Emo: gênero que todos amam odiar sem conhecer absolutamente nada

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Robert Pfeiffer, Fonte: Wikipedia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Lembram daqueles adolescentes chamativos andando com roupas pretas ridiculamente apertadas, usando franjas enormes e com uma pose triste em meados de 2006? Lembram daqueles adolescentes iguais aos anteriores se não fossem pelas roupas coloridas e uma pose feliz em meados de 2010?

5000 acessosGaleria de fotos: 13 motivos para gostar de Rock N Roll5000 acessosKeith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Certamente a resposta seria "sim". E a opinião popular sobre estes grupos era sempre a mesma: "Emos".

Agora, eles eram mesmo emos? É claro que não.

Em todos estes anos este gênero foi deturpado ao máximo, a ponto que uma rápida pesquisa na internet revela textos, opiniões e fotos sempre repetindo a mesma coisa. Sempre denegrindo a imagem de um gênero que nunca foi o que é mostrado. Mas afinal, o que é emo então já que não se trata de grupo de adolescentes querendo aparecer?

Mais de uma década de desinformação fez com que todos acreditassem que bandas como MY CHEMICAL ROMANCE, SIMPLE PLAN, FALL OUT BOY e PARAMORE - e há quem diga que RESTART entra no meio - fazem parte do gênero. O que não sabem é que estão perdendo uma das mais recentes vanguardas da música. Gostando ou não das bandas é inegável a qualidade técnica de muitas, e a influência que causou na música atual, para o bem ou para o mal.

OBS: Não há obrigação nenhuma em gostar das músicas, das bandas ou do gênero, como também não é o motivo pelo qual escrevi isso. A única obrigação é saber que emo não é, nunca foi e nunca será aquilo que é conhecido popularmente como "emo", e que quase tudo não é aquilo que parece ser. Então, na próxima vez que verem algum artigo, uma notícia, uma matéria, um comentário, enfim, um post qualquer xingando o gênero por aquilo que não é, é por pura ignorância. E até não gostando de absolutamente nada que foi dito aqui, nunca é demais saber a verdade por trás de qualquer coisa.

Gosta somente de Death Metal, Punk ou MPB? Ótimo, mas também entenda que qualquer pessoa que diz gostar de música, independente do gênero que gosta, tem o dever moral de conhecer o resto. E conhecer da forma certa.

Emo surgiu em meados dos anos 80 com GUY PICCIOTO e sua banda, RITES OF SPRING, após descontentamento com a cena do punk e do hardcore na questão das letras. Ainda que a música fosse a mesma, as letras passaram a ter um foco muito mais pessoal, confessional e introspectivo.

Logo após surgiram outras bandas, como EMBRACE, também fundamentais tanto para o emo como o rock inteiro dos anos 90. Entre elas logo surge o JAWBREAKER, uma banda de 86 que só alcançou algum sucesso durante os 90, e principalmente em 95 com seu álbum principal, "Dear You".

Curiosidade: Kurt Cobain era fã de Jawbreaker e existem várias fotos dele usando camisetas da banda.

No início dos anos 90 surge a principal banda emo, o lendário grupo SUNNY DAY REAL ESTATE. Eles não só mudaram o caráter musical inteiro do gênero como também o modo de escrever. A música passa a ser mais atmosférica, enquanto as letras atuam de forma menos descritiva e muito mais figuradas, simbólicas e metafóricas.

A música feita pelo Sunny Day Real Estate abriu caminho para todas as bandas que seguem, de uma forma mais séria, experimental e poética. São conhecidos como os "godfathers" do emo.

Curiosidade: A banda surgiu em Seattle mas nunca tocou nada próximo ao grunge, tanto em questões musicais como de estética, uma vez que possuíam uma abordagem totalmente contrária.

Curiosidade 2: Dois integrantes da banda, WILLIAM GOLDSMITH e NATE MENDEL foram os primeiros integrantes do FOO FIGHTERS logo antes do lançamento do primeiro álbum. Nate Mendel continua até hoje na banda.

(Em "Grendel" é possível ouvir um poema em grego sendo recitado pelo vocalista, guitarrista e compositor JEREMY ENIGK antes e depois do refrão. A música possui tantas camadas que com um bom par de fones é também possível escutar inúmeras vozes, gritos abafados e sons destoantes).

