RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

Slayer anuncia retorno e já tem data marcada para o primeiro show após 5 anos


Stamp

Octavision: supergrupo prog faz sólida estreia com toques armênios

Resenha - Coexist - Octavision

Por Victor de Andrade Lopes
Postado em 15 de janeiro de 2021

Nota: 9

No fechar das cortinas de 2020, um supergrupo internacional de nome Octavision lançou Coexist, um revigorante álbum de metal progressivo contendo tudo que o gênero oferece de bom. E perdeu uma grande chance de constar entre os melhores do ano...

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É que 29 de dezembro é uma das últimas datas que eu escolheria para lançar um disco (afirmação curiosíssima, pois minha resenha anterior foi sobre algo lançado em 1º de janeiro, data igualmente peculiar). É tarde demais para constar nas listas de destaques do ano (muitas das quais são, estranhamente, publicadas já em novembro) e cedo demais para ser considerado em 2021.

Mas enfim, fato é que, após anos e anos, o supergrupo Octavision finalmente pariu seu primeiro filho. Desde 2016, o responsável pela iniciativa, o guitarrista armênio Hovak Alaverdyan, vem tentando lançar a obra, alterando datas e fazendo promessas, ficando a mercê das agendas dos encorpados músicos convidados para a empreitada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E bota "encorpados" nisso: o projeto reúne medalhões como Victor Wooten e Billy Sheehan no baixo, Ara "Murzo" Torosyan e Steve Weingart nos teclados e Jeff Scott Soto nos vocais (embora só haja letras em duas das sete faixas). Na bateria, o não tão conhecido Roman Lomtadze. E completando o time, Avo Margaryan no blul (uma flauta típica armênia).

Sendo o líder um - exímio - guitarrista, era natural que a música aqui tivesse bastante foco em riffs e licks. Hovak ficou bem à vontade em sua própria "casa", mostrando-se um compositor e instrumentista do mais alto calibre. Mas ele abriu bastante espaço para os outros membros mostrarem sua virtuosidade, especialmente os tecladistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O baixo, mesmo empunhado por dois dos maiores nomes do instrumento, não foi tão valorizado na mixagem e acabou em alguns momentos soterrado pelos outros canais, o que de alguma forma não impediu os dois mestres de mostrarem, uma vez mais, porque são tão requisitados.

As faixas de Coexist são tão coesas que não faz sentido comentar uma por uma, exceto a "balada" de nome "Stormbringer". Digo "balada" assim, entre aspas, porque não é uma música melosa nem nada do tipo, e sim uma peça que decida quase metade de sua duração a passagens acústicas, algumas das quais lindamente conduzidas por um violoncelo. A outra metade é engrossada pela guitarra, mas sem toda a agressividade das suas companheiras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - GOO
Anunciar no Whiplash.Net Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além da infeliz data de lançamento, o único outro pecado do álbum foi ter tido um uso apenas tímido dos elementos armênios que foram prometidos. Sim, as escalas não usuais na música ocidental são marcantes e realçam ainda mais o lado "progressivo" da banda, e há momentos memoráveis como todas as intervenções de Avo e o solo de kanun pela musicista Anahit Artushyan em "Three Lives". Mas nomes como Myrath e Amaseffer fazem incursões bem mais densas no riquíssimo mundo da música oriental.

Sendo Jeff e Billy integrantes de outro supergrupo de metal progressivo (Sons of Apollo), as comparações serão inevitáveis, se bem que bobas. O Octavision entrega mais do que se esperaria dele, enquanto que o Sons of Apollo, com todo o seu som avassalador, nunca parece atingir a totalidade da soma de seus cinco integrantes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - CLI
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tivesse o álbum sido lançado mais cedo, com certeza teria constado em alguma lista de melhores lançamentos do ano (ao menos na minha, tinha lugar garantido). Mas como não foi, fica aqui minha primeira resenha de heavy metal de 2021 para um grande disco do gênero de 2020.

Abaixo, o clipe da faixa-título:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - DEN
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track-list:
1. "Mindwar"
2. "Coexist"
3. "Proctagon"
4. "Apocalyptus"
5. "Three Lives"
6. "Stormbringer"
7. "So It Begins"

FONTE: Sinfonia de Ideias
http://bit.ly/octavision

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Perc3ption: A arte em situações extremas

"Here Comes The Rain", último registro do Magnum com Tony Clarkin, é mais um bom registro

Resenha - Nebro - Vesperaseth

Sepultura: Em plena forma e com mais um disco brilhante

Deep Purple: Who Do We Think We Are é um álbum injustiçado?

Deep Purple: Stormbringer é um álbum injustiçado?

Megadeth: recuperando a fúria que faltava


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Andre Facchini Medeiros | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Jesus Leitão Souza | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Roberto Andrey C. dos Santos | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.
Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS