Matérias Mais Lidas

Steve Vai: Eu não posso tocar como Yngwie Malmsteen; ninguém pode tocar como eleSteve Vai: "Eu não posso tocar como Yngwie Malmsteen; ninguém pode tocar como ele"

Bruce Dickinson, sem pensar duas vezes, revela pérola do Maiden que merece mais atençãoBruce Dickinson, sem pensar duas vezes, revela pérola do Maiden que merece mais atenção

Malas sem alça: dez vezes que astros do rock e do metal foram arrogantes em citaçõesMalas sem alça: dez vezes que astros do rock e do metal foram arrogantes em citações

A opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano BrownA opinião de Dinho Ouro Preto sobre o rapper Mano Brown

John Lennon: conheça a música que o uniu a Elton John e o reconciliou com YokoJohn Lennon: conheça a música que o uniu a Elton John e o reconciliou com Yoko

Vocalista do Saxon acha um pouco maluco Judas Priest tocar como um quartetoVocalista do Saxon acha "um pouco maluco" Judas Priest tocar como um quarteto

A opinião de Chester Bennington e Travis Barker sobre o MetallicaA opinião de Chester Bennington e Travis Barker sobre o Metallica

Capital Inicial: cinco músicas que foram escritas por Pit Passarell, do ViperCapital Inicial: cinco músicas que foram escritas por Pit Passarell, do Viper

Raul Seixas: a inusitada reação de Paulo Coelho ao saber da morte do compositorRaul Seixas: a inusitada reação de Paulo Coelho ao saber da morte do compositor

O sentimento de Pete Best, primeiro baterista dos Beatles, após ter sido demitidoO sentimento de Pete Best, primeiro baterista dos Beatles, após ter sido demitido

Homem rouba guitarra de R$ 43 mil enfiando-a nas calças; veja vídeoHomem rouba guitarra de R$ 43 mil enfiando-a nas calças; veja vídeo

Lemmy e Joey Ramone: a forte e verdadeira amizade entre duas lendas do RockLemmy e Joey Ramone: a forte e verdadeira amizade entre duas lendas do Rock

Capital Inicial: quem é a pessoa que inspirou o sucesso NatashaCapital Inicial: quem é a pessoa que inspirou o sucesso "Natasha"

COVID: nunca mais vamos nos livrar disso, diz Ian Anderson do Jethro TullCOVID: nunca mais vamos nos livrar disso, diz Ian Anderson do Jethro Tull

Por que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos TrilhaPor que Renato Russo não deixava ninguém sorrir no palco, segundo Carlos Trilha


Stamp

Canábicos: Por que não dizer Intenso?!

Resenha - Intenso - Canábicos

Por Victor Freire
Fonte: Rock'N'Prosa
Em 05/10/17

Nota: 8

O rock’n’roll é algo fascinante. Mesmo com toda a diversidade de sons distorcidos que aparecem a cada dia, o bom e velho rock’n’roll clássico é sempre um estilo bem-vindo. Os mineiros do Canábicos não pouparam espírito e entregaram um álbum bastante vibrante, e por que não dizer "Intenso"?!

O Intenso (2017) é o quarto álbum do grupo, que conta com André Clandestino (vocais), Murcego González (guitarra), MM (baixo) e Mestre Mustafá (bateria). Gravado no estúdio RockLab, com produção de Gustavo Vasquez, o Intenso (2017) foi lançado pela Monstro Discos em uma versão digipak, muito bem produzida, diga-se de passagem. A sintonia entre as músicas e o título do álbum foi diretamente passada para a arte.

Mergulhando na sonoridade do Canábicos, esse foi o primeiro trabalho deles que pude conferir. Quando comecei a audição, um riff com tonalidade bastante clássica que logo progride para levada mais pesada e rápida define o início de Planeta Estranho. Fora da Lei traz uma sonoridade mais moderna para o Canábicos, com um certo tom "stoner" e rock anos 90. As mudanças no estilo das músicas continuam em Intenso, faixa-título do álbum. A música incluiu até bandolim na sua melodia, o que proporcionou um contraste bastante interessante com um solo mais pesado e também o refrão. Um riff pesado com traços de Foghat e Lez Zeppelin dá início à Lei do Cão, uma de minhas favoritas do álbum ao lado de Viagem Espacial, ambas devem funcionar muito bem ao vivo. Falando ainda de Lei do Cão, a influência Zeppelin aparece ainda mais no momento do solo, iniciando de maneira psicodélica e progredindo para um momento mais rock’n’roll.

Progredindo no álbum, uma introdução com "phase" dá toda a atmosfera de Viagem Espacial. A música é bastante simples, quando comparada com as outras, mas é justamente a simplicidade dela que a torna uma grande música. As melodias ficam grudadas na sua cabeça, desde as estrofes iniciais ao refrão. Rotina volta a mostrar a versatilidade do Canábicos, misturando peso e passagens mais lentas recheadas de efeitos na guitarra — mais uma vez a veia Zeppelin pulsando.

Ao som de Eu não sei o que vai ser de mim contemplo toda a obra que é o Intenso (2017). O álbum mostra as diversas faces dos Canábicos — desde sua veia mais moderna à utilização de rock clássico e hard rock nas composições. No entanto, não é só uma diversidade musical qualquer, isso está muito bem montado nas composições e em perfeita harmonia no álbum. Esse era outro ponto que queria comentar, o Intenso (2017) é muito bom de ser ouvido; as músicas pesadas são intercaladas por composições mais lentas e com elementos variados. Em outras palavras, ele está bem longe de soar monótono.

#Canábicos — Intenso (2017)
Selo: Monstro Discos

1.Planeta Estranho
2.Fora da Lei
3.Intenso
4.Não Faz Sentido
5.Lei do Cão
6.Viagem Espacial
7.Rotina
8.Eu não sei o que vai ser de mim


Outras resenhas de Intenso - Canábicos

Canábicos: Um Rock n' Roll, acima de tudo, intenso

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Slipknot: como são os membros da banda sem as máscaras?Slipknot
Como são os membros da banda sem as máscaras?

Steven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeasSteven Tyler
Primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas


Sobre Victor Freire

Professor universitário e mestre em Engenharia Mecânica pela UFRN. Nascido no deserto de Mossoró/RN. É fã e colecionador de itens relacionados ao rock'n'roll. Editor-chefe do blog Rock'N'Prosa e guitarrista do Godhound. Acessa o Whiplash! desde a infância e colabora com o site sempre que possível.

Mais matérias de Victor Freire.