Atomic Blast: boa banda Thrash nacional sem modismos

Resenha - Devastation Begins - Atomic Blast

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pedro Hewitt
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mais uma boa banda Thrash Nacional, digna de resistência por ser uma das poucas que não brinca em serviço e que muito menos se deixa levar por esses traços modernos e "temporadas de verão rockeiras". Interessante observar como esse gênero, que teve seus dias de honra entre os anos 80'/90', sofreu grandes mudanças boas e ruins de uns tempos pra cá no nosso país, e é claro que o litoral do Piauí não ficaria de fora, como prova desta palavra, temos aqui o vindouro EP (Que longa duração de espera hein) do Atomic Blast. Pois The Devastation Begins, é mais uma pedrada para engrandecer ainda mais esse cenário brutal e resistente.

Ultimate Classic Rock: as filhas mais belas dos rockstarsSteve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião dele

Entrevistei a banda em 2018, onde comentam bastante polêmica envolvendo bandas, cenário e justamente este material que vos escrevo, link a seguir: "É comum bandas perderem a identidade para fazer um som mais popular".

Formado em 2010, a banda manda ver um Thrash Metal furioso, carregado de feelings, sem frescura e totalmente feito a ferro, com bastante influência de Whiplash, Kreator e Exumer, totalmente coeso e destacado, ainda mais pelas vozes do frontman, Léo Ferreira. São apenas pouco mais de 19 minutos de som, suficientes para os Thrashers deixarem seu recado aos ouvintes, sabendo com certeza que apesar do cenário bem carente de bandas do tipo na cidade natal, não desistem e não estão pra brincadeira. É nitidamente perceptível os riffs cortantes, batidas rápidas (Mãos de Artur parecem martelos de Sledge), backing vocals poderosos nos refrãos grudentos, solos diretos e bem eficientes, tudo que manda a verdadeira escola do Thrash Metal.

Com tudo isso, 5 faixas como Nuclear Dust (A mais conhecida), Return To Mosh (A música de arrancar cabeças) têm tudo para cair no gosto dos que ainda não conhecem a banda parnaibana. Fãs das bandas já citadas aqui, confiram sem pensar duas vezes, aqui é sonoridade insana.

Faixas:
1- The Devastation Begins (Intro)
2- Nuclear Dust
3- Running To The Abyss
4- Society Slaves
5- Return To Mosh

Integrantes:
Léo Ferreira - Guitar/Vocals
Bruno Nascimento - Guitar/Backing Vocals
Cleudyson Anderson - Bass
Artur Rios - Bateria




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Atomic Blast"


Ultimate Classic Rock: as filhas mais belas dos rockstarsUltimate Classic Rock
As filhas mais belas dos rockstars

Steve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião deleSteve Vai
As 10 melhores faixas de guitarra na opinião dele

Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraThrash Metal
10 novas promessas - incluindo uma brasileira

Ultimate Classic Rock: as filhas mais belas dos rockstarsSteve Vai: as 10 melhores faixas de guitarra na opinião deleKerry King: certo que fez coisa legal na sua carreiraDave Grohl: ele bebeu muito café e pensou que estava enlouquecendo

Sobre Pedro Hewitt

Estudante, Headbanger, amante de relações públicas, responsável pelo Infektor Self Festival & Toque Rápido ou Peça Perdão, trabalha desde 2015 com produção de shows em Teresina. Teve a oportunidade de trabalhar com grandes nomes do Metal como Onslaught, Air Raid, Enforcer, Fist Banger, Escarnium, entre outros.

Mais matérias de Pedro Hewitt no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336