Megadeth: "Youthanasia", talvez o último grande álbum da banda

Resenha - Youthanasia - Megadeth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Giales Pontes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Youthanasia de 1994, talvez o último grande álbum da banda. Bem, aqui o 'talvez' é mais do que adequado quando se fala em uma banda como o Megadeth, pois embora não tenham conseguido lançar nenhum álbum genial após Youthanasia, é impossível negar as qualidades de trabalhos como 'Endgame'(2009) e 'Th1rt3en'(2011).

Dream Theater: o suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?Separados no nascimento: Ian Hill e Stênio Garcia

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O fato é que esse clássico de Mustaine e cia conseguiu aglutinar tudo o que a banda tem de melhor: as harmonias refinadas, as melodias muito bem dosadas que nunca caem na pieguice, o ótimo nível de qualidade das composições, o peso bem equilibrado do instrumental, a voz assombrosamente original de Mustaine, tudo isso somado ao onipresente virtuosismo de seus músicos. Vale lembrar que mesmo em anos anteriores, quando a banda não tinha músicos tão técnicos quanto os da formação que gravou 'Youthanasia', ainda assim eles conseguiam injetar boa dose de técnica instrumental, sobretudo no tambem clássico 'Peace Sells... But Who's Buying'(1986).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

'Reckoning Day' não merece nem ser discutida. Sua entrada com uma bateria tribal é de empolgar até defunto! Esqueça qualquer argumento que tente denegrir a perfeição dessa música! É um clássico do heavy metal quer você queira ou não! De 'Train Of Consequences' tambem não há muito o que dizer. Escute o riff inicial dessa faixa, que descamba para um lance meio "swingado" com a entrada da bateria de Menza, e tente ficar indiferente. É incrível como o Megadeth consegue transformar uma música com uma harmonia discreta e aparentemente simples, em algo apoteótico!

'Addicted to Chaos' é mais cadenciada mas não menos poderosa. Seus riffs grudam na mente já na primeira audição. O solo de Friedman é particularmente sublime nessa faixa. Daí vem outra paulada clássica: 'A Tout Le Monde'. Dessa eu nem vou falar nada. Escute-a. É a única forma de explicar o quanto essa música é tocante para a alma de qualquer headbanger! 'Elysian Fields' poderia até ser considerada uma música pop radiofônica, não fosse o peso das guitarras. O refrão da música é grudento, mas sem deixar aquela sensação de "música feita pra vender". 'The Killing Road' é peso! Essa é a palavra que a define melhor. 'Blood Of Heroes' a exemplo de 'Elysian Fields', tambem mostra-se uma faixa bem acessível, inclusive se valendo do mesmo expediente usado na segunda, com "backings" em coro apoiando o refrão. Excelente! 'Family Tree' põe "no chinelo" muita bandinha de pop/rock endeusada pela grande mídia da época. A faixa-título é lenta, arrastada e mantem o bom nível das demais composições do álbum. Muito recomendada para quem prefere peso em detrimento da melodia. 'I Thought I Knew It All' segue a mesma linha de 'Addicted to Chaos', com ótimos riffs e solos, porem com um refrão mais marcante do que a segunda. 'Black Curtains' segue a linha mais arrastada com guitarras tambem marcantes e aqueles vocais de Dave, que mais parecem gemidos agonizantes de algum animal com dor nas entranhas. Por fim temos 'Victory', uma faixa a meia-velocidade, que mantem todas as qualidades mostradas no restante do álbum. Mas o que chama mais a atenção, é a letra, fazendo uma brincadeira muito legal usando títulos de músicas antigas do próprio Megadeth. Uma sacada genial!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E mais uma nota: agradeçam a poderosa cozinha de Nick Menza(Bateria) e Dave Ellefson(baixo). São estes dois senhores os responsáveis pelo fenomenal e bem dosado peso do álbum. No geral, 'Youthanasia' só não recebe uma nota 10 porque estamos falando do Megadeth: uma dessas bandas com uma discografia das mais sólidas, recheada de clássicos como o já citado 'Peace Sells...'(1986), 'Rust In Peace'(1990) e 'Countdown To Extinction'(1992). Ou seja, o Megadeth se encaixa naquele seleto grupo de bandas que não conseguiriam fazer um álbum ruim nem se eles quisessem!

Track-list
1.Reckoning Day
2.Train of Consequences
3.Addicted to Chaos
4.A Tout le Monde
5.Elysian Fields
6.The Killing Road
7.Blood of Heroes
8.Family Tree
9.Youthanasia
10.I Thought I Knew It All
11.Black Curtains
12.Victory


Outras resenhas de Youthanasia - Megadeth

Megadeth: os 25 anos do clássico YouthanasiaMegadeth
Os 25 anos do clássico Youthanasia

Megadeth: refinamento e composições certeiras em YouthanasiaMegadeth: Youthanasia, um dos discos que mudou minha vidaResenha - Youthanasia - Megadeth



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Megadeth"


Jack Bruce: músicos do Kiss, Sabbath, Megadeth e mais dão pêsamesJack Bruce
Músicos do Kiss, Sabbath, Megadeth e mais dão pêsames

Metal: dez álbuns provam que 1986 foi o ano do ThrashMetal
Dez álbuns provam que 1986 foi o ano do Thrash


Dream Theater: o suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?Dream Theater
O suposto plágio de música de Leandro & Leonardo?

Separados no nascimento: Ian Hill e Stênio GarciaSeparados no nascimento
Ian Hill e Stênio Garcia


Sobre Giales Pontes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336