Necromancia: na ativa contra a vontade de tudo e todos

Resenha - Back from the Dead - Necromancia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar Correções  

9


É incrível ver como certas bandas, quanto mais o tempo passa, mais elas se mostram renovadas e vigorosas, dispostas a encarar as dificuldades e se manter na ativa contra a vontade de tudo e todos com atitude e muita, mas muita música, e é o caso do veterano NECROMANCIA, trio do ABC paulista, que retorna à carga com tudo em seu novo trabalho, o destruidor de pescoços 'Back from the Dead'.

Megadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo

Metallica: a habilidade com as baquetas de James Hetfield

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O trio que mantém uma integridade musical firme desde 1987, quando surgiram na coletânea ao vivo 'Headthrashers Live', é conhecido por saber evoluir musicalmente sem abrir mão de sua identidade, só que agora, o Thrash Metal da banda ganhou um tempero de groove muito bem feito, mas que deixa este CD abusivamente pesado e bruto, mas sem perder a classe e refinamento que a experiência lhes deu. Ou seja: é uma bordoada bem dada, daquelas que todo banger que se preza precisa tomar nos ouvidos para se sentir vivo.

Produzido pelo próprio trio e Ciero, e gravado no Da Tribo Studio em SP, a sonoridade que flui do CD é bem pesada, gordurosa e intensa, sem deixar espaços ocos, mas ao mesmo tempo, há definição sonora o suficiente para que a música da banda soe clara e sem embolar, ou seja, cada instrumento é ouvido como deve ser. A apresentação visual do disco é muito boa, antenada co o conteúdo lírico da banda, mas com um toque de classe, graças ao belo trabalho de Luciano "Magoo" Trindade

Musicalmente, o NECROMANCIA mostra que ainda tem muita lenha para queimar, com muito peso, agressividade e energia que transbordam do CD aos borbotões, e um apanhado de ótimas músicas, tendo seus pontos altos na pancadaria veloz de 'Playing God', com riffs e solos inspirados de Marcelo (único membro original da banda ainda na ativa); o arregaço de 'Under the Gun', mais cadenciada e pesadíssima, com uma base baixo-bateria maciça e bem variada, especialmente pelos ótimos bumbos; a animalesca e intensa 'Back from the Dead', esmagadora em seu andamento mais cadenciado, com ótimos backing vocals e o baixo mostra suas garras; a também cadenciada 'Birth... Suffering... Death...', naquele estilo Thrash/Sludge pesado e sem frescuras, da forma que um SACRED REICH costumava fazer; a pogante 'Global Fall', que causará rodas de slamdancing e pescoços doídos devido às doses de energia que a canção tem; a quebra-casas 'Afraid of Being Alive'; e chave de ouro de 'Death Lust', veloz e instigante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um CD que merece muito respeito, uma ouvida com carinho, e o investimento trará uma satisfação absurda, bem como ossos quebrados e torcicolos homéricos.

Back from the Dead - Necromancia
(2013 - Voice Music - Nacional)

Tracklist:

01. Playing God
02. Under the Gun
03. Back from the Dead
04. Necrosphere
05. Birth... Suffering... Death...
06. Global Fall
07. Near Death Experience (N.D.E.)
08. Necrology
09. Afraid of Being Alive
10. Sinister Mind
11. Deah Lust (Bonus Track)

Formação:
Marcelo d'Castro - Vocais e guitarras
Kiko d'Castro - Bateria
Roberto Fornero - Baixo


Outras resenhas de Back from the Dead - Necromancia

Necromancia: Uma aula de brutalidade, bom gosto e evolução

Necromancia: Mantendo a honra do Thrash Metal do ABC

Necromancia: Mais uma aula de thrash metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Megadeth: fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeoMegadeth
Fã tem siricutico ao encontrar Mustaine; veja vídeo

Metallica: a habilidade com as baquetas de James HetfieldMetallica
A habilidade com as baquetas de James Hetfield


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280