Resenha - Sobrevive - Picanha de Chernobill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Com dez anos de carreira, o Picanha de Chernobill é uma banda gaúcha radicada em São Paulo, onde se tornou conhecida por realizar mais de mil shows gratuitos nas ruas da capital paulista. Com turnês internacionais e apresentações em diversos festivais (incluindo o Rock in Rio), o trio acabou de lançar o seu quarto disco, "Sobrevive". O trabalho completa uma discografia que conta também com o debut auto intitulado (2009), "O Velho e o Bar" (2011) e "O Conto, A Selva e O Fim" (2016).

Luís Mariutti para Nando Moura: "Estádio não se lota com views ou likes"Contra Costa Times: Os 25 melhores guitarristas da Bay Area

"Sobrevive" foi disponibilizado em CD e nos formatos digitais no início de setembro. O disco traz oito músicas em 43 minutos e entrega um rock bem na cara, repleto de riffs e uma performance instrumental certeira. O som não é focado na técnica mas sim na energia, na pegada, e o punch que o trio coloca em suas composições contagia o ouvinte.

Variando entre momentos mais selvagens como a ótima abertura "Hey Você!" e "São Muitos que Se Vão", além do apelo pop da contemplativamente ensolarada "Não Sou de Esperar", a banda brilha mesmo quando aproxima-se de seu lado mais psicodélico - ou viajante, chame como quiser. É explorando as diferentes dinâmicas de composições como as ótimas "Vou Embora", as duas partes de "Sofisma" e na sensacional "Brasil", que fecha o disco, que a banda mostra toda a sua força.

"Sobrevive" é um ótimo exemplo de como o rock segue vivo e criativo aqui no Brasil, apesar de praticamente ignorado pelos veículos de massa. O Picanha de Chernobill é uma banda excelente e que espero que tenha mais espaço, já que tanto lírica quanto musicalmente o trabalho do trio formado por Matheus Mendes (vocal e baixo), Chico Rigo (guitarra e vocal) e Leonardo Ratão (bateria) é muito acima da média e digno de todos os elogios possíveis.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Picanha de Chernobill"


Luís Mariutti para Nando Moura: Estádio não se lota com views ou likesLuís Mariutti para Nando Moura
"Estádio não se lota com views ou likes"

Contra Costa Times: Os 25 melhores guitarristas da Bay AreaContra Costa Times
Os 25 melhores guitarristas da Bay Area

Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os temposBateristas
Os dez músicos mais loucos de todos os tempos

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso

Roadrunner: os melhores frontmen de todos os temposRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos

O endereço do Rock: 8 locais imortalizados em músicas famosasO endereço do Rock
8 locais imortalizados em músicas famosas

Bruce Dickinson: o som do primeiro disco do Iron Maiden é uma merdaBruce Dickinson
O som do primeiro disco do Iron Maiden é uma merda


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336