Crucifixion BR: Enfim o debut destes guerreiros do Metal nacional

Resenha - Destroying the Fucking Disciples of Christ - Crucifixion BR

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Intenso! Esse pode ser um dos adjetivos pra definir o primeiro trabalho do Crucifixion BR, banda com quase 20 anos de atividades que antes lançara um álbum ao vivo, um split, um EP e duas demos. Este trabalho contou com o duo Juliana Dark Moon (bateria) e Lord Grave War (vocal/guitarra/baixo) - após o lançamento, a baixista Fernanda Gomes foi efetivada para tocar ao vivo.

Guitarristas: os sete mais influentes de todos os temposSeparados no nascimento: James Hetfield e Mano Menezes

Desde as letras abordando o oculto e cheias de blasfêmias até o instrumental caótico, tudo soa brutal e agressivo no disco. Apostando mais na velocidade, a banda não se faz de rogada e investe em algumas quebradas bem encaixadas e algumas passagens acústicas que caíram perfeitamente à proposta.

Juliana destrói e explora seu kit de bateria com muita pegada e raiva, enquanto Grave War destila riffs insanos que seguem uma mescla tradicional entre o Black e o Death Metal. Além disso, Grave War (também conhecido como Márcio Guterres) destila vocais odiosos e muito versáteis, que passam por berros, guturais e rasgados.

A produção do disco a cargo de Sebastian Carsin (Symphony Draconis, Frost Despair) e pelo próprio Grave War traz a banda para uma sonoridade mais atual, mesmo sendo seu som bem influenciado pelas raízes do Metal extremo. Um grande trunfo para o Crucifixion BR que consegue transitar entre o antigo e o atual.

Os destaques ficam por conta de Crucifixion, Eternal Judgement, End of a Life, Apocalyptic Sentence e Future Memories of a Hell. Ainda há um cover para Schizo, do Venom, que saiu em um tributo à banda de Newcastle. Se aprecias extremidade em seu estado bruto, não podes perder esse trabalho!

https://www.facebook.com/crucifixionbr
http://www.crucifixionbr.com/


Outras resenhas de Destroying the Fucking Disciples of Christ - Crucifixion BR

null



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Crucifixion BR"


Guitarristas: os sete mais influentes de todos os temposGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos

Separados no nascimento: James Hetfield e Mano MenezesSeparados no nascimento
James Hetfield e Mano Menezes

Nirvana: Kurt Cobain era meio pau no cu, diz produtorNirvana
"Kurt Cobain era meio pau no cu", diz produtor

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasChris Cornell: jornalista foi a último show e percebeu algo erradoGuitar Swing: Não tente fazer isso em casa, muito menos no showJudas Priest: Ian Hill fala sobre o "adeus" do Slayer e diz amar a banda

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.