Roger Franco: Muito além do Ministério Paixão Fogo e Glória

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Márcio Heck
Enviar Correções  



A Christian’s Voice tem o prazer de entrevistar com exclusividade, Roger Franco, guitarrista que tem obtido destaque, figurando entre os mais conceituados músicos cristãos atualmente. Além de ministrar workshops por várias partes do Brasil ao lado de nomes importantes da música nacional, é integrante do Ministério Paixão Fogo e Glória - PFG, liderado por David M. Quinlan. Roger acaba de lançar seu CD instrumental chamado "Energy", sobre o qual vamos falar a respeito nesta conversa.

Whiplash!: Roger, conte-nos um pouco do início, de como foram seus primeiros contatos com a música e quando se profissionalizou.

Roger Franco: Sou filho de pastor e sempre tive contato com a música através da igreja. Comecei a tocar bateria aos 13 anos, depois ganhei um violão do meu pai e aprendi alguns acordes. Praticava o que aprendia tocando nos cultos da igreja. Foi quando comecei a gostar do instrumento e resolvi comprar minha primeira guitarra. Me apaixonei! Iniciei a minha vida como músico-guitarrista aos 20 anos, e aos 22 já tocava profissionalmente.

Whiplash!: Quais foram suas influências no início? E hoje, o que tem te chamado atenção?

Roger Franco: No início busquei um pouco de tudo. Tocava muita música brasileira. Como eu dava aula precisava estar por dentro de todos os estilos. Foi uma época que eu estava me descobrindo musicalmente, buscando influências e definindo meu estilo. Costumava ouvir muito Petra, Whitecross, Bride, Mr. Big, e também esses clássicos brasileiros como Dilermando Reis, além de guitarristas como Satriani, Tony Palacios, Rex Carol, Eric Johnson, Chris Impellitteri e Paul Gilbert. Este último foi e é uma das maiores influências na minha vida como músico, e tive a honra de conhecê-lo e fazer uma JAM em uma de suas turnês.

Whiplash!: Há quanto tempo você participa do PFG e como foi seu ingresso no grupo? Quais CDs têm sua participação?

Roger Franco: David me convidou para gravar o CD "Fogo e Glória - Curitiba ao vivo" em 2000, depois disso o convite para entrar para o ministério integralmente veio em 2003. Minhas participações foram nos CD’s:

* Fogo e Glória – Curitiba
* Águas Profundas (Filho de Davi)
* DVD Coletânea ao vivo em São Paulo.

Whiplash!: Como funcionam as composições, letras e arranjos? Quem define ou opina mais, visto que todos os integrantes do grupo são competentíssimos em seus instrumentos.

Roger Franco: Geralmente o David traz as letras já com um arranjo no violão. Depois todos nós trabalhamos em conjunto harmonizando e arranjando, que são as horas mais prazeirosas (depois de tocar, é claro), pois você coloca suas idéias e experimenta muita coisa sempre tentando colocar sua identidade alí, e quando uma canção fica pronta, ou até mesmo um instrumental, é sempre muito bom.

Whiplash!: O DVD ao vivo em São Paulo traz um Roger Franco virtuoso e, ao mesmo tempo, dentro do ambiente espiritual e envolvente da gravação. O que podemos esperar dos próximos lançamentos?

Roger Franco: No DVD de São Paulo foi bem legal, porque foi uma releitura de antigos sucessos do PFG. Tivemos bastante liberdade para trabalhar os arranjos com vários improvisos e técnicas, já que o David e os outros integrantes gostam bastante e se identificam com a "maneira de se expressar à guitarra". No próximo CD não vai ser muito diferente. Mas agora com um diferencial: serão apenas músicas inéditas, onde os arranjos estão mais trabalhados. Buscamos sempre aprimorar, modernizar e pesquisar para se obter um resultado satisfatório. Aguardem!

Whiplash!: No seu ótimo disco "Energy", você traz um outro ângulo musical, soando bastante eclético e diferente do que se ouve no PFG. Conte-nos um pouco sobre as músicas e também da produção deste álbum.

