Mammoth Mammoth: hard/stoner cru, direto e muito cativante

Resenha - Vol. III: Hell's Likely - Mammoth Mammoth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  


Quarteto australiano dos mais interessantes, o MAMMOTH MAMMOTH faz uma mistura muito interessante entre stoner metal, sludge e hard rock, com uma sonoridade vibrante e cheia de atitude. Neste novo disco, lançado no finalzinho de 2012, os caras mostram que, mesmo com uma curta carreira, já estão prontos para se tornarem referência da música pesada na terra dos cangurus.

Andreas Kisser: "Eloy Casagrande talvez não seja humano"

Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?

Embora tenha uma sonoridade bem particular, o som da banda traz influência das mais diversas, como AC/DC, POISON, CLUTCH, ORANGE GOBLIN e, em especial, de FU MANCHU. Tudo é bem direto, cru e agressivo, mas sem deixar de lado a qualidade dos arranjos, e a criação de melodias cativantes e grudentas, que levam o ouvinte a sair cantando tudo logo após a primeira audição do material.

Faixas como "Hell’s Likely", "Go" e "Bare Bones" são verdadeiros socos na cara do ouvinte, transmitindo uma energia acima da média, e remetendo o ouvinte direto aos primórdios da música pesada. Já "(Up All Night) Demons to Figth" é mais voltada ao hard rock (com um dos riffs mais interessantes do disco, e um refrão matador), assim como "Sittin Pretty", que até lembra algo da fase clássica do KISS.

Na sequência, "I Want It Too" é mostra o lado mais sludge e punk da banda, com uma levada reta e intensa.

E encerrando as faixas inéditas do trabalho, temos "Bury Me", a mais arrastada e melancólica do disco, com claras influências de CATHEDRAL.

A produção de Jason PC Fuller também merece menção, deixando tudo bem cru e sujo, mas muito interessante, em especial o ótimo timbre das guitarras, e a atenção dada às vozes, que não se sobressaem frente aos demais instrumentos. Já as demais faixas do disco são bônus, do primeiro EP da banda, e apesar de bem legais, possuem uma qualidade de gravação bem inferior.

Um disco excelente, e que vale a aquisição sem pensar duas vezes, "Vol. III: Hell’s Likely" é daquelas obras que demorarão para sair de seu player, e o seguirão por um longo período de sua vida. Altamente recomendado para todos os apreciadores da música pesada de qualidade.

http://www.youtube.com/watch?v=9_99cOvpEPg

Nota 9,0

Vol. III: Hell’s Likely – Mammoth Mammoth
(2012 – Napalm Records - Importado)

1. Hell's Likely
2. Go
3. Bare Bones
4. (Up All Night) Demons to Fight
5. Sittin Pretty
6. I Want It Too
7. Bury Me

Bônus (Vol I: EP)
8. Another Drink
9. Let's Roll
10. Weapon Of Mass Self Destruction
11. Slacker
12. The Bad Oil

Lineup:
Mikey Tucker - Vocals
Ben Couzens - Guitars
Frank Trobbiani - Drums
Pete Bell - Bass



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Andreas Kisser: Eloy Casagrande talvez não seja humanoAndreas Kisser
"Eloy Casagrande talvez não seja humano"

Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?Mamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin