Slayer: a aversão aos rótulos na visão de Kerry King e Tom Araya

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Severo da Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nos hoje longínquos primórdios dos anos oitenta, surgia uma nova forma musical que não possuía um padrão sonoro enquadrável nas categorias de então: brutais demais para o metal de JUDAS e IRON, elaborado demais para o hardcore de CIRCLE JERKS e BLACK FLAG e, em certa medida não tão generalista quando o assunto é satanismo quanto o VENOM. Nomeado como speed e power metal, categorias que o tempo deu conta de criar nichos apartados posteriormente, o thrash nasceu e cresceu como um filho sem pai, evoluindo de forma espontânea graças a cena californiana e nova iorquina. Tendo a Bay Area como referência, região que compreende San Francisco e seus arredores, bandas como TESTAMENT, EXODUS, HEATHEN e, por adoção - graças a CLIFF BURTON - o METALLICA, deram o ar da graça. Em Los Angeles, o thrash viu surgir dos escombros da relação tumultuada entre MUSTAINE e sua ex-banda, o MEGADETH e, em uma junção de imigrante chileno, um cubano, um aficcionado em hardcore e um insano fã de alavancada e solos atonais, o SLAYER.

Slayer: Dave Lombardo não assistirá último show da bandaE-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Na biografia "O Reino Sangrento do SLAYER" de JOEL MCIVER, KERRY KING refutava, no início da década de 1990 a tentativa da crítica e parte do público de classificar o metal extremo como um coisa só. Ao tratar do blast beat, a famosa "metranca", batida que migrou do hardcore para outros gêneros, o guitarrista afirma:

As pessoas podem gostar, tudo bem, mas acho que isso não tem lugar no SLAYER. A banda é mais musical do que isso(...) Não gosto daquela primeira onda que todos chamavam de death metal. O vocal do "monstro do biscoito" me deixou maluco. Se eu não gostar de um cantor, é difícil para eu gostar de música. Você tem 50 bandas lá fora que tem exatamente o mesmo som"

TOM ARAYA ao tratar da estética gutural do death metal também foi enfático:

Mesmo no começo, eu não tentava cantar de modo que ninguém pudesse entender o que diabos eu estava dizendo. Nós não grunhimos e rosnamos e dizemos que aquelas eram nossas palavras. Ao logo dos anos eu não tentei fazer isso.

Segundo o autor, "O SLAYER estava em um dilema no final de 1991: eles ainda eram uma banda de metal extremo (que até então significava death metal, que a banda não entendia), black metal (que eles não aprovavam) ou eram uma banda de metal mainstream, quando "maisntream" significava algo mais próximo do NIRVANA e METALLICA."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Slayer"Todas as matérias sobre "Kerry King"Todas as matérias sobre "Tom Araya"


Slayer: Dave Lombardo não assistirá último show da bandaSlayer
Dave Lombardo não assistirá último show da banda

Slayer: Kerry King se atrapalha com guitarra de 8.666 dólares e não consegue tocar introSlayer
Kerry King se atrapalha com guitarra de 8.666 dólares e não consegue tocar intro

Slayer: todas as músicas da banda, da pior para a melhorSlayer
Todas as músicas da banda, da pior para a melhor

Slayer: quem são os serial killers abordados em músicas da bandaSlayer
Quem são os serial killers abordados em músicas da banda

Slayer: veja despedida emocionante da banda ao Madison Square GardenSlayer
Veja despedida emocionante da banda ao Madison Square Garden

My Chemical Romance: Gary Holt é fã da banda e quer ir ao show de retornoMy Chemical Romance
Gary Holt é fã da banda e quer ir ao show de retorno

Slayer: Frank Bello fala sobre a última tour de seus colegasSlayer
Frank Bello fala sobre a última tour de seus colegas

Slayer: última turnê não significa o fim da banda, afirma manager

Slayer: fim das turnês não significa fim da banda, diz empresárioSlayer
Fim das turnês não significa fim da banda, diz empresário

Slayer: novo álbum ao vivo Repentless Killogy é lançado; ouçaSlayer
Novo álbum ao vivo Repentless Killogy é lançado; ouça

Spin: os 40 melhores nomes de bandas de todos os temposSpin
Os 40 melhores nomes de bandas de todos os tempos

Jeff Hanneman: tributo no Youtube com 7 minutos de riffsJeff Hanneman
Tributo no Youtube com 7 minutos de riffs


E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1983


Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n'roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: joaopsevero@bol.com.br.

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

adGoo336