RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Stamp

Age Of Woe: um som pesado, grosseiro (no bom sentido) e sujo

Resenha - Inhumanform - Age Of Woe

Por Vitor Franceschini
Postado em 06 de julho de 2013

Nota: 8

O release deste quinteto sueco diz que a banda foi fundada pelo "impulso do desejo de explorar as vastas paisagens do Punk e do Metal". Se você espera algo do tipo Crossover pode ir buscar respirar outros ares, pois o som dos caras passa longe disso.

O Age Of Woe faz um som pesado, grosseiro (no bom sentido) e sujo. Aliás, o timbre das guitarras são sujos, a produção é suja (mas de qualidade) e os vocais de Sonny Stark esgoela um semi gutural inteligível e extremamente grave. Tudo isso com um clima maléfico e de muito ódio.

Death Metal, Crust e Sludge são os estilos mais explorados, mas há uma variação inteligente na música dos caras, e em alguns momentos o som para em uma quebrada e chega a ficar até arrastado, beirando o Doom Metal. O mais incrível é que a agressividade e a raiva permanecem.

Não posso deixar de mencionar a trinca que se inicia com a Sludge/Stoner Black Rain, que é seguida pela brutal At First Light e para podrona e até melódica Red Eyes. As outras composições não ficam atrás, mas essa trinca resume bem a sonoridade da banda e parecem interligadas de alguma forma.

Completada por Gonzo Icognito e Martin Brzezinski (guitarras), Sven Lindsen (bateria) e André Robsahm (baixo), a banda não mede esforços e estreia bem com este debut. É o tipo de som pra espantar os demônios, ou aproximá-los ainda mais!

http://ageofwoe.net/
http://www.facebook.com/ageofwoe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze

LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.
Mais matérias de Vitor Franceschini.