Overkill: Mostrando o alto nível de sua fase atual

Resenha - Grinding Wheel - Overkill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O OVERKILL, embora nunca tenha alcançado o prestígio de grandes bandas do thrash, como as do Big Four, ou mesmo de outras como TESTAMENT e EXODUS, sempre foi um dos grupos mais respeitados do underground do estilo. E desde o maravilhoso "Ironbound", de 2010, a banda vem em um dos melhores momentos de sua carreira, lançando um disco sensacional atrás do outro, o que ocorre novamente com esse que é o 18º de sua carreira.

Guitar World: as 50 melhores canções de Rock de todos os temposSlipknot: Ozzy quis entrar pra banda segundo Corey Taylor

Com a porradaria comendo solta do começo ao fim, "The Grinding Wheel" é uma verdadeira pedrada thrash, que não dá descanso ao ouvinte, e trazendo a essência peculiar do OVERKILL de fazer música pesada, e que não é comparável com nenhuma outra banda do estilo.

E isso se deve principalmente ao baixo pulsante e presente de DD. Verni, que aqui se mostram ainda mais técnicos que de costume, conferindo um peso extra às composições, e às linhas vocais inconfundíveis de Bobby "Blitz" Ellsworth, que mesmo já sendo um tiozão, ainda detona.

Todas as faixas presentes no disco são bem interessantes, como a ótima abertura, "Mean Green Killing Machine", com seus riffs poderosos, ótimos andamentos, e um refrão dos mais grudentos.

E embora a banda mantenha intacto seu estilo, há ainda espaços para algumas inovações. A faixa título, que encerra o trabalho, mostra uma nova faceta da banda, em especial na sua parte final, com um clima épico obscuro até antes não utilizado pelos americanos.

A versão nacional (lançada em um belíssimo digipack pela Shinigami Records) ainda traz como faixa bônus o cover para "Emerald", do saudoso THIN LIZZY, e que ficou bem interessante, embora não fuja muito da versão original.

Ou seja, não há nada mais de se esperar aqui do que thrash metal da mais alta qualidade, feito por que entende do riscado, mostrando que o OVERKILL tem muita lenha para queimar ainda.

The Grinding Wheel - Overkill
(Shinigami Records - 2016)

1. Mean Green Killing Machine
2. Goddamn Trouble
3. Our Finest Hour
4. Shine On
5. The Long Road
6. Lets All Go to Hades
7. Come Heavy
8. Red White and Blue
9. The Wheel
10. The Grinding Wheel

Bonus Track:
11. Emerald (Thin Lizzy Cover)


Outras resenhas de Grinding Wheel - Overkill

Overkill: The Grinding Wheel na zona de conforto




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Overkill"


Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1991Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1991

Guitar World: 11 Álbuns Essenciais do Thrash MetalGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal


Guitar World: as 50 melhores canções de Rock de todos os temposGuitar World
As 50 melhores canções de Rock de todos os tempos

Slipknot: Ozzy quis entrar pra banda segundo Corey TaylorSlipknot
Ozzy quis entrar pra banda segundo Corey Taylor

O Clube dos 27: 17 roqueiros que sucumbiram à idade fatídicaO Clube dos 27
17 roqueiros que sucumbiram à idade fatídica

Reb Beach: Não me importo de dizer que Kirk Hammet é um bostaReb Beach
"Não me importo de dizer que Kirk Hammet é um bosta"

Temperatura Máxima: as atrizes pornôs que incendiaram o cenário RockTemperatura Máxima
As atrizes pornôs que incendiaram o cenário Rock

Rest in Playlist: Médium conta o que rockstars mortos ouvem hojeRest in Playlist
Médium conta o que rockstars mortos ouvem hoje

Pink Floyd: uma análise do álbum The WallPink Floyd
Uma análise do álbum The Wall


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336