistirem esse filme elas ficarão totalmente assombradas. Só o trailer que eu assisti, que me levou a participar do projeto, já é bastante enervante."

Uma música nova, "Amerikhastan", com uma atmosfera meio triste, tem uma visão crítica sobre a atual situação do modo de vida norte-americano, mas suas letras poderiam ser adotadas tanto pelos conservadores quanto pelos liberais, pela mensagem que ela passa. Em determinada altura, uma estrofe que fala da Estátua da Liberdade sendo tatuada com a mensagem "Propriedade dos EUA, uma subsidiária da Halliburton" é logo contraposta ao grito de guerra, 'Hey, Jihad Joe' (trocadilho com "G.I. Joe"), adivinha só? Nós vamos te pegar!' Essa esquizofrenia lírica lembra do Mustaine falando de suas diferentes personalidades em 'Sweating Bullets'.

"Eu acho que ter a oportunidade de olhar as coisas através de um caleidoscópio em vez de uma lente de aumento é tão mais bonita a longo prazo, porque nem sempre a minha opinião ou a minha perspectiva é a correta", filosofa Mustaine sobre o duplo sentido da música. "Há mais de um modo de se olhar para as coisas. Sun Tzu disse sobre boa liderança, que se você olha para seu adversário de forma altiva, você certamente terá uma batalha, mas para vencer às vezes você tem que atacar pelos flancos. Pra mim isso faz total sentido".

Mustaine sempre deixou evidente seu pensamento sobre política. Ele já criticou Tom Morello, do RAGE AGAINST THE MACHINE, e Natalie Maines, do DIXIE CHICKS, por supostamente terem feito declarações hipócritas, em uma entrevista de 2004.

"Eu acho que, no que se refere à política sendo tratada na música, a maioria dos músicos deveria ficar quieta, a menos que eles queiram ir para as trincheiras e lutar", diz Mustaine. "Eu me alistei quando tinha 18 anos, mas não fui selecionado. Em 1992 eu fui à Casa Branca com a campanha 'Rock the Vote' para a Assembléia Nacional do Partido Democrata. Eu fui um dos que apresentaram uma proposta de lei, então eu faço parte da história deste país. Eu sou provavelmente um dos únicos músicos, e o único do Metal, a fazer isso. Mas eu também sou o porta-voz da juventude abandonada dos Estados Unidos da América. Eu consigo focar os grupos e dizer algo relevante. Mesmo não tendo mais 18 anos e não tendo mais que lutar com Stridex ou com a testosterona, eu ainda tenho um moleque de 18 anos aqui dentro de mim".

A entrevista completa com Dave Mustaine pode ser lida (em inglês) na edição de julho de 2007 da revista Metal Edge, que pode ser encontrada em livrarias especializadas.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3044 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa504 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3507 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

OpiniãoOpinião
Há um Megadeth entre Marty e o Kiko

Marty FriedmanMarty Friedman
Voltar ao Megadeth seria um grande retrocesso

MegadethMegadeth
Nick Menza e Marty Friedman iam remontar formação do "Rust In Peace"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Mais Alto!Mais Alto!
A diferença entre headbangers e humanos comuns

CuriosidadeCuriosidade
Capas de álbuns com ilusões de ótica

Em 21/08/1989Em 21/08/1989
Morre Raul Seixas, que seria encontrado morto no dia seguinte

5000 acessosEddie: a foto que supostamente inspirou Derek Riggs5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden5000 acessosBlind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi Kürsch5000 acessosMetal: O fim das grandes bandas será o fim do gênero?4586 acessosIron Maiden: "Run To The Hills" como você nunca ouviu antes5000 acessosGrammy: O que houve de melhor (e pior) relacionado ao rock/metal

Sobre Marco Néo

Nascido na primeira metade dos anos 70, teve seu primeiro contato com sons pesados quando o Kiss veio para o Brasil, em 83, mas não compreendeu bem o que era aquilo. A contaminação efetiva ocorreu um ano depois, quando conheceu Motörhead, Judas Priest, AC/DC, Iron Maiden. Desde então, tornou-se um apaixonado colecionador de tudo o que se refere a Metal e Rock'n'Roll, independentemente de subestilos.

Mais matérias de Marco Néo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online