Matérias Mais Lidas

imagemMaiden faz homenagem a Eddie, do Stranger Things, que foi inspirado em tragédia real

imagemOs dez álbuns de Heavy Metal favoritos de Rob Halford, e os dez de qualquer gênero

imagemA prática mesquinha de bandas que Edu Falaschi considera "desrespeitoso com o fã"

imagem10 músicas dos Beatles das quais Paul McCartney não gostava

imagemRichard Fortus diz que Axl Rose danificou as cordas vocais

imagemQuando Dave Mustaine mostrou como tocar uma música do Metallica de forma mais pesada

imagemJoão Gordo diz que era um "bolsominion homofóbico" e explica motivo

imagemO mega sucesso do Led Zeppelin que era pra ser uma piada mas se tornou um hino

imagemLed Zeppelin: Crítica de George Harrison fez Jimmy Page compor "The Rain Song"

imagemMembros do Metallica ficaram deslumbrados com "Master Of Puppets" em "Stranger Things"

imagemSlash explica porque o Guns N' Roses faz shows de 3 horas e meia

imagemAerosmith: O pior e o melhor álbum da discografia segundo Joe Perry

imagemO que Lemmy Kilmister aprendeu trabalhando como roadie de Jimi Hendrix

imagemO clássico dos Stones que foi escrito em um motel e não deixou Keith Richards satisfeito

imagemLíder do Behemoth mostra seu lado menos satânico e já chorou com música sobre Jesus


Airbourne 2022
Finlandia 2022

Pearl Jam: Deixando as camisas de flanela de lado

Resenha - Lightning Bolt - Pearl Jam

Por Thiago El Cid Cardim
Em 20/11/13

Vamos, de uma vez por todas, deixar as camisas de flanela de lado. Sério. Os caras do Pearl Jam envelheceram, como era de se esperar, e seu som amadureceu. Convivam com isso. O grunge ficou para trás – até porque, sejamos honestos, se eles continuassem insistindo neste tipo de sonoridade, existia uma chance imensa de soar falso, forçado, artificial. "Lightning Bolt", o 10o álbum de estúdio da trupe de Eddie Vedder, não é um disco grunge. Mas sim um disco de rock. Não é violento, angustiante, urgente. Mas ainda assim é forte, vibrante, intenso, envolvente.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Estamos falando de um disco com ares de rock de arena, musculoso e vigoroso, que não tem qualquer medo de experimentar, de flertar, de curtir, sem o patrulhamento, sem as cobranças, sem a necessidade de gritaria e cabelos arrancados. Livre para ser apenas e tão somente rock – o que, no caso do Pearl Jam, já é bastante.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Os fãs mais radicais, aqueles que acompanham a trajetória do quinteto desde os primórdios, não precisam arrancar os agora rarefeitos cabelos. Vou arriscar aqui uma comparação perigosa mas que, na minha cabeça, faz sentido. Ao abrir o disco com "Getaway", já vemos nitidamente que este é um Pearl Jam muito mais Foo Fighters do que Nirvana. Uma banda que ainda tem poderio e calibre para vibrar de maneira punk como em "Mind Your Manners", o impressionante primeiro single, ou para mostrar intensidade suficiente para chacoalhar os incautos esqueletos roqueiros, como na faixa-título. Mas que também se encontra suficientemente confortável para rasgar o coração em uma power ballad como "Sirens".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Na gostosa "Let the Records Play", a cadência do baixo de Ament consegue dar uma ambientação quase blues à canção, enquanto a semi-acústica "Sleeping by Myself" conversa com a mais pura música country de raiz dos EUA. Quer mais? Em "Infallible", a banda encarna praticamente os veteranos do The Who, uma de suas grandes referências, mas numa versão longe de soar datada ou apenas reverente, mas sim moderna e dinâmica. De longe, uma das melhores músicas do disco – e também uma das mais grudentas, leia-se. Para encerrar os trabalhos, eles entregam "Future Days", talvez a canção menos típica da banda neste álbum, uma balada delicada, com um sutil dedilhado de violão, que tem uma leve referência de souther rock. O resultado é lindo, simplesmente de arrepiar.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O céu se abriu em Seattle. Ainda é possível ver os raios reluzindo nos céus, assim como ainda é possível escutar ao longe o ressoar de alguns trovões. Mas agora também é possível sentar no jardim, com uma lata de cerveja do lado, para curtir os raios de sol do entardecer rasgando por entre as nuvens. Como eu disse antes, este é o Pearl Jam de 2013. Convivam com isso.

Line-up
Eddie Vedder – Vocal
Stone Gossard – Guitarra
Mike McCready – Guitarra
Jeff Ament – Baixo
Matt Cameron – Bateria

Tracklist
1. Getaway
2. Mind Your Manners
3. My Father's Son
4. Sirens
5. Lightning Bolt
6. Infallible
7. Pendulum
8. Swallowed Whole
9. Let the Records Play
10. Sleeping by Myself
11. Yellow Moon
12. Future Days

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva


Outras resenhas de Lightning Bolt - Pearl Jam

Resenha - Lightning Bolt - Pearl Jam

Resenha - Lightning Bolt - Pearl Jam

Resenha - Lightning Bolt - Pearl Jam

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Pearl Jam: "Sempre serei grato ao Red Hot Chili Peppers"

Nirvana, Pearl Jam e Kid: os 100 anos de perdão do Rock



Sobre Thiago El Cid Cardim

Thiago Cardim é publicitário e jornalista. Nerd convicto, louco por cinema, séries de TV e histórias em quadrinhos. Vegetariano por opção, banger de coração, marvete de carteirinha. É apaixonado por Queen e Blind Guardian. Mas também adora Iron Maiden, Judas Priest, Aerosmith, Kiss, Anthrax, Stratovarius, Edguy, Kamelot, Manowar, Rhapsody, Mötley Crüe, Europe, Scorpions, Sebastian Bach, Michael Kiske, Jeff Scott Soto, System of a Down, The Darkness e mais uma porrada de coisas. Dentre os nacionais, curte Velhas Virgens, Ultraje a Rigor, Camisa de Vênus, Matanza, Sepultura, Tuatha de Danaan, Tubaína, Ira! e Premê. Escreve seus desatinos sobre música, cinema e quadrinhos no www.observatorionerd.com.br e no www.twitter.com/thiagocardim.

Mais informações sobre

Mais matérias de Thiago El Cid Cardim.