Amos: Gothic White Metal Sul-Mato-Grossense

Resenha - Gothic Soul - Amos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por José Sinésio Rorigues
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Pero Vaz de Caminha, descrevendo a terra brasileira, disse que "dar-se-á nela tudo". E ele tinha razão! Embora ele não estivesse falando de Heavy Metal, no Brasil temos de tudo, inclusive bandas se dedicando a tudo o que é estilo de som pesado, e em todos os estados do país. Uma destas bandas é o AMOS, banda de Gothic Metal do Mato-Grosso do Sul.

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãTragédia e dor: O Blues, o Rock e o Diabo

Além de Caminha, cito também Carlos Drummond de Andrade, que disse: "Precisamos descobrir o Brasil! Escondido atrás das florestas, com a água dos rios no meio, o Brasil está dormindo, coitado". Então, que o Brasil acorde! O Brasil tem ótimas bandas de metal, que precisam se tornar conhecidas. Que tal começar com o Amos? Falemos de seu álbum Gothic Soul, lançado lá em 2001. O trabalho começa com uma rápida (e desnecessária) introdução de piano e, a seguir, nos vemos sob o som da faixa "In The Storm". Esta música não é lá muito rápida, nem muito pesada e a voz do vocalista/baixista Rodrigo não tem nenhum elemento que a torne especial, parecendo até mesmo meio abafada, o timbre de bateria é meio seco e simplório. Mas, ainda assim, a música é muito boa. O que vem a seguir é "Stranger", e a coisa melhora, pois é uma música com variações interessantes, começando meio morna, mas evoluindo para uma sonzeira feita com vontade. Gostei desta faixa, a primeira que eu conheci da banda, e cheguei a rolar no rádio, quando eu tinha um quadro de Heavy Metal num programa. A faixa "Promise" é meio morna, mas não ruim, veja bem. O direcionamento White Metal da banda fica bem escancarado na letra desta música. A seguir, nos deparamos com o ataque frontal da bombástica "Flower Of Blood", a melhor faixa do álbum. Música mais rápida que as demais, mais pesada que as demais, com a bateria atacando mais que nas demais. Ela tem um andamento interessante, com umas variações que lhe caíram muito bem. É uma música para ser ouvida com atenção, apreciando-se cada nuance de seus arranjos. Resumindo: essa valeu! Gostei também do andamento de "Memories", acústica, com um violão muito bem tocado. A música seguinte, a faixa-título, começa da mesma forma, mas evolui para uma sonzeira pesada, muito bem executada. "Evil's Root" é pesada e rápida, música muito boa, com um bom refrão. O trabalho encerra com três faixas bônus, que seguem basicamente a mesma linha das demais composições.

De um modo geral, as músicas do AMOS apresentam uma inegável identidade própria, transpirando atitude, sendo difícil até mesmo comparar esta banda com outras de mesmo estilo. Quem simplesmente gosta de música bem-feita e viajante vai se amarrar nisso aqui; já quem quiser um vocal vomitadão, bateria a milhão e guitarras cortantes, não vai encontrar estes elementos no som do grupo.

Formação do AMOS na época de Gothic Soul:
*Rodrigo Shimabukuro - Baixo e vocal
*Helder Domingues - Guitarra
*Evandro Vaz - Guitarra
*Klayson D'Moraes - Bateria
*Denis Subtil - Teclados

Track List do álbum Gothic Soul:
01 - Prelude
02 - In The Storm
03 - Stranger
04 - Promise
05 - Flower Of Blood
06 - Memories
07 - Gothic Soul
08 - Evil's Root
09 - Master
10 - Eternal Love
11 - The Son Of God

Bandas Similares:
AGLAROND, do México
ASHES YOU LEAVE, da Croácia
CORES DE FLORES, do Brasil
DEAD CAN DANCE, da Inglaterra (em algumas músicas)
IN GREY, da Suécia
MANDRAGORA SCREAM, da Itália
SAVIOUR MACHINE, dos Estados Unidos
SPELLGATE, do Canadá




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Amos"


Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Tragédia e dor: O Blues, o Rock e o DiaboTragédia e dor
O Blues, o Rock e o Diabo

Sepultura: Pavarotti gravou uma versão de Roots Bloody Roots?Sepultura
Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãTragédia e dor: O Blues, o Rock e o DiaboSaxon: "'Crusader' é nosso maior álbum", afirma Biff ByfordMax Cavalera: mais histórias insanas de sua autobiografia

Sobre José Sinésio Rorigues

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336