RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO rockstar que rejeitou duas vezes a Rainha Elizabeth II

imagemA música do Rush que a própria banda considerava "uma das piores"

imagemA mancada pela qual George Harrison disse que Eric Clapton jamais o perdoou

imagemO rockstar rejeitado pela Rainha Elizabeth II que foi condecorado, mas não por ela

imagemThe Cure: 5 bandas que o vocalista Robert Smith já declarou odiar

imagemA incrível banda obscura, brutal e bela que foi o Black Sabbath dos 90s para Scott Ian

imagemTim Ripper diz que sua era como vocal do Judas Priest foi "varrida para debaixo do tapete"

imagemFãs do Guns N' Roses tretam com Regis Tadeu nas suas redes sociais

imagemAnúncio do Parkway Drive como headliner do Summer Breeze causa chiadeira

imagemArnaldo explica por que saía do palco quando Titãs tocava hit de "Cabeça Dinossauro"

imagemDe e-mail a rolê com Mustaine, Kiko Loureiro conta como se tornou integrante do Megadeth

imagemNovo vocalista do Skid Row já estava na mira da banda há um bom tempo

imagem"Não estou agradando a Dave; Estou agradando o Megadeth", afirma Kiko Loureiro

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemOs motivos que levaram Jairo Guedz a sair do Sepultura na época do "Schizophrenia"


NFL Steve Harris

Soilwork: superando expectativas com The Ride Majestic

Resenha - Ride Majestic - Soilwork

Por Mateus Ribeiro
Em 17/07/19

Nota: 9

O Soilwork é conhecido por suas músicas extremamente pesadas, técnicas e cativantes. O disco "The Living Infinite", lançado em 2013, parecia ser o ápice de criatividade do grupo sueco. Por mais que tenha sido um marco na historia do death metal melódico (até por ser o único lançamento duplo da historia do subgênero), poucas pessoas imaginariam que o padrão de qualidade dos próximos lançamentos seria mantido. "The Ride Majestic", lançado em 2015, mostrou que o Soilwork ainda tinha muita lenha pra queimar.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Quem acompanha o trabalho da banda, sabe o que encontrar: peso, velocidade, MUITA melodia, quebradeira e os vocais versáteis característicos de Björn Strid. A linha mais moderna adotada em "The Living Infinite" (primeiro disco lançado após a segunda saída de Peter Wichers) foi mantida, mas sem perder a identidade alcançada ao longo do tempo.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Logo de cara, a faixa título abre o disco à lá Soilwork: breve intro, riff rápido, refrão grudento e melodia marcante. Só essa música seria suficiente para conquistar o ouvinte. Mas ainda há uma infinidade de ótimos momentos, como a "Death In General", "Enemies In Fidelity", "The Ride Majestic (Aspire Angelic)", a esquecida "Father And Son, Watching The World Go Down" (que é uma das músicas mais legais já escritas pela banda), a pedrada " Alight in the Aftermath", que chega a lembrar os primeiros discos do Soilwork e "Petrichor by Sulphur", que passeia por ritmos mais cadenciados e momentos mais agitados.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além da qualidade exacerbada dos músicos envolvidos, a produção perfeita ajudou muito no resultado final.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Se você não conhece o trabalho da banda e acha que o Soilwork é apenas "a banda onde o atual baterista do Megadeth tocava", o disco de 2015 é uma boa maneira de rever seus conceitos. Agora, se você gosta de Soilwork, sabe exatamente o que esse disco representa.

Disco após disco, o Soilwork mostra que sempre pode surpreender. Para a nossa sorte, positivamente!

Ano de lançamento: 2015

Faixas:

"The Ride Majestic"
"Alight in the Aftermath"
"Death in General"
"Enemies in Fidelity"
"Petrichor by Sulphur"
"The Phantom"
"The Ride Majestic (Aspire Angelic)"
"Whirl of Pain"
"All Along Echoing Paths"
"Shining Lights"
"Father and Son, Watching the World Go Down"

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Formação:

Björn Strid – vocal
Sylvain Coudret – guitarra e baixo
David Andersson – guitarra e baixo
Sven Karlsson – teclado
Dirk Verbeuren – bateria (último disco com a banda)


Outras resenhas de Ride Majestic - Soilwork

Resenha - Ride Majestic - Soilwork

Resenha - Ride Majestic - Soilwork

Resenha - Ride Majestic - Soilwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Dirk Verbeuren, baterista do Megadeth, diz que já pensou em desistir da música

Resenha - Övergivenheten - Soilwork

Soilwork afirma que vai continuar e vai fazer shows em memória de David Andersson

"Farei o meu melhor para continuar nosso legado musical", diz Björn Strid, do Soilwork

The Night Flight Orchestra vai continuar na ativa após morte de David Andersson

Nuclear Blast lamenta morte de David Andersson, guitarrista do Soilwork

Bastian Thusgaard, do Soilwork, se despede de David Andersson com mensagem tocante

Dirk Verbeuren, baterista do Megadeth, se despede de David Andersson

David Andersson: 30 músicas para relembrar o guitarrista da banda Soilwork

The Night Flight Orchestra faz postagem emocionante dedicada ao guitarrista David Andersson

Morre aos 47 anos David Andersson, guitarrista do Soilwork

Bastian Thusgaard, baterista do Soilwork, mostra como se toca "Dreams Of Nowhere"

O disco do Iron Maiden que mudou para sempre a vida de Björn Strid, do Soilwork

Soilwork lança "Övergivenheten", seu novo álbum de estúdio

Soilwork lança vídeo oficial de "Valleys Of Gloam", faixa do novo álbum

Soilwork: baterista foi esquecido no aeroporto quando a banda veio fazer shows no Brasil

Quadrinhos: qual banda de rock os heróis da DC ouviriam?

Suécia: 20 bandas de metal que não são nem de Gotemburgo, nem de Estocolmo

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Mateus Ribeiro

Fã de Ramones, In Flames e Soilwork. Ouve (quase) tudo, desde rock clássico até black metal.

Mais matérias de Mateus Ribeiro.