Roger Franco: Este foi um trabalho que eu já desenvolvia ao longo da minha carreira. Tem músicas como "Speed Guitar", que foi composta no começo da minha carreira a mais de 7 anos, "Friends", que compus junto com meu amigo Márcio Mello. Traz alguns ritmos que foram e são influências minhas. Em "Pop Johnson" usei um pouco das minhas influências do Eric Johnson. Fiz o CD "Energy" com bastante carinho e bem eclético, como as minhas influências. Foi um álbum que gravei em um ano desde a pré-produção ao trabalho final. A maioria das idéias de arranjos já estavam prontas, mas trabalhamos alguns detalhes dentro do estúdio. O grande desafio foi buscar os timbres que eu queria, onde testamos e experimentamos várias formas de microfonação, amplificadores variados, tipos de salas, pré-valvulados e plugins. Gravei todos os temas com afinação padrão e busquei também uma boa timbragem de guitarra, pedais e do estúdio como falei. Executei alguns temas no contra-baixo que é um instrumento que eu já estudo a algum tempo. Foi bem legal porque em todas as faixas do CD, os solos foram improvisados na hora no estúdio, o que possibilitou captar toda expressão e o sentimento do momento. Tinham dias que eu ia para o estúdio e gravava e não gostava de nada que eu tinha feito, aí voltava no outro dia para gravar tudo de novo. Mas no final fiquei muito satisfeito com o resultado. Acabou dando um pouco mais de trabalho para tirar e decorar os solos para os shows e workshops... (risos)

Whiplash!: Várias faixas do seu disco são destaque, desde a "Speed Guitar", que abre o disco, até "Emotion", que é mais cadenciada e gostosa de se ouvir. Mas qual música você considera que melhor representa seu trabalho e qual delas foi mais complexa para ser elaborada e gravada?

Roger Franco: A que melhor representa é o tema "Energy", que compus em um dia e na madrugada seguinte fui para o estúdio com os músicos e a gravamos. A mais complexa foi "Franco Fusion", por ter vários ritmos, elementos de música brasileira como afoxé e alguma pitada de black music (que também tenho como influência forte) e solos de muitos instrumentos.

Whiplash!: Como está sendo a divulgação deste seu trabalho? Quais os planos para 2007, como carreira ‘solo’?

Roger Franco: Fiz dois lançamentos em Belo Horizonte e tenho feito muitos workshows nas capitais do Brasil. Com o apoio de algumas empresas tenho divulgado e distribuído o CD por todo Brasil. Quero em 2007 fazer uma maior divulgação do CD, já que acabamos de lançar. Tenho o projeto de estar gravando e lançando minha video-aula no primeiro semestre.

Whiplash!: Qual seu relacionamento com essa galera como Juninho Afram, Ricardo Soares, Ozielzinho, Jimmy Oliveira, Daniel Christian, guitarristas cristãos em geral? Muitos comentam a respeito da criação de um grupo aos moldes do ‘G3’ mas com guitarristas cristãos. Você acha isso possível?

Roger Franco: O relacionamento é muito bom. A maioria dessa galera aí eu conheço e tenho amizade. Muitos são grandes amigos, alguns nos encontramos pouco e outros já até estudaram comigo. Acho que um G3 seria legal, no meio gospel tem muitos guitarristas bons e em geral muitos músicos bons também. Acho que seria possível sim um "G3 gospel"... (risos)... Seria bem interessante, eu iria no show ... (risos)...

Whiplash!: Muitos dos bons músicos do Brasil estão dentro das igrejas, sendo que a maioria não está no contexto profissional, já outros estão em busca de ingressar nesse meio. O que você tem a dizer para as bandas ou ministérios que pretendem gravar e qual sua opinião sobre ser um profissional ou "artista" da música cristã?

