Sordid Flesh: Mais abrangente, mais universal

Resenha - Torturer - Sordid Flesh

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


O Sordid Flesh foge um pouco da sonoridade extrema que a Suécia, sua terra natal, moldou há duas décadas dentro do Metal. O grupo formado em 2011 investe em algo mais abrangente, mais universal e que carrega influências de ícones ainda mais enraizados.

Runaways: Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim Fowley

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Torturer" é o primeiro e único disco da banda (até então) e trilha os caminhos do Death Metal que flerta com o Black Metal e o Thrash, mas nada traz rispidez ou melodia em altas doses. Apesar da alternância de ritmo e de arranjos mais elaborados, a sonoridade da banda segue uma linha mais ‘from hell’.

As influências se misturam desde SepticFlesh até Celtic Frost (com direito a ‘uhhhg’), mas a banda sabe impor suas características adotando arranjos de teclados bem finos e escondidos. Os vocais de Fredrik Håf são maléficos e inteligíveis, o que dá um diferencial a mais à sonoridade da banda.

A produção um pouco suja deu um pouco mais de rusticidade ao trabalho, porém pelas linhas desenvolvidas nos instrumentos poderia ser mais polida. Destaque para as faixas Mark of the Fallen, Rites at the Cemetery e Through Vile Infanticides. Enfim, "Torturer" é um bom disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

https://www.facebook.com/pages/Sordid-Flesh/210006332382288
https://soundcloud.com/sordid-flesh




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Runaways: Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim FowleyRunaways
Jackie Fox conta como foi estuprada por Kim Fowley

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280