Horisont: Melodia, guitarras gêmeas e 70's em disco cativante

Resenha - About Time - Horisont

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors' Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Vamos deixar claro desde o início: o som do Horisont é pra quem curte nostalgia e não está interessado em nada muito original ou inovador. Apostando em uma sonoridade que explora timbres e climas vindos direto dos anos 1970, a banda sueca chega ao seu quinto disco mostrando evolução, porém sem mudar uma única vírgula de sua proposta original.

Elvis Presley: De que ele morreu?Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas

"About Time" saiu dia 3 de fevereiro pela Century Media e traz dez novas canções do quinteto formado por Axel Söderberg (vocal), Charlie Van Loo (guitarra), Kristofer Möller (guitarra), Magnus Delborg (baixo) e Pontus Jordan (bateria). Percebe-se uma exploração mais constante das harmonias de guitarra, com um número maior de guitarras gêmeas que nos discos anteriores. Além disso, o trabalho de composição está melhor desenvolvido, com canções mais bem resolvidas. É nesse aspecto que a banda mostra a sua evolução, ao conseguir tirar o melhor e manter atraente a mesma proposta que explora desde o primeiro disco, lançado em 2009.

Há canções deliciosas em "About Time" como "Electrical", "Night Line", "Boston Gold" (os caras estão ouvindo bastante AOR) e "Dark Sides", sempre trazendo agradáveis melodias que nascem nas seis cordas - e quando falo em melodias, tenha em mente que são baldes e baldes e baldes de melodia respingando em cada faixa. Acrescentando variedade ao tracklist, a banda explora momentos mais introspectivos em "Point of No Return" e em "About Time", mas é quando aposta no terreno que domina com maestria que o grupo acaba se saindo invariavelmente bem, como percebe-se em "Hungry Love".

"About Time" completa uma sequência de três belos discos do Horisont, contando aí os últimos dois lançamentos do grupo, "Time Warriors" (2013) e "Odyssey" (2015). Há um distanciamento do flerte com o metal percebido no trabalho de 2015, e a inserção de alguns elementos mais etéreos e viajantes, principalmente pela presença de um bem encaixado teclado.

Se a sua praia é o som de ontem produzido por bandas de hoje, poucas são mais competentes do que o Horisont nessa proposta.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Horisont"


Elvis Presley: De que ele morreu?Elvis Presley
De que ele morreu?

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasCults
10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas

Voz: 10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)Voz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas de suas bandas (Parte I)

Entrevistas: Coices e tretas entre artista e entrevistadorEntrevistas
Coices e tretas entre artista e entrevistador

Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os temposSpin
As 30 melhores faixas instrumentais de todos os tempos

Nightwish: nos usar como inspiração ok, mas copiar não, diz FloorNightwish
Nos usar como inspiração ok, mas copiar não, diz Floor

Baixistas: Os 10 maiores segundo os leitores da Rolling StoneBaixistas
Os 10 maiores segundo os leitores da Rolling Stone


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336