Roger Franco: Posso falar de experiência própria. Se dediquem ao máximo, estudando individualmente (seja canto, instrumentos ou o que for relacionado nesse meio), ensaiem com os grupos, peçam sempre ajuda a profissionais com mais bagagem, tentem inovar e não simplesmente copiar o que já esta aí, e o principal, que a banda ou ministério sejam uma família, passem tempo juntos tocando e confraternizando e sempre com o coração no lugar certo, porque o reconhecimento e sucesso não são nada comparado ao que nosso Deus tem pra fazer através de nós músicos com nossos talentos que Ele tem nos dado. Dessa maneira o nosso Senhor vai honrá-los com certeza.

Whiplash!: Qual é a linha que divide a música para o seu trabalho, como profissional, e a música para louvor e adoração, no PFG, por exemplo? Existe uma separação?

Roger Franco: Sim, existe e é muito importante. Trabalhando como profissional independente do que estiver tocando e onde, você tem que ser profissional. Mesmo tocando em uma banda de louvor e adoração tem que ter profissionalismo. É um trabalho diferente onde tenho que saber exatamente como irei me comportar e tocar, sentir a dinâmica das músicas, saber onde colocar "poucas notas" ou "muitas notas", para não atrapalhar o "clima" e o conjunto. Mas com isso tento não perder a minha identidade como músico. Para mim o mais legal é que posso fazer do meu trabalho profissional uma coisa que envolve a minha vida espiritual que é o essencial, e ter muito prazer nisso.

Whiplash!: Mesmo com tanta bagagem musical, você separa um tempo para estudo? Quais seus métodos? Alguma dica em especial para quem está seguindo seu caminho nas seis cordas?

Roger Franco: Sim, já teve época em que eu estudava 10 a 12 horas por dia, mas atualmente com agenda do PFG, workshops, gravações eu acabo estudando menos. Sempre que tenho uma folga, estudo e busco aprimorar os meus conhecimentos. Costumo estudar bastante nas viagens, em hotéis, assim aproveito o meu tempo de folga. A dica é estudar e estudar... Não é necessário estudar 10 horas por dia, mas sim ter uma regularidade nos estudos. Criar mesmo um cronograma diário, e segui-lo sempre. Só assim os resultados irão aparecer.

Whiplash!: Quais bandas ou grupos você tem ouvido atualmente?

Roger Franco: Costumo ouvir mais musica instrumental de rock, fusion e blues, como Andy Timmons, Richie Kotzen, Paul Gilbert, Greg Howe e Blues Saraceno. E também bandas com vocal. Ultimamente estou ouvindo muito Steven Curtis Chapman e Lincoln Brewster.

Whiplash!: Como contratar workshop com Roger Franco? Onde é possível encontrar seu CD para compra?

Roger Franco: Pelo meu site é possível comprar o CD. Acesse o link que irá levá-lo direto ao shopping do PFG, onde você encontrará à venda o meu CD "Energy". E para contatos e workshop’s você também poderá acessar o meu site (www.rogerfranco.com) e lá terá maiores informações.

Whiplash!: Agradecemos imensamente a entrevista. Sinta-se à vontade para deixar um recado para os leitores da Christians Voice.

Roger Franco: Quero deixar um grande abraço a todos os leitores da Christians Voice, e nos encontramos por aí. Fiquem na Paz do Senhor!


Christians Voice

O impagável anti-rockO impagável anti-rock

White Metal Top 100White Metal Top 100

Resenha - Enter The Gate - Narnia

Christian's Voice: Amos, pioneiros do underground cristão nacionalChristian's Voice
Amos, pioneiros do underground cristão nacional

Christian's Voice: Ônix 8, pioneirismo no harcore melódico na cena cristãChristian's Voice
Ônix 8, pioneirismo no harcore melódico na cena cristã

Todas as matérias sobre "Christians Voice"



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Riff: palavra sem tradução na língua portuguesaRiff
Palavra sem tradução na língua portuguesa

Deuses do Rock: o tempo passa para (quase) todos elesDeuses do Rock
O tempo passa para (quase) todos eles


Sobre Márcio Heck

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.