The Cult: ainda nos presenteando com bons discos

Resenha - Hidden City - Cult

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Wander Luis de Melo Cruz
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Sempre tive a curiosidade em entender por que certas bandas tão grandes na Europa e nos EUA como os ingleses do THE CULT e DEF LEPPARD não tiveram tanta mídia no Brasil como tiveram bandas como IRON MAIDEN, METALLICA, KISS, PANTERA, GUNS N’ ROSES entre outros (que ao ver da pessoa que voz escreve, são brilhantes artistas).

5000 acessosSão Paulo Trip: início das vendas e possível preço dos ingressos5000 acessosDimebag: como ele transformou Dave Grohl no cara mais legal do rock

Destarte, o THE CULT para quem não conhece, foi uma das maiores bandas do final dos anos 1980, lançando discos impecáveis como “Love” (1985) – que tem uma pegada Hard Rock –, Sonic Temple (1989) produzido por BOB (METALLICA, MÖTLEY CRUE e BON JOVI) – que para muitos foi o melhor disco da banda – álbum recheado de clássicos do Rock como “Soul Asylum”, “Sweet Soul Sister”, “Edie (Ciao Baby)”, álbum que contou com Matt Sorum (GUNS N’ ROSES) na bateria. Após o grande sucesso comercial do álbum, JAMIE STEWART baixista da banda, decidiu sair da banda para montar o The UNTOUCHABLES, com ADRIAN SMITH, que havia saído do IRON MAIDEN na mesma época. Já em 1991 a banda laçara o disco Cerimony, com uma pegada do Hard Rock comercial, para mim, o melhor álbum da carreira da banda, que também contou com a produção de BOB ROCK, produtor que produziria os próximos álbuns da banda, inclusive o auto intitulado “The Cult” (1994), que é também um bom disco, mas sem o mesmo brilhantismo de seus dois predecessores

A banda teve um grande hiato entre 1995 e 2001, quando IAN ASTBURY (vocalista) e Duff BILLY DUFF(guitarra) decidiram se separar. Em 2001, a banda retorna e lança o bom Beyond Good and Evil (2001), realizando uma extensa turnê entre 2001 e 2002. Após um longo tempo para recompor as energias, IAN ASTBURY sai em turnê como vocalista do The Doors na tour de celebração de 2004.

Em 2007 a banda retorna com Born Into This (2007), álbum mais melancólico, tendência que a banda prometeu dar sequência nos dois próximos álbuns, e que foi confirmada em Choice of Weapon (2012), e agora com Hidden City 2016.

E é sobre esse último disco que vamos falar, álbum recém lançado no dia 05 de fevereiro, surpreendeu esse que vos escreve, pois havia ficado meio chateado o penúltimo lançamento. De fato, Hidden City é difícil de assimilar e não tem músicas que “grudam” rapidamente com refrões marcantes como os saudosos da fase Hard Rock gostam. Mas se você espera um álbum com melodias bem trabalhadas, com aquele mix de atmosfera melancólica e Rock n’ Roll, certeza que não se decepcionará. Aconselho a ouvir as faixas “Birds of Paradise” “No Love Lost” e “Dance The Night”.

O The Cult sem dúvidas é uma das bandas que merece que qualquer apreciador de Rock ouça sua discografia de uma ponta à outra. Enquanto muitos se enganam com os últimos álbuns do Megadeth, Avantasia e Iron Maiden (que é minha banda favorita desde sempre, mas que desde Dance Of Death que vem me decepcionando pelo seu conservadorismo musical), o The Cult, pouco badalado, ainda nos presenteia com bons discos e canções honestas. Vale a pena conferir!

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

São Paulo TripSão Paulo Trip
Início das vendas e possível preço dos ingressos

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Cult"

São Paulo TripSão Paulo Trip
As prováveis datas das apresentações...

GóticasGóticas
10 grandes bandas do gênero dos anos 80

The DoorsThe Doors
Banda esnobou Ian Astbury por 13 anos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de fevereiro de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Cult"

DimebagDimebag
Como ele transformou Dave Grohl no cara mais legal

VocalistaVocalista
Dez razões pelas quais os demais integrantes o odeiam

Motley CrueMotley Crue
Sebastian Bach chegou a ser chamado para o vocal

5000 acessosTragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e Metal5000 acessosTradução - Appetite For Destruction - Guns N' Roses5000 acessosReligião: os rockstars que se converteram5000 acessosLemmy Kilmister: o encontro inusitado com Max Cavalera em Londres4719 acessosCourtney Love: "Sei de garotas que pedem fotos de pênis, tenho uma filha"5000 acessosChe Guevara, Cuba, China: a proibição e Censura ao rock

Sobre Wander Luis de Melo Cruz

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online