Judas Priest: Turbo teria música em Top Gun, mas não teve e não vendeu bem

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Classic Rock / Louder
Enviar correções  |  Ver Acessos

O ex-guitarrista do Judas Priest, K.K. Downing, relembrou o controverso álbum "Turbo" (1986) em entrevista para o livro "Take It Off - Kiss Truly Unmasked", de Greg Prato. O músico destacou que a banda esperava conquistar um sucesso ainda maior com o disco, mas que o êxito em questão não veio.

Iron Maiden: Steve Harris não descarta possível turnê com Judas PriestCultura inútil: Em quantas músicas Coverdale utilizou "love" (1)

"Turbo" é visto como um dos trabalhos mais comerciais do Judas Priest, devido ao uso de sintetizadores e sonoridade mais orientada ao hard rock, que estava tão em destaque na época. A ideia era seguir padrões de nomes como Van Halen, Def Leppard e até Ozzy Osbourne, que estavam fazendo muito sucesso no período.

O álbum não é, nem de longe, um fiasco comercial: conquistou disco de platina nos Estados Unidos e Canadá, além de ouro na Espanha. Na terra do Tio Sam, principal "alvo" daquele trabalho, chegou à 17ª posição das paradas gerais. Porém, o registro apenas repetiu o desempenho de lançamentos anteriores - e nem chegou a superar "Screaming For Vengeance" (1982), o mais vendido do Priest na América.

Downing reconhece que "Turbo" foi feito, basicamente, para chegar ao padrão de bandas mais novas. "Pensamos: nossas bandas de abertura estão tendo esses grandes sucessos. Se você faz as músicas, você tem os veículos de comunicação com rádio e TV agora. Dá para ter esses discos gigantes, só precisa juntar as músicas. Foi por isso que o Priest não fez um 'Turbo' duplo, que se chamaria 'Twin Turbos' originalmente", afirmou.

A proposta era "condensar tudo e juntar em um álbum que tivesse boa continuidade, mas também fosse compatível com o que as rádios tocavam", segundo o guitarrista. "Tentamos uma vez e meio que falhamos, porque não aconteceu. Os produtores de 'Top Gun' (filme) queriam uma música do álbum para o filme e isso não aconteceu por culpa nossa. Em situação contrária, seria bem diferente para a banda. Tivemos uma oportunidade, apenas não rolou com o Judas Priest. Queriam a música 'Reckless'", disse.

Mesmo fora da trilha de "Top Gun", o Judas Priest pensou que músicas como "Turbo Lover" e "Locked In" funcionariam como singles. "Mas não funcionou", relembrou o guitarrista. "A turnê foi muito bem-sucedida, o álbum foi bem-sucedido, mas não foram aquelas vendas que esperávamos", completou, atribuindo uma questão visual como fator preponderante para "Turbo" não ter emplacado. "Até Ozzy foi ao cabeleireiro", destacou.

'Turbo' e o 'timing'

Em outras entrevistas, K.K. Downing falou sobre "Turbo" como um momento crucial para justificar o motivo de o Judas Priest, no fim das contas, não ter feito tanto sucesso comercial. Ao podcast "Iron City Rocks", ele mencionou bandas de abertura que foram mais longe que o Priest em termos de números.

"O Def Leppard é um excelente exemplo: indo de banda de abertura do Judas Priest a um disco que, nos Estados Unidos, vendeu 5 ou 6 milhões de cópias, e o seguinte vendeu 9, 10, 11 milhões. Acho que nosso maior sucesso nos Estados Unidos foi 'Screaming For Vengeance', que deve ter vendido duas ou três milhões de cópias. Mesmo o Quiet Riot teve um disco que chegou a 5 ou 6 milhões, o que é o dobro ou mais do que já conseguimos", afirmou.

Na ocasião, ele destacou que 'Turbo' teve um problema de "timing". "Acho que o 'timing' (momento) foi muito crítico. Por isso, eu digo que o Def Leppard fez esses discos de grande sucesso em 1983 e 1984, suponho, e viemos com o 'Turbo' em 1985 ou 1986. É apenas sobre o 'timing', sobre como as pessoas estão se sentindo em certo ponto da década. Mas, sim, poderia ter sido muito pior, então não reclamo. Tenho muito orgulhos das minhas conquistas e da banda, bem como grande respeito não só com meus colegas de banda, mas, obviamente, a todos os fãs", disse.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Judas Priest"


Iron Maiden: Steve Harris não descarta possível turnê com Judas PriestIron Maiden
Steve Harris não descarta possível turnê com Judas Priest

Ozzy Osbourne: anunciadas, de novo, datas remarcadas de turnê com Judas PriestOzzy Osbourne
Anunciadas, de novo, datas remarcadas de turnê com Judas Priest

Megadeth: Dave Ellefson rasga elogios a Ian Hill, do Judas PriestMegadeth
Dave Ellefson rasga elogios a Ian Hill, do Judas Priest

Rob Halford: autobiografia sai em outubro de 2020

Curiosidade: 5 músicos mais novos que as bandas em que tocamCuriosidade
5 músicos mais novos que as bandas em que tocam

Big 4 britânico: Halford queria juntar Priest com Maiden, Sabbath e MotörheadBig 4 britânico
Halford queria juntar Priest com Maiden, Sabbath e Motörhead

Judas Priest e Iron Maiden: Rob Halford adoraria ver as bandas juntas em turnêJudas Priest e Iron Maiden
Rob Halford adoraria ver as bandas juntas em turnê

Judas Priest: como surgiu o agudo típico de Rob HalfordJudas Priest
Como surgiu o agudo típico de Rob Halford

Judas Priest: K. K. Downing, Ripper e David Ellefson tocam clássicos da banda

Judas Priest: em mensagem, Glenn Tipton agradece a fãs após ano difícilJudas Priest
Em mensagem, Glenn Tipton agradece a fãs após ano difícil

Rock e metal: o outro lado das capas de discosRock e metal
O outro lado das capas de discos

Rob Halford: o choque que foi ouvir o Van Halen pela primeira vezRob Halford
O choque que foi ouvir o Van Halen pela primeira vez


Cultura inútil: Em quantas músicas Coverdale utilizou love (1)Cultura inútil
Em quantas músicas Coverdale utilizou "love" (1)

Black Metal: o lado mais negro da cena brasileiraBlack Metal
O lado mais negro da cena brasileira


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336