ACDC: Phil Rudd inocentado de acusação de agressão

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniel Faria, Fonte: ADateZ Inc, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/01/08. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

De acordo com ADateZ Inc., o baterista do AC/DC Phillip Rudd, que nasceu com o nome Phillip Hugh Norman Witschke Rudzevecuis, declarou-se culpado de uma acusação de agressão em uma aparição em um tribunal em Tauranga (Tauranga District Court) na quarta passada (27 de dezembro).

3104 acessosPhil Rudd: por que ele se recusa a fazer solos de bateria5000 acessosMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

O músico autônomo declarou-se culpado depois que a polícia reduziu a acusação que era de "homem atacar mulher" (mais grave), que pode levar a uma sentença de dois anos de prisão.

Mas o juiz Robert Kerr absolveu Rudd, 53.

O advogado dele, Matthew Ward-Johnson, argumentou com sucesso que uma condenação teria um impacto significante na carreira musical de seu cliente e portanto iria além da gravidade da infração dele.

O tribunal ouviu que às 12h10 do dia 27 de março de 2007, Rudd estava no barco dele com seus dois filhos na Marina Mount Maunganui quando sua ex-companheira apareceu para pegar as crianças, de 4 e 10 anos de idade.

Uma discussão sobre dinheiro surgiu e se agravou, até certo ponto em que Rudd empurrou o peito contra a mulher e segurou um punho fechado no rosto dela de maneira ameaçadora. Ele a agarrou pelos braços e fingiu jogá-la fora do barco, o que causou nervosismo nela e nas crianças que testemunharam o fato.

Ela então registrou uma queixa com a polícia.

Quando a polícia falou com Rudd no dia 22 de abril, ele negou tê-la empurrado, dizendo que ele somente queria que ela ficasse fora do barco e impediu que ela caísse na água quando ela desembarcava. O juiz Kerr disse que ficou claro para ele que as ações de Rudd estavam na parte mais baixa da escala e que foram "mais ameaçadoras do que violentas".

O juiz disse que uma absolvição sem condenação foi justa dado o impacto que ela teria na carreira de Rudd e sua habilidade de viajar para alguns países para mantê-la.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Phil RuddPhil Rudd
Por que ele se recusa a fazer solos de bateria

1465 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify752 acessosAC/DC: a primeira vez com "Let There Be Rock"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "AC/DC"

Metal SucksMetal Sucks
Seis vocalistas que poderiam substituir Brian Johnson no AC/DC

VinilVinil
Os 10 LPs mais raros e valiosos dos anos 1980

AC/DCAC/DC
Vídeo mostra trabalho que dá colocar sino de "Hells Bells" no palco

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "AC/DC"

MetallicaMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Zakk WyldeZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

5000 acessosRock Brasileiro da Década de 505000 acessosRock And Roll: últimas fotos em vida de músicos famosos5000 acessosHeavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo3606 acessosGames: metaleiro transforma clássicos de games em puro Metal5000 acessosCoisa de boy: Mais de 50% dos roqueiros é da classe A, diz IBOPE5000 acessosLobão: a defesa do roqueiro solitário

Sobre Daniel Faria

Nascido em 1977, cresceu em um lar onde rock progressivo dominava as ondas do ar. Aos 12 anos, com a compra de "Paranoid" (Black Sabbath) tudo mudou e o metal gradualmente passou a ser o som predominante em casa. Estudou Computer Science / Applied Science pela Concordia University (Montreal, Québec, Canada) e hoje vive em um vilarejo rural em Simcoe County, centro-sul de Ontario, Canada.

Mais matérias de Daniel Faria no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online