Frank Zappa: Joe's Corsage é uma "sobra de estúdio" que vale a pena

Resenha - Joe's Corsage - Frank Zappa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jonathan Fernandes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Frank Zappa é conhecido por muitos como o "morto que não descansa". Afinal de contas, desde a sua morte em 1993, inúmeros álbuns póstumos têm sido lançados contendo o que muitos chamam de "sobras de estúdio". Na maioria das vezes, não vale muito a pena ir atrás desse tipo de material, pois ainda que você encontre algo inédito, você encontra também muitas coisas repetidas, além de versões piores de músicas já consagradas. Todavia, apresento aqui um desses materiais lançados postumamente que vale a pena dar uma conferida, a título de curiosidade: Joe's Corsage.

Frank Zappa: Box-set de "Hot Rats" terá inéditasDi'Anno: "Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"

O álbum foi lançado em 2004 e contém várias canções de "Freak Out" - primeiro disco de Frank Zappa lançado em 1966 quando ele comandava a banda The Mothers of invention -, mas sem aqueles "efeitos especiais" que davam a elas um ar experimental. Em Joe's Corsage, os arranjos são bastante crus, o que deixa canções como "Motherly Love", "I ain't got no heart" e "Anyway the wind blows" mais próximas do rhythm and blues. Aliás, em seu início, a banda parecia ter clara influência desse gênero, afinal também encontramos nesse álbum um cover de "Hitch Hike" (famosa canção de Marvin Gaye) e de "My babe" (da banda The Righteous Brothers).

Outras curiosidades do álbum são canções como "I'm so happy I could cry" e "Plastic People". A primeira foi lançada em 1968 no álbum "We're only on it for the money", mas com outra letra e outro título: "Take your clothes off when you dance". Ao que tudo indica, "I'm so happy I could cry" é a versão original da música. Quanto à "Plastic people", sabemos que ela pertence ao disco "Absolutely free" (segundo disco do Mothers), mas em Joe's Corsage ela soa muito mais como uma paródia de "Louie Louie", do cantor de R&B Richard Berry - também gravada pelo grupo britânico The Kinks. Em "Absolutely Free", a referida canção soa bastante experimental.

No mais, o álbum conta ainda com trechos de entrevistas do The Mothers. Em uma delas, Frank Zappa conta como entrou para a banda. Ele, na verdade, não fundou o grupo. Entrou para substituir um guitarrista que havia brigado com o vocalista (Ray Collins) e, posteriormente, se tornou o mentor.

Para concluir, Joe's corsage traz várias curiosidades sobre a origem do The Mothers e faz o ouvinte perceber que a banda modificou bastante o estilo de seus arranjos até o lançamento de "Freak Out", álbum marcado pelo estranhamento e pelo experimentalismo. Por essa razão, acredito que valha a pena ouvir essa "sobra de estúdio" chamada Joe's Corsage.

Contato: twitter @jonhnfp




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Frank Zappa"


Frank Zappa: Box-set de "Hot Rats" terá inéditasSom de Peso: em vídeo, uma resenha do Hot Rats, do Frank Zappa

Censura: A história da Parents Music Resource Center (PMRC)Censura
A história da Parents Music Resource Center (PMRC)

Homenagem: estes músicos são realmente o bichoHomenagem
Estes músicos são realmente "o bicho"


Di'Anno: Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!Di'Anno
"Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"

Fotos de Infância: Gene Simmons, do KissFotos de Infância
Gene Simmons, do Kiss


Sobre Jonathan Fernandes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336