Age of Artemis: Firmando banda como uma das principais no estilo

Resenha - Waking Hour - Age of Artemis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Desde o lançamento do debut “Overcoming Limits” (2011) muitas coisas aconteceram no Age of Artemis, principalmente com o vocalista Alírio Netto. Desde boatos em ingressar como ‘frontman’ do Angra até participar da versão brasileira do musical Jesus Cristo Superstar (ao lado de Igor Rickli e Negra Li), colocaram bastante o nome do cantor em pauta.
1164 acessosAge of Artemis: A emocionante despedida de Alírio Netto5000 acessosMini Iron Maiden: tocando "Ghost Of The Navigator" na escola

Tudo parecia ter deixado o Age of Artemis de lado, até que a banda aparece com este “The Waking Hour” mostrando uma evolução impressionante em relação ao primeiro disco, além de um amadurecimento natural e que o quinteto só estava ‘se fingindo de morto, para... enfim’.

Desde a parte instrumental e sua mistura de Power com Prog Metal, passando pelos arranjos intrincados e encaixados na medida certa, até os vocais de Alírio que aqui prova que é sim um dos melhores do estilo no Brasil e talvez o mais versátil da atualidade, tudo soa equilibrado.

Desde as guitarras de Gabriel "T-Bone" Soto e Nathan Grego, com bons riffs e solos bem elaborados, até a cozinha de Giovanni e Pedro Sena com uma coesão perfeita, servindo de estrutura básica para as composições. Alírio une agressividade e sutileza como poucos, variando bastante seu timbre.

Após a introdução Penance, a trinca inicial é soberba! Under the Sun é um hit certo e o flerte com a música brasileira na inclusão de tamborins na percussão foi uma ótima sacada (flertes que retornam na faixa Childhood), sendo que Broken Bridges mantém a energia e a faixa título é um Prog agressivo com quebradas excelentes.

Hanger and Shame, a balada Your Smile, trazendo facetas da MPB, New Revolution e a bônus Take Me Home (retirada do primeiro álbum) em versão piano, também merecem menção. A primorosa produção colaborou muito com a sonoridade da banda e a arte da capa é de tirar o chapéu. Sem dúvidas um dos melhores álbuns do ano.

http://www.ageofartemis.com.br/
https://www.facebook.com/ageofartemis

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Waking Hour - Age of Artemis

1374 acessosAge of Artemis: Segundo álbum mantém o nível de qualidade elevado

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

1164 acessosAge of Artemis: A emocionante despedida de Alírio Netto622 acessosAge of Artemis: Show em SP será o último de Alirio Netto0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Age Of Artemis"

VocalistasVocalistas
Alguns que poderão ser os novos ídolos do nosso Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Age Of Artemis"

Mini Iron MaidenMini Iron Maiden
Tocando "Ghost Of The Navigator" na escola

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Foi difícil evitar as drogas durante as tours

Heavy MetalHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos

5000 acessosOzzy Osbourne: No Rock In Rio, má impressão sobre o Brasil5000 acessosDane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor5000 acessosMusas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmente5000 acessosSlash: Música mais lucrativa, pior show e experiências sobrenaturais?1833 acessosCanal Riff: As Top 5 Músicas Favoritas de Badauí, do CPM221403 acessosMelhores shows de 2014: as escolhas do redator Pedro Zambarda de Araújo

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online