Hatefulmurder: Estreia consolida identidade própria do quarteto

Resenha - No Peace - Hatefulmurder

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Cipriani Ávila
Enviar Correções  

9


Fundada em 2008, a banda carioca Hatefulmurder vem alicerçando cada vez mais o seu nome no cenário musical nacional. Com sonoridade calcada no Thrash/Death Metal, "No Peace" é o primeiro álbum completo gravado pelo quarteto. Sendo um trabalho conceitual, cujo foco principal é discorrer sobre as várias contradições e facetas das religiões, os nove temas estão intrinsecamente conectados, como se fossem apenas um que totaliza trinta e oito minutos de duração.

Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherO que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Produzido por Fabiano Penna e pelo próprio conjunto e disponibilizado pela Cogumelo Records no dia 4 de agosto, "No Peace" não necessita de muitas audições para logo chamar a atenção e empolgar o ouvinte. O que impera no disco, do início ao fim, é o peso e a agressividade características às escolas do Thrash/Death Metal, sem abrir mão, no entanto, de boas doses de melodia. Algo que se nota prontamente é a preocupação que o grupo tem em buscar uma sonoridade própria e única, fugindo do convencional, mas soando honesto, espontâneo, genuíno e fiel à sua trajetória.

Da abertura, "No Peace For The Wicked", com introdução assombrosa e riffs de guitarra marcantes e truculentos, passando por "Shackles Of Ignorance" e toda a sua fúria e belíssimo solo de guitarra, até "Scars To God", com ótimas linhas de contrabaixo e outro solo de Renan Ribeiro rápido, avassalador, mas ao mesmo tempo melódico e aprazível, temos uma banda afiada e concisa. Como já mencionado no parágrafo anterior, a conexão entre as faixas é algo bastante elogiável e torna a audição deveras prazerosa. Ponto para a banda. É importante ressaltar também a honestidade contida em cada tema, o que certamente contribui e muito para cativar o ouvinte de imediato. Em suma, temos um trabalho vocal irrepreensível de Felipe Lameira, que seguramente agradará os fãs do gênero, soando forte e claro, assim como do baterista Thomás Martin (incrível o quanto esse rapaz toca! Estupendo!), do guitarrista Renan Ribeiro, com riffs cortantes e solos de muito bom gosto, e de Romulo Pirozzi, responsável pela gravação do contrabaixo, embora não seja membro oficial (a banda conta atualmente com Felipe Modesto no line-up).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O ano de 2014 já nos brindou com uma série de discos memoráveis e consistentes, nos mais diversos subgêneros da música pesada. "No Peace" não fica atrás de nenhum deles no quesito qualidade e criatividade. Altamente indicado aos fãs do lado mais extremo e maléfico do Heavy Metal! Aprecie sem moderação e corra atrás da sua cópia!

Confira a lyric video do single "Gates Of Despair" e o videoclipe oficial da "Fear My Wrath":

Acesse também o SoundCloud da banda:

https://soundcloud.com/hatefulmurder

Formação atual:
Felipe Lameira – Vocal
Renan Ribeiro – Guitarra e backing vocal
Felipe Modesto – Contrabaixo
Thomás Martin – Bateria

Faixas:
1 – No Peace For The Wicked
2 – Gates Of Despair
3 – Under The Sway Of Plagues
4 – Worshipers Of Hatred
5 – Ways Of The Lust
6 – Burned To Ashes
7 – Fear My Wrath
8 – Shackles Of Ignorance
9 – Scars To God


Outras resenhas de No Peace - Hatefulmurder

Resenha - No Peace - HatefulmurderResenha - No Peace - HatefulmurderResenha - No Peace - Hatefulmurder



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionávelThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável


Cannibal Corpse: o pescoço gigante de George FisherCannibal Corpse
O pescoço gigante de George Fisher

O que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?O que os fãs de rock e suas vertentes pedem para beber em um bar?


Sobre Felipe Cipriani Ávila

Headbanger convicto e fanático, jornalista (graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas), colecionador compulsivo de discos, não vive, de modo algum, sem música. Procura, sempre, se aprofundar no melhor gênero de música do mundo, o Heavy Metal, assim como no Rock'n'Roll, de um modo geral, passando pelo clássico, pelo progressivo, pelo Hard setentista e oitentista, e não se esquecendo do Blues. Play It Loud!

Mais matérias de Felipe Cipriani Ávila no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280