Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba


Stamp

A*al C*nt: Réquiem de uma lenda do noisecore

Resenha - Fuckin A - A*al C*nt

Por Fernando Bardamu
Em 22/09/20

Em 2020, a causticidade, niilismo e visceralidade já são valores ultrapassados na música extrema: todos devem se engajar politicamente. Todo mundo tem o dever de se demonstrar indignado em redes sociais. A música extrema deve ser um meio para delatar injustiças sociais. Humor, choque e visceralidade são abomináveis em uma cena recheada de bastiões da moral que se julgam encarnações do Bem na Terra.

O "Fuckin A´" é o réquiem de Seth Putnam em um planeta abarrotado de sujeitos de ego inflado, à esquerda e à direita, que cometem o erro triste e tirânico de se considerarem portadores da Virtude na Terra. Em um mundo de babacas que priorizam deuses políticos em detrimento da própria família, o niilismo hedonista de Seth Putnam é a trilha sonora de nossa tragicomédia contemporânea.

Destaques para: "I Wish My Dealer Was Open".

1. "Fuck Yeah!" 2:06
2. "Crankin' My Band's Demo on a Box at the Beach" 4:27
3. "Loudest Stereo" 2:56
4. "Kickin' Your Ass and Fuckin' Your Bitch" (Putnam) 2:17
5. "Hot Girls on the Road" 2:03
6. "Whiskey, Coke and Sluts" 3:06
7. "All I Give a Fuck About Is Sex" (Putnam) 1:46
8. "I'm Gonna Give You AIDS" (Putnam) 3:13
9. "Yay! It's Pink!" 2:35
10. "I Wish My Dealer Was Open"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Blend Guitar: em vídeo, as dez bandas mais bizarras de todos os tempos