Tudo no Shuffle: As 10 melhores músicas do Angel Dust

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Cardoso, Fonte: Tudo no Shuffle
Enviar correções  |  Ver Acessos

A volta do subestimado Angel Dust é uma ótima desculpa para revisitar a discografia da banda e fazer mais uma lista de 10 melhores músicas.

Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os temposGutural: mulheres que fazem vocal em bandas de Metal

O quinteto alemão tem o power metal como gênero principal mas consegue agradar a fãs de vários gêneros por trazer elementos de outros estilos e adicionar um toque final de originalidade. Eu mesmo nunca fui muito fã do estilo e talvez Angel Dust seja a única banda do gênero que eu realmente goste. O grupo alemão conseguiu pegar o melhor de vários mundos e criar um som bem distinto: pegou o gosto por composições épicas e cheias de emoção do power metal mas sem cair na breguice, pegou o instrumental técnico do prog metal sem cair na mera exibição de técnica e pegou riffs pesadíssimos de thrash metal sem cair na brutalidade ignorante.

De 1998 a 2002, a banda lançou 4 ótimos álbums, mas a trinca de Bleed (1999), Enlighten the Darkness (2000) e Of Human Bondage (2002) mostrou a banda no seu auge criativo. A lista a seguir considerou apenas os 4 álbums desse período (a fase speed metal do grupo entre 1984 e 1990 é praticamente outra banda, apenas com o mesmo nome). Mesmo com relativamente poucas músicas, a tarefa de selecionar 10 delas foi árdua. Sem mais delongas, vamos à lista.

Confira todas as listas feitas em:
https://tudonoshuffle.blogspot.com.br/

10) Nightmare

Álbum: Border of Reality (1998)

Os teclados são o destaque de "Nightmare" e, junto com o riff repetitivo de guitarra nos versos, dão um toque industrial meio Rammstein à música. O refrão é típico de Angel Dust: melódicos e dominados pela voz potente de Dirk Thurisch.

9) The Cultman

Álbum: Of Human Bondage (2002)

"Of Human Bondage" foi o único álbum que a banda gravou com o guitarrista Ritchie Wilkinson no lugar de Bernd Aufermann e, naturalmente, a mudança de guitarrista representou algumas mudanças no som da banda. "The Cultman" é uma balada na maior parte do tempo acústica que dá espaço de sobra para Dirk Thurisch e o teclado sombrio de Steven Banx brilharem.

8) Addicted to Serenity

Álbum: Bleed (1999)

"Addicted to Serenity" é uma das músicas mais diretas do Angel Dust. Bernd Aufermann não poupa riffs do primeiro ao último segundo da música, Dirk Thurisch canta sempre no seu máximo e o refrão tem uma contribuição sutil mas fundamental dos teclados. Para completar, no bridge, a música descamba para um riff de puro thrash (novamente com uma participação inestimável dos teclados) e depois para um solo de guitarra de muita técnica.

7) Got this Evil

Álbum: Of Human Bondage (2002)

Diferente de seu antecessor, os riffs de Ritchie Wilkinson eram bem mais retos e sem muitos floreios de power metal. Por isso, "Got this Evil" é basicamente uma música de thrash metal com teclados. O refrão mesmo com as letras clichês ("I am the pain you suffer, I am..., I am...") é daqueles que grudam fácil na cabeça.

6) Bleed

Álbum: Bleed (1999)

Essa é provavelmente o maior sucesso do grupo, uma aula de power/thrash metal. A introdução no teclado é um dos momentos mais marcantes da carreira da banda.

5) Come Into Resistance

Álbum: Enlighten the Darkness (2000)

A marca do Angel Dust é inconfundível em "Come Into Resistance": riffs poderosos, vocais devastadores, peso e melodia nas medidas certas e teclados sempre minimalistas mas fundamentais para a atmosfera da música. Coloque ainda um dos refrões mais fortes da banda e temos "Come Into Resistance".

4) Freedom Awaits

Álbum: Of Human Bondage (2002)

"Freedom Awaits" não precisa de nada grandioso para ser tão linda. Bastam linhas de teclados belíssimas (como sempre) e uma performance vocal memorável que alterna entre um tom calmo nos versos e um tom levemente mais alto no refrão. A forma que Dirk Thurisch canta o refrão transmite um sentimento de súplica, de desespero, de tristeza irreparáveis. Poucas músicas têm uma aura tão desoladora como "Freedom Awaits".

3) Follow Me Parts 1 e 2

Álbum: Bleed (1999)

A terceira posição é um dois-em-um já que "Follow Me" está dividida em duas músicas (Part 1 e Part 2). Mas as duas partes estão em sequência no álbum então funcionam como uma música só. A primeira parte é uma balada que anda na tênue linha entre beleza e tristeza. Enquanto a segunda parte começa com uma linda introdução de violão com teclado antes de se transformar em uma paulada típica da banda. As duas partes evoluem naturalmente e se conectam no ápice da parte 2, que reprisa um trecho da parte 1 mas com outro arranjo. A performance triunfal da banda inteira no desfecho de "Follow Me" é power metal levado à quase perfeição.

2) The One You Are

Álbum: Enlighten the Darkness (2000)

"Enlighten the Darkness" é o álbum mais power metal do Angel Dust, tanto que é um trabalho conceitual sobre os horrores da guerra vividos por um soldado no front. "The One You Are" é o momento mais emocionante do álbum. Nela, o protagonista, enquanto revive as marcas que a guerra lhe deixou, enfrenta os questionamentos de sua esposa quanto a sua capacidade de amar após tudo que ele viveu na guerra. A voz de Dirk Thurisch conduz a música por momentos pesados, momentos calmos e momentos melódicos sempre com o auxílio da guitarra de Bernd Aufermann e principalmente do teclado de Steven Banx. No final ainda dá tempo para um lindo e simples solo de guitarra e a participação de uma vocalista no papel da esposa.

1) Forever

Álbum: Of Human Bondage (2002)

"Forever" tem um lugar especial no meu coração musical, pelo simples motivo que ela foi a primeira música que ouvi do Angel Dust. Nunca tinha visto uma banda usando tão bem teclados, a linha de teclado dos versos é uma das coisas mais amedrontadoras que já ouvi. Nunca tinha visto uma banda que conseguia unir tão bem riffs de thrash metal com vocais melódicos. E não eram qualquer vocais melódicos. Muitos cantores tem ótimas vozes mas deixam a desejar nos quesitos interpretação e emoção. Em "Forever", Dirk Thurisch no pré-refrão já canta como se sua vida dependesse disso e no refrão ele parece brincar com seu instrumento de trabalho, flutuando de uma nota a outra sem perder o tom emotivo.

Se tem uma música que mostra o que o Angel Dust tinha de tão especial e diferente em relação a outras bandas de metal, essa música é "Forever".



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Maiores e MelhoresTodas as matérias sobre "Angel Dust"


Metal: dez álbuns provam que 1986 foi o ano do ThrashMetal
Dez álbuns provam que 1986 foi o ano do Thrash


Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os temposSpin
As 30 melhores faixas instrumentais de todos os tempos

Gutural: mulheres que fazem vocal em bandas de MetalGutural
Mulheres que fazem vocal em bandas de Metal


Sobre Guilherme Cardoso

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin adWhipDin