Matérias Mais Lidas

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemMalmsteen ameaça cancelar show por que vocalista Jeff Scott Soto estava no local

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemFoto feita após fim da turnê mostra todos do Ghost sem máscaras, incluindo "Ghoulettes"

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemGuitarrista diz que não entrou na banda de Ozzy por não ter cabelo loiro

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemNeil Carter não é fã da voz de Ozzy e diz que sem bons músicos, história seria diferente

imagemJames LaBrie fala sobre a possibilidade de trabalhar novamente com Mike Portnoy


Stamp

Jethro Tull: o clássico álbum Aqualung

Resenha - Aqualung. - Jethro Tull

Por Ricardo Oliveira Andrade
Em 27/05/18

Em 1971 o cenário do rock borbulhava preparando para o restante da década uma porrada de bandas e trabalhos maravilhosos. Para citar alguns casos o BLACK SABBATH ainda lançava o seu terceiro álbum e o THE DOORS, solidificando sua carreira, perdia JIM MORRISON pouco após o lançar "L.A. Woman"; o LED ZEPPELIN apresentava seu quarto álbum e o PINK FLOYD ainda deixava as influências de SYD BARRETT com o disco "Meddle". E no meio de outras dezenas de feras o JETHRO TULL lancava o seu quarto trabalho intitulado Aqualung.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda inglesa era fortemente influenciada pelo blues, pelo jazz e pelo folk rock, suas letras exploravam os mais variados temas de maneira bem poetica e clara, o carisma do vocalista IAN ANDERSON se aliava a voz firulenta e aos temas de flauta executadas pelo mesmo. Em plena ascensão, o grupo nos deixou um álbum com muitas avaliações de fãs e da crítica especializada. Se tornou unânime uma definição de "Aqualung": todos o classificaram como um trabalho conceitual. Mas ANDERSON, sendo principal letrista do grupo, declarou que não havia nenhum conceito no clássico LP.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tamanha repercussão gerou no ano seguinte o álbum "Thick As A Brick", este sim conceitual e muito curioso pois havia uma unica faixa separada em algumas partes. Foi com certeza o momento em que a banda emergia no rock progressivo, firmando ainda mais a sua competência.

"Aqualung" tem momentos flamejantes na faixa título e em musicas como My God e Locomotive Breathe, mesclando a sutileza de Wondring Aloud e Slipstream; cada instrumento tem um andamento criativo e divertido, e o clima geral é de muita riqueza nos detalhes o tornando de grande entretenimento. As letras unidas de fato nos dão uma forte impressão de álbum conceitual e leva qualquer ouvinte a crer nisso, contrariando a declaração de seu próprio criador.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os temas são claramente anti-igreja, com a influência da própria experiência de IAN ANDERSON na infância, o conceito é claro quanto a situação de religiões serem o principal motivo de afastamento dos fiéis para com seu deus, e como toda grande composição precisa de argumentos, o conteúdo tem impacto a cada faixa que transcorre na interpretação única do líder do TULL.

Quem ainda não conferiu vale a pena conhecer o "Aqualung", e toda a vasta discografia do JETHRO TULL. Dissecar suas letras é uma experiência muito educativa e gratificante. Impossível parar de ouvir.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Iron Maiden: Steve Harris fala da influência do Jethro Tull

Mike Portnoy: os dez melhores discos de rock progressivo