Mike Portnoy: "É impossível agradar todo mundo!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karina Detrigiachi, Fonte: PyroMusic, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Mike Portnoy, baterista do DREAM THEATER, falou durante uma entrevista para a PyroMusic sobre o fato da sonoridade da banda estar cada vez mais pesada.

Dream Theater: 30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da bandaGuitarra: o riff mais popular de todos os tempos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pra mim, o novo álbum possui um equilíbrio entre elementos progressivos, metal e alguns dos melhores refrãos que você já escreveu. Acho que a última vez que você se fixou em um equilíbrio foi em "Train Of Thought". Era esse o objetivo deste álbum?

Portnoy: "Para ser completamente honesto, sem frescura, este é nosso objetivo com todos os álbuns. Acho que às vezes é mais fácil para algumas pessoas do que para outras, sabe? Você mencionou 'Train of Thought' - eu amei o 'Train Of Thought' e acho que nós definitivamente firmamos esse álbum. Mas há pessoas que não gostam desse álbum porque é muito pesado ou seja lá o que for. Depois há pessoas que amam o 'Octavarium' e outras pessoas que dizem que ele não é pesado o bastante. É impossível agradar a todos.

O que eu quero dizer é, se você fizer uma enquete com cem fãs do DREAM THEATER, você receberá respostas diferentes de cada um deles. Então, de verdade, é nosso objetivo cada vez e, toda vez que fazemos um álbum, conseguir um equilíbrio das três coisas que você mencionou - o progressivo, o metal e o melódico. Toda vez tentamos ter estes três elementos da forma mais forte possível.

Devido a isso, quando um álbum recebe críticas negativas ou os fãs criticam, isso não te incomoda simplesmente porque eles são susceptíveis a amar o próximo álbum?

Portnoy: "Bem, isso nos incomoda, mas ao mesmo tempo sabemos que não podemos agradar a todos; é impossível.
Portanto, neste ponto da nossa carreira, simplesmente acabamos por fazer o que for preciso para agradar a nós mesmos em primeiro lugar e esperamos que os fãs aproveitem.

Eu sou provavelmente o músico mais orientado pelos fãs que você irá conhecer e eu presto muita atenção no que eles dizem. Eu dou o meu melhor para direcionar esta banda em um caminho agradável aos os fãs e tento dar aos fãs o que eles querem. Mas há tanta diversidade em nossa base de fãs que é impossível agradar a todos eles, entende? (risos) Porque alguns preferem de um jeito, outros preferem de outro, alguns gostam do material mais pesado, outros não o suportam.

Então ao final do dia, apenas fazemos o que temos de fazer, nos mantermos felizes e tentamos fazer os fãs felizes, mas sabemos que é impossível agradar a todos".

Você mencionou os elementos mais pesados e este aspecto no seu som fica definitivamente enfatizado em faixas como "A Nightmare To Remember" do novo álbum, que em certos momentos é quase um flerte com o black metal, bem como a utilização de seus vocais guturais. Isso é algo que o DREAM THEATER vai explorar nos álbum futuros?

Portnoy: "Bem, eu sou um grande fã deste tipo de material e eu sempre estive por dentro de materiais mais pesados e o mundo do metal é uma grande parte do meu mundo.

Então trata-se de algo que sempre fez parte do DREAM THEATER, mas acho que cresce cada vez mais com o tempo... O metal está ficando tão diversificado, podemos ouvir OPETH ou SLIPKNOT ou TRIVIUM e isso leva a música a vários lugares diferentes. Mas na verdade, pessoas que ouviram este álbum disseram: 'Por que vocês estão ficando tão pesados?' (risos) Porém nós sempre tivemos este lado mais pesado. O que eu quero dizer é, se você ouvir a primeira música do nosso primeiro álbum, 'A Fortune In Lies', ela poderia ter sido uma música thrash metal! É tudo rápido, bumbo duplo e guitarras robustas, ela simplesmente não teve uma grande produção. Então eu acho que uma vez que nossa produção se torna maior e melhor a cada álbum, isso se mostra mais evidente.

E assim como você mencionou, eu tenho inserido mais vocais 'urrados', simplesmente porque acho que às vezes se encaixa melhor que o vocais limpos do James [LaBrie]. Não toda vez, mas às vezes. Então, acho que isso está mais evidente, mas na verdade, este lado mais pesado sempre fez parte do DREAM THEATER".

Para ler a entrevista completa (em inglês) acesse este link.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Dream Theater"Todas as matérias sobre "Mike Portnoy"


Dream Theater: 30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da bandaDream Theater
30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da banda

Mike Portnoy: compartilhando imagens com a mãe, falecida tragicamenteMike Portnoy
Compartilhando imagens com a mãe, falecida tragicamente

Dream Theater: Mike Portnoy diz que precisava de um tempo da bandaDream Theater
Mike Portnoy diz que "precisava de um tempo" da banda

Dream Theater: fãs queriam Pull Me Under fora dos shows, crê James LaBrieDream Theater
Fãs queriam Pull Me Under fora dos shows, crê James LaBrie

Sons of Apollo: novo álbum MMXX será lançado em janeiro de 2020; veja teaserSons of Apollo
Novo álbum MMXX será lançado em janeiro de 2020; veja teaser

Mike Portnoy: no colo do Papai Noel e reclamando de horários de shows no BrasilMike Portnoy
No colo do Papai Noel e reclamando de horários de shows no Brasil

Mike Portnoy: como estão sendo os shows com Noturnall e Edu Falaschi no BrasilMike Portnoy
Como estão sendo os shows com Noturnall e Edu Falaschi no Brasil

Em 04/11/1956: nascia o tecladista Jordan Rudess

Mike Portnoy: assistindo a jogo do Atlético-MG com músicos brasileirosMike Portnoy
Assistindo a jogo do Atlético-MG com músicos brasileiros

Em 26/10/1999: Dream Theater lançava Metropolis Pt. 2 Scenes from a Memory

Dream Theater: Petrucci toca tema de Super Mario na guitarraDream Theater
Petrucci toca tema de Super Mario na guitarra

Mike Portnoy: na bateria, filho tem habilidades além das que ele possuiMike Portnoy
Na bateria, filho tem habilidades além das que ele possui


Guitarra: o riff mais popular de todos os temposGuitarra
O riff mais popular de todos os tempos

Strip-Tease: algumas canções que combinam com o temaStrip-Tease
Algumas canções que combinam com o tema


Sobre Karina Detrigiachi

Designer, nascida na cidade de São Paulo, Kari como é mais conhecida, cresceu ouvindo Deep Purple, Led Zeppelin, Skid Row e Alice Cooper. É apaixonada por todas as vertentes do Metal, porém ouve de tudo um pouco sem se prender a rótulos.

Mais matérias de Karina Detrigiachi no Whiplash.Net.

adGoo336