Inmoria: um dos melhores discos de power metal em anos

Resenha - Farewell To Nothing; Diary Part 1 - Inmoria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos


Para quem não conhece o INMORIA (o que é normal, pois a banda é praticamente desconhecida no Brasil) foi formado em 2008 por Dan Eriksson, ex-baterista do TED MOROSE, que resolveu montar sua própria banda, inclusive, no início, tocando todos os instrumentos. Posteriormente, resolveu se concentrar apenas nas guitarras, convidando outros amigos e ex-membros também do TAD MOROSE para entrarem na banda.

Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas após a saída do vocalista Charles Rytkönen (MORGANA LEFAY) do INMORIA, muitos questionaram se a banda conseguiria seguir caminho. Mas, após a entrada de Søren "Nico" Adamsen (ARTILLERY, CRYSTAL EYES) - e que também deixou a banda após o lançamento do disco -, a banda conseguiu não só superar seu primeiro registro, como lançar um dos melhores discos de power metal em anos.

A banda pratica uma sonoridade pesadíssima, moderna e muito intensa, primando pela agressividade no lugar do excesso de velocidade. E isso graças aos riffs pesadíssimos e marcantes de guitarra, aliados a ótimas linhas de teclado, que são usados sem excesso, apenas para dar um clima mais soturno e macabro às faixas, com muito sucesso. Para se ter uma ideia da sonoridade da banda, imaginem o BRAINSTORM na fase entre os discos "Ambiguity" e "Liquid Monster", mas bem mais pesado e menos melódico.

Adamsen também é um show à parte, com suas linhas vocais excelentes, seja nos momentos mais melódicos, seja nos mais agressivos e rasgados, em que se destaca ainda mais.

Dentre os destaques, cito as pesadíssimas e marcantes "Blinded", "End of the Line", "The Mirror", "Hear My Prayers" (com um refrão mais do que grudento), "My Last Farewell" e "My Shadows Fall". Mas não se engane, pois todas as 11 faixas são excelentes, sendo daqueles discos para se ouvir do começo ao fim repetidas vezes, sem pular nenhuma canção.

A qualidade de gravação também merece ser citada, pois deixou tudo muito bem timbrado e sujo na medida certa, transbordando fúria e agressividade.

Assim, temos aqui um grande trabalho, uma verdadeira aula de como se fazer power metal pesado, intenso e moderno de qualidade, mostrando uma banda que tem tudo para se tornar referência no gênero, bastando apenas que consiga firmar um lineup, e lançar discos de forma mais constante, pois competência os caras já provaram que possuem. Imperdível!

A Farewell To Nothing: The Diary Part 1 - Inmoria
(2011 - Importado)

Track List:

1. Blinded
2. End of the Line
3. The Mirror
4. Hear My Prayers
5. In My Dreams
6. Just Another Lie
7. The Silence Within Me
8. My Last Farewell
9. Save Me
10. Watch Me Bleed
11. My Shadow Fall
12. Why




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Inmoria"


Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposGuitar World
Melhores solos de guitarra de todos os tempos

Vinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?Vinil
Quais são os dez discos mais valiosos do mundo?


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336