Forka: todo o peso do Metal nacional

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel, Fonte: Witheverytearadream
ENVIAR CORREÇÕES  

Consolidando seu nome na "nova" geração das bandas nacionais, a paulistana Forka acabou de lançar seu terceiro disco "Black Ocean", um verdadeiro petardo, com um peso absurdo durante toda sua duração. E para falar um pouco mais sobre o novo disco e a carreira da banda, conversei com o guitarrista Samuel Dias, confiram e prestigiem mais uma grande banda de nossa cena nacional.

Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalJourney: o famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vicente - Inicialmente, qual a avaliação que você faz destes dez anos de trajetória da banda? Como foi o inicio de tudo?

Samuel - Bem, tocar música pesada no Brasil não é fácil. Mas se formos colocar na balança todo nosso trabalho durante todos esses anos, tivemos muito mais conquistas positivas pra continuar até hoje.

Vicente - A banda acabou de lançar seu terceiro disco "Black Ocean". Como rolou a gravação do mesmo?

Samuel - Rolou nos Sputinik Studios em Sampa mesmo, vimos alguns trabalhos do Michel e resolvemos gravar com ele. O resultado ficou acima do que esperávamos. Porrada!!

Vicente - E o retorno do pessoal, mesmo sendo ainda recente para tecer uma opinião mais definitiva, como tem sido?

Samuel - Por enquanto ótimas criticas, boas resenhas e abrindo portas que, até então, não tínhamos anteriormente.

Vicente - O disco começa com a instrumental Luna, uma faixa acústica que vai na contramão do peso do restante do material. Ela foi composta já pensando nesse contraponto?

Samuel - Eu a compus em dez minutos, mostrei pro restante da banda e gravei ela no estúdio...O Michel acabou dando umas ideias extras, gostamos tanto dela que entrou no disco como primeira faixa. (risos)


Vicente - Logo em seguida surge a ótima "Black Ocean", que transborda um peso absurdo, que segue durante todo o restante do álbum. O Forka investe justamente no peso e nos riffs, praticamente inexistindo solos nas músicas. O disco foi concebido com essa mentalidade, de priorizar o peso acima de tudo?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Samuel - Normalmente vamos compondo as músicas sem se preocupar como o disco vai soar finalizado. O certo que a cada disco nosso vamos mudando alguns detalhes, outras sonoridades que acabam diferenciando cada trabalho nosso e gostamos disso... Cada álbum ser diferente um do outro, mas mesmo assim ter uma identidade do Forka.

Vicente - Claro que a principio, a faixa-título é a que chama mais atenção, mas confesso que a música que mais curti em "Black Ocean" foi Nation of Ashes. E quais seriam as músicas que indicariam para aqueles que ainda não conhecem o som da banda?

Samuel - Somos suspeitos de opinar (risos). Bem, creio que a faixa-título Black Ocean resume em partes o trabalho todo... Mas Nation Of Ashes, White Mask e Evil Love são as que recomendaria pro público ouvir.

Vicente - Já a música "Empire Surrender" virou o videoclipe do álbum. Como foi a gravação do mesmo?

Samuel - Foi trabalhoso, mas recompensador. Gravamos num prédio abandonado cheio de drogados, mas com uma vista privilegiada. Gravamos tudo em 4 horas e lançamos em fevereiro. Conseguimos a melhor fotografia nesse clipe em relação aos outros vídeos. Ficou coisa fina!

Vicente - Na sua opinião, qual a principal diferença de "Black Ocean" para "Enough" e "Feel your Suicide"?

Samuel - O Feel Your Suicide é um álbum cru por ser o nosso primeiro trabalho, já o Enough a produção executiva é bem melhor do que o anterior e o Black Ocean pra mim é o melhor musicalmente dos três discos. O tempo vai passando e vamos aprendendo a chegar a resultados que soem de uma forma que gostamos tanto como produção como musicalmente pra uma banda.

Vicente - E quais são os principais objetivos daqui para frente? Como está a agenda de shows?

Samuel - Gostamos de tocar, a partir disso as coisas vão acontecendo. O disco é recente e leva um tempo pra todos terem um conhecimento que temos um disco novo na praça, mas esta rolando legal... Shows, resenhas, entrevistas e etc. Temos outros projetos e pretendemos colocá-los em pratica em breve.

Vicente - Quais são as suas maiores influências?

Samuel - Gosto de muitas coisas. Tenho uns lado B também que eu curto, mas pra tocar guitarra com certeza é música extrema, Metal!

Vicente - Em poucas palavras, o que pensa sobre as seguintes bandas:

Pantera: Marcou uma geração inteira e até hoje é influência para muitas bandas atuais.

Ratos do Porão: Sou fã da música deles e também pela historia dos caras, já dividimos o palco com eles e é sempre um prazer!

Lamb ofGod: Essa banda foi adotada pelos órfãos do Pantera e ultimamente esta acima da média das bandas americanas.

Brujeria: Tenho todos os discos...MATANDO GÜEROS!! (risos)

Korzus: Melhor banda brasileira de Thrash Metal dos anos 80 existente até hoje!

Vicente - Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho da banda Forka e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam na música nacional.

Samuel - Obrigado pelo espaço, suporte e o trabalho que vocês fazem. Parabéns e viva o Metal Nacional!




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Forka"


Maquiagem, spikes e sorrisos: conheça o Happy Black MetalMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

Journey: o famoso erro geográfico em Don't Stop Believin'Journey
O famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline