Crematory: "Live Inssurrection", 17 faixas de puro deleite auditivo

Resenha - Crematory - Live Insurection

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ivison Poleto dos Santos
ENVIAR CORREÇÕES  

Faz um bom tempo que não ouço falar de álbuns ao vivo. Ou não percebo o seu lançamento. Talvez as duas coisas. Mas é que parece que depois de tudo o que foi dito sobre os famosos overdubbings em álbuns famosos e clássicos, sobre o "Speak Of The Devil" do Ozzy e tudo o mais, os álbuns ao vivo ficaram manjados e os fãs com muitas suspeitas. É natural. Talvez seja apenas uma daquelas fases de recesso. Só isso. Mas receber o "Live Insurrection" do Crematory foi realmente uma surpresa. O Crematory é uma banda com muitos anos de estrada que eu, simplesmente, não conhecia. Fazer o que, não conhecia. Passou batido como muitas outras grandes bandas dos anos 1990 que passaram batido. Vergonhoso talvez, mas fazer o que? Reconciliar-me com o Crematory e escrever uma resenha de "Live Insurrection". Certo?

Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoAntes da fama: Atores que apareceram em clipes do Korn, Offspring, Aerosmith e outros

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A minha primeira impressão com "Live Insurrection" foi um grande deja vú. A música do Crematory estava na minha cabeça há muitos anos mesmo nunca tendo ouvido nada da banda. Conheci o tipo de som que o Crematory faz pelas coletâneas da Planet Metal no final dos anos 1990. Foi nelas que escutei pela primeira vez a mistura de vocais guturais com vocais limpos em músicas que não exploravam a velocidade da luz, como eu estava acostumado a ouvir nas primeiras bandas de metal extremo. E eu me lembro de ter ficado extremamente surpreso e impressionado. O uso de teclados para dar aquela atmosfera de horror e densidade para mim era uma completa novidade. Por isso, a sensação de deja vú com este álbum do Crematory que utiliza os teclados com a mesma competência para dar um clima soturno às suas músicas como em "Ravens Calling".

Muitos falam que os anos 1990 foram um desastre para a música pesada. Eu discordo completamente. O Metal se realmente se dividiu em vários subgêneros, mas isso ao invés de o enfraquecer, fortaleceu-o. Essa mistura de vocais limpos com vocais guturais é simplesmente uma das coisa mais legais que já inventada no Metal. Os caras que começaram a fazer isso deveriam ganhar um monumento. O poder de músicas como "Pray" não me deixa mentir. O Crematory foi uma das bandas que conseguiu colocar os teclados como instrumento essencial para o Metal, e o resultado podemos verificar em "Live Insurrection" que possui músicas marcantes como "Everything", que é uma espécie de hino para o Crematory. E fica muito melhor ao vivo. "And everything I lost" não conhecendo o Crematory antes…

"Live Insurrection" possui dezessete faixas de puro deleite auditivo. Mais uma demonstração do que nossos amigos lusos chamam de beleza bestial. O liricismo de "Everything" é simplesmente tocante. Também devo ressaltar o trabalho que a banda faz com os efeitos. Em qualquer outra banda eles soariam ridículos, mas o Crematory consegue integrá-los à sua música de forma magistral. Parece que as guitarras ficam ainda mais poderosas, que a bateria bate mais forte..

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sem saber, foram bandas como o Crematory que me fizeram gostar de metal extremo com os seus contrastes musicais em músicas como "The Fallen", cujo solo de guitarra é tão simples e tocante que fica sensacional. Um realce também para "Höllenbrand", cujo instinto faz a mágica.

A primeira vez com o Crematory foi muito bacana. "Live Insurrection" foi lançado em 8 de setembro pela Steamhammer / SPV. Eu sinceramente espero que eles lancem mais.

Lista de músicas:

1 - Intro
2 - Misunderstood
3 - Fly
4 - Greed
5 - Tick Tack
6 - Instrumental
7 - Haus mit Garten
8 - Ravens Calling
9 - Pray
10 - Everything
11 - Instrumental
12 - Shadowmaker
13 - The Fallen
14 - Höllenbrand
15 - Die So Soon
16 - Kommt näher
17 - Tears Of Time

Assista ao vídeo ao vivo oficial de "Everything" aqui:




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Antes da fama: Atores que apareceram em clipes do Korn, Offspring, Aerosmith e outrosAntes da fama
Atores que apareceram em clipes do Korn, Offspring, Aerosmith e outros


Sobre Ivison Poleto dos Santos

Veterano das guerras metálicas. Pesquisador, escritor, resenhista, músico frustrado (por isso tudo o anterior). Ao contrário da opinião comum, acho que o melhor do Metal ainda está por vir e que existem grandes bandas novas por aí. Só procurar. No meu caso elas vêm até mim.

Mais matérias de Ivison Poleto dos Santos no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280