RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemFatboy Slim confessa ter se arrependido de conhecer David Bowie pessoalmente

imagemA influente banda que acabou causando a "separação" do Guns N' Roses

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemO megahit dos Beatles inspirado em desenho de amiguinha do filho de John Lennon

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemAs polêmicas escolhas do Nirvana para o "MTV Unplugged in New York"

imagemQuando o Lynyrd Skynyrd irritou Mick Jagger ao abrir o show dos Rolling Stones

imagemOzzy Osbourne é contemplado com dois Grammy na edição de 2023 do evento

imagemO hit da Legião Urbana que Renato Russo considerava "pretensioso e babaca"

imagemLendário empresário do Kiss se manifesta sobre acusações de playback de Paul Stanley

imagemAs 5 bandas confirmadas no Summer Breeze Brasil que não tocarão em outras cidades

imagemA única música tocada no Festival de Woodstock que atingiu o primeiro lugar nas paradas

imagemA curiosa origem do apelido "Mago" que Fabio Lione ganhou no Angra

imagemMike Portnoy diz que nunca ouviu nenhuma música da cantora Beyoncé

imagemNovo álbum do Angra será o melhor da era Fabio Lione, segundo Felipe Andreoli


Stamp

Aerosmith: Os 35 anos de "Live! Bootleg"

Resenha - Live! Bootleg - Aerosmith

Por Paulo Giovanni G. Melo
Fonte: Ultimate Classic Rock
Postado em 28 de setembro de 2013

Existe uma máxima que diz que o ano de 1978 foi "o ano dos álbuns ao vivo" por causa de uma série de lançamentos, agora lendários, incluindo "If You Want Blood (You’ve Got it)" do AC/DC, "Some Enchanted Evening" do BLUE OYSTER CULT, "Stage" de David Bowie, "Two fo the Show" do KANSAS, "Double Live Gonzo" de Ted Nugent, "All Night Long" de Sammy Hagar, "Bursting Out" do JETHRO TULL, "Bring It Back Alive" do THE OUTLAWS, "Live and Dangerous" do THIN LIZZY, "Tokyo Tapes" do SCORPIONS, "At Budokan" de Bob Dylan e "Live in New York" de Frank Zappa.

Entre todos estes álbuns, o "Live! Bootleg" do AEROSMITH (lançado em outubro de 1978) foi único, de todas as maneiras. Enquanto a maioria dos discos listados acima foram beneficiados com correções certeiras em estúdio, muitas vezes sendo remixados e com overdubs adicionados antes de chegarem às prateleiras das lojas, "Live! Bootleg" fez jus ao seu nome, com uma inclassificável arte de capa, áudio fiel ao executado, sequenciamentos de canções descuidados e, às vezes, performances zoadas da própria banda. Agora, se esta apresentação surpreendentemente honesta do AEROSMITH foi intencional ou se foi o melhor que puderam obter da banda no auge de seu envolvimento com substâncias ilícitas, isso é até passível de discussão, entretanto é inegável o entusiasmo sobre o resultado final.

Para começar, ao contrário dos outros álbuns mencionados anteriormente que foram alterados em estúdio, "Live! Bootleg" fez questão de ser uma apresentação ao vivo real e não parecer uma experiência de um concerto perfeito. A qualidade do áudio e o barulho do público variam de música para música, gravações feitas em galpões enormes, pequenos clubes e até uma sessão de rádio é sequenciada de forma indiscriminada. Performances de clássicos do AEROSMITH como "Back in the Saddle", "Sweet Emotion", "Lord of the Thighs, "Walk This Way" e "Dream On" executadas espontâneamente sempre à beira da genialidade da banda.

"Live! Bootleg" inclui, decididamente, interpretações sujas de "Back in the Saddle", "Toys in the Attic" e "Last Child", sem prejuízo, e você ainda encontra, sem aviso prévio, uma versão de "Draw the Line" no final da canção "Mother Popcorn"... e ainda pode ouvir fogos de artifícios em "Mama Kin".

Em suma, "Live! Bootleg" é uma bagunça espetacular, que retrata bem o que o AEROSMITH era no final dos anos 1970 e, portanto, não é só uma reprodução de um show fantasticamente divertido. É talvez o mais autêntico disco ao vivo daquele período. Vamos deixar isso para debate no fórum abaixo, mas, seja qual for sua decisão pessoal, todos temos que concordar que é um grande álbum que continua entretendo, confundindo e maravilhando gerações, tantos anos depois.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N' Roses e Motley Crue.
Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo.