The Cranberries: novo álbum transborda lirismo

Resenha - Something Else - Cranberries

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Roberto Rillo Bíscaro
ENVIAR CORREÇÕES  

Nota: 7

Em 1994, o Brasil se encantou com uma canção bem etérea da trilha internacional da novela A Viagem: Linger. A profusão de cordas e o vocal feminino conquistaram parte do mundo. Durante uns três, quatro anos, o planeta paparicou o The Cranberries com seu pop-rock filhote de Smiths com o dream pop psicodélico das bandas de nome curtinho da virada para os 90’s, tipo Ride e Lush. Dreams, Ode To My Family, Zombie; foram vários singles de sucesso, que começou a minguar conforme os irlandeses ficavam mais ásperos e políticos.

The Cranberries: vídeo de "Zombie" atinge 1 bilhão de visualizações no YoutubeMustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eis que a 28 de abril, as frutinhas vermelhas Dolores O'Riordan (voz), Noel Hogan (guitarra), Mike Hogan (baixo) e Fergal Lawler (bateria) amadureceram novamente, com o lançamento de Something Else. É uma coletânea dos maiores sucessos regravados acusticamente e com a participação da Orquestra de Câmara Irlandesa, cujo estúdio na Universidade de Limerick (terra-natal dos Cranberries) foi usado para gravar a trezena de faixas: dez regravações; três inéditas.

O resultado é bastante bom, com canções como Linger ficando ainda mais delicadas e lindas. Confira a balada cinquentista When You’re Gone, que ganha até banjo. A longo prazo, porém, a sobreposição dos violões acústicos dos Cranberries com as cordas da orquestra torna-se uma massa sonora – ainda que lírica e harmoniosa – indistinguível. Faixas cujos originais eram mais agressivos, como Zombie e Ridiculous Thoughts, adquirem nuances novas, mas será que algum fã troca o vigor dos singles noventistas?

A voz distintiva de Dolores O’Riordan sempre foi um dos pontos fortes dos Cranberries. Sucesso pop não vem necessariamente para quem tem a voz mais certinha à conservatório musical, mas para os que têm gogó marcante de algum modo. Aos 45 anos, seu vocal não apenas encontra-se no topo, mas está mais rico e sua pronúncia mais clara (ou sou eu que entendo melhor inglês agora?).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Essa expertise vocal salta aos ouvidos na mais linda dentre as inéditas, The Glory, onde ela consegue fazer canto de fadinha twee pop, sobre melodia de partir o coração. O single promocional de Something Else foi a faixa de encerramento, Why, emocionante balada sobre a perda do pai de O’Riordan. Rupture, a terceira inédita, não faz falta.

Tracklist
Linger
The Glory
Dreams
When You’re Gone
Zombie
Ridiculous Thoughts
Rupture
Ode To My Family
Free To Decide
Just My Imagination
Animal Instinct
You & Me
Why




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


The Cranberries: vídeo de Zombie atinge 1 bilhão de visualizações no YoutubeThe Cranberries
Vídeo de "Zombie" atinge 1 bilhão de visualizações no Youtube


Cranberries: relembre versão que Angélica gravou para LingerCranberries
Relembre versão que Angélica gravou para "Linger"

Ídolos imortais: Dolores O'Riordan, a doce voz do CranberriesÍdolos imortais
Dolores O'Riordan, a doce voz do Cranberries


Mustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?Mustaine
Por que ele perdeu seu emprego no Metallica?

Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?


Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário e edita o Blog do Albino Incoerente desde 2009.

Mais matérias de Roberto Rillo Bíscaro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280