Obscurity: apesar de auto-intitulado, é o sexto disco da banda

Resenha - Obscurity - Obscurity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

9