Também no início dos anos 90 surgia uma outra banda importante, liderada pelos irmãos MIKE e TIM KINSELA, com uma abordagem totalmente nova, o CAP'N JAZZ. Ainda que fosse uma banda simples foi responsável por um dos maiores fenômenos da música alternativa daquela época, que acaba por influenciar de alguma forma grande parte da música da década seguinte. Não foi tão importante com suas músicas, mas sim com seus integrantes que formaram suas próprias bandas e definiram o gênero.

Geralmente as letras são totalmente sem sentido e as músicas são esquisitas.

Curiosidade: Todos os integrantes do CAP'N JAZZ formaram bandas que definiram o gênero. TIM KINSELA (vocalista) formou o JOAN OF ARC, conhecido por experimentalismo e composições minimalistas, math rock e ligadas também com elementos de música eletrônica. MIKE KINSELA (baterista) forma o AMERICAN FOOTBALL, uma das bandas mais importantes do gênero e que mudou a cena músical, sendo ligado principalmente ao Jazz e math rock. DAVEY VON BOHLEN (guitarrista) formou o PROMISE RING, ligado ao experimentalismo, minimalismo e a importância das letras.

Em 1994 surge o MINERAL, talvez a banda mais séria, poética e trágica de todas estas. Com apenas dois álbuns em sua discografia e alguns Splits, conseguiram criar músicas extremamente catárticas. A partir deste ponto começa-se a notar uma grande influência literária dentro das letras do emo. As letras e composições do guitarrista e vocalista CHRIS SIMPSON capturam perfeitamente a essência da poesia confessional de autores como Robert Lowell e John Berryman. O trabalho principal do grupo, "EndSerenading", é mais um ensaio poético musicado do que um simples álbum.

Um dos pontos fortes quanto a musicalidade da banda é o fato da maioria das músicas serem feitas em cima de arpejos de duas guitarras em um crescendo até chegar ao ápice. Após o término da banda, CHRIS SIMPSON e outro integrante formaram o THE GLORIA RECORD, que ainda sendo emo caminhava para o Post-Punk.

Nunca poderia recomendar o bastante essa banda, pelo que acredito que seja uma das maiores injustiças o fato de serem tão desconhecidos até hoje e com uma qualidade técnica e emocional tão grande.

Em 1995 surge o THE PROMISE RING, liderados pelo compositor, guitarrista, vocalista e letrista DAVEY VON BOHLEN, ex-guitarrista do CAP'N JAZZ. PROMISE RING é uma banda interessante, pois possui um conceito extremamente diferente de tudo: os álbuns não são feitos para escutar como um álbum normal.

Se existe alguma banda para culpar pelos adolescentes de franja que querem aparecer são eles. O que é curioso, pois eles nunca fizeram nada nem parecido como das bandas falsamente rotuladas "emos", sem falar que o vocalista era careca. Neste tempo a mídia em geral começou a dar atenção ao gênero e não demorou muito para começar a fabricação de bandas como DASHBOARD CONFESSIONAL, que estragou a imagem do emo - mas vendeu muito. Também influenciaram duas bandas realmente emos que acabaram entrando no mainstream alguns anos depois, o JIMMY EAT WORLD (que inclusive tem referências ao THE PROMISE RING em algumas músicas) e o THE GET UP KIDS.

THE PROMISE RING é uma banda que, para conseguir apreciar verdadeiramente, precisa de atenção. As letras em sua grande maioria são jogos de palavras e com um tipo de escrita totalmente experimental que conclui seu sentido quando ligada a música. Algumas músicas possuem apenas uma frase sendo repetida.

O primeiro álbum da banda, "30º Everywhere" é repleto de referências a vários poemas de Sylvia Plath, e ainda que não tenha a mesma abordagem do "Nothing Feels Good", as músicas dependem muito do sentido figurado e do simbolismo. Em uma das músicas, "Heart of a Broken Story" (mesmo nome de um conto de Hemingway), é possível interpretar como uma história sobre vergonha e negação, ainda que a letra fale literalmente sobre camisetas rasgadas, rádio, verão e um espelho.

Já em outros exemplos de músicas como "Make Me a Chevy" e "B is for Bethlehem" (ambas do álbum "Nothing Feels Good") a letra não possui um sentido verdadeiro, e nem precisa. Todas as músicas desse álbum são feitas para serem analisadas em sua totalidade pelo grande número de jogos de palavras. Assim sendo, o sentido não existe dentro da letra, e sim o sentido é a forma que tudo é escrito.

Depos da banda se envolver em um acidente com uma van e DAVEY VON BOHLEN descobrir um tumor em seu cérebro, os trabalhos posteriores a "Nothing Feels Good" tomaram uma direção mais pop.

Em 1993 surge a banda BRAID, mas só atingem alguma repercussão em 1998 com o álbum "Frame & Canvas". É interessante chamar atenção a essa banda pois ela difunde o Math Rock dentro do emo. Math Rock é um subgênero que junta tempos diferentes (geralmente ligados ao Jazz), acordes dissonantes, contrapontos e experimentalismo.

Então em 1997 surge o AMERICAN FOOTBALL, que define e gênero e fecha com louvor a década com seu primeiro e único álbum também chamado de "American Football". Esse álbum é de extrema importância a música em geral, tanto pelas letras, complexidade nos arranjos e também por ser a banda mais icônica de todas estas, graças a capa de seu único álbum.

É recomendado prestar atenção nas músicas para ouvir toda a complexidade rítmica e melódica.

(Ainda que gosto seja algo completamente subjetivo, nunca conseguiria entender como alguém poderia não gostar desta música.)

Para completar e fechar os anos 90, existe uma banda igualmente importante mas muito menos conhecida que todas estas, o RAINER MARIA. O nome é em homenagem ao poeta alemão "Rainer Maria Rilke".

Provavelmente a maioria das bandas com vocalistas femininas no mesmo estilo de PARAMORE devem ter puxado sua influência de RAINER MARIA.

Após um período sem muitas bandas emos boas e enfoque da mídia em deturpar o gênero inteiro com bandas produzidas para adolescentes, começou a acontecer o que é chamado de "Emo Revival". Impulsionado por bandas como BRAND NEW e seu Opus Magnum lançado em 2006, o genial "The Devil and God are Raging Inside Me", e outras bandas como EMPIRE! EMPIRE! (I WAS A LONELY ESTATE), THIS TOWN NEEDS GUNS, FOXING e THE WORLD IS A BEAUTIFUL PLACE & I AM NO LONGER AFRAID TO DIE o gênero chegou em outro nível, como se tivesse unido absolutamente tudo que já havia sido feito e criado um som completamente novo.

EMPIRE! EMPIRE! (I WAS A LONELY ESTATE) é uma banda perfeita para todos que procuram por letras perfeitamente construídas para servir seu propósito. É possível achar inúmeras referências a poetas confessionais e outros escritores, especialmente Robert Lowell.

A banda mesmo é KEITH LATTINEN e sua esposa, CATHY LATINEN. Keith toca todos os instrumentos em estúdio, incluindo saxofone que aparece em várias músicas da banda. Usam uma formação de apoio fixa hoje em dia para tocar em shows.

(Provavelmente uma das músicas com o desenvolvimento mais catártico que já escutei.)

THIS TOWN NEEDS GUNS é o melhor exemplo para explicar o Emo Revival, com melodias ricas e arpejos complexos.

THE WORLD IS A BEAUTIFUL PLACE & I AM NO LONGER AFRAID TO DIE é uma das melhores quando se trata de técnica e experimentalismo.

FOXING vale totalmente a pena conferir. Com um álbum único com melodias lindas e complexas chamado "The Albatross" não é difícil passar a gostar da banda.

PIANOS BECOME THE TEETH também é uma ótimo exemplo do "Emo Revival" inteiro.

Aqui, a genial "Ripple Water Shine" do novo álbum da banda, "Keep You".

Para aqueles que procuram algo mais pesado mas ao mesmo tempo sem perder as importância dada as letras e a atmosfera única do gênero, existem bandas que criaram o que hoje é chamado de "Screamo", e é igualmente deturpado como o emo.

Este seguimento do gênero vem desde o final dos anos 80 com várias bandas como BOYS LIFE, I HATE MYSELF, DRIVE LIKE JEHU, SAETIA, INDIAN SUMMER e a principal, FUNERAL DINER. Hoje conta com bandas como TOUCHÉ AMORE, OLD GRAY e PIANOS BECOME THE TEETH e THE SADDEST LANDSCAPE (nos álbuns anteriores ao "Keep You").

FUNERAL DINER com seu álbum principal que definiu o gênero, "The Underdark".

Emo Revival da mesma vertente com TOUCHÉ AMORE.

Se você aguentou ler até aqui e até mesmo escutar uma música que outra, como é descobrir que o gênero é algo absolutamente diferente do que falam?

E se ainda não estão convencidos, é só procurar qualquer foto de qualquer uma banda dessas e ver como são pessoas normais, que se vestem normalmente (talvez tirando pelo The World Is... e Teen Suicide) e nunca fizeram músicas para adolescentes, nunca foram produzidos e... nunca nem foram conhecidos direito.

Muitas outras bandas realmente importantes como CHRISTIE FRONT DRIVE foram deixadas de lado para economizar espaço, e mesmo assim o texto ficou enorme. Caso você tenha se interessado e queira escutar mais, confira em baixo a lista das bandas com seus álbuns principais e que MERECEM ser escutados.

OBS: Existem várias outras bandas com ótimos álbuns, mas a melhor forma de descobrir o gênero é seguindo o trabalho dessas bandas.

RITES OF SPRING - "Rites of Spring"
JAWBREAKER - "Dear You"
MINERAL - "The Power of Failing" e "EndSerenading"
SUNNY DAY REAL ESTATE - "Diary"
CHRISTIE FRONT DRIVE - "Stereo" e "Anthology"
FUNERAL DINER - "The Underdark"
RAINER MARIA - "Look Now, Look Again"
AMERICAN FOOTBALL - "American Football"
TEEN SUICIDE - "waste yrself" e "i will be my own hell because there is a devil inside my body"
BRAID - "Frame & Canvas"
CAP'N JAZZ - "Analphabetapolothology"
BRAND NEW - "The Devil and God are Raging Inside Me" e "Deja Entendu"
THE PROMISE RING - "30º Everywhere", "Nothing Feels Good" e o EP "The Horse Latitudes"
EMPIRE! EMPIRE! (I WAS A LONELY ESTATE) - "What it Takes to Move Forward"
THE WORLD IS A BEAUTIFUL PLACE & I AM NO LONGER AFRAID TO DIE - "Whenever, If Ever"
DRIVE LIKE JEHU - "Drive Like Jehu"
INTO IT. OVER IT. - "Proper"
JIMMY EAT WORLD - "Bleed American" e o EP "Stay On My Side Tonight"
JOAN OF ARC - "How Memory Works"
TEXAS IS THE REASON - "Do You Know Who You Are?"
THE GET UP KIDS - "Something to Write Home About"
THE GLORIA RECORD - "Start Here" e os dois EPS "A Lull in Traffic" e "The Gloria Record"
FOXING - "The Albatross"
THIS TOWN NEEDS GUNS - "This Town Needs Guns" e "Animals"

Menções honrosas:

TEEN SUICIDE para quem gosta de lo-fi, minimalismo e algo realmente diferente (ainda que essa música não seja tão diferente comparada ao resto da discografia).

Experimentalismo total do JOAN OF ARC.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 02 de fevereiro de 2015
Post de 05 de fevereiro de 2015
Post de 23 de fevereiro de 2015
Post de 27 de julho de 2017


0 acessosTodas as matérias da seção Matérias

Galeria de fotosGaleria de fotos
13 motivos para gostar de Rock N Roll

Keith RichardsKeith Richards
Colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Guns N RosesGuns N' Roses
"Quer ver algo cedo? Vá assistir Friends!"

5000 acessosOs diários secretos de Roger Waters5000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro5000 acessosSeparados no nascimento: Edu Falaschi e Luciano Huck5000 acessosDazed & Confused: Um despretensioso filme alçado a status de cult4055 acessosMortal Kombat: depois de Roger, Pitty ataca de dubladora5000 acessosDio: "demitir Vivian foi seu maior erro", diz baixista

Sobre Robert Pfeiffer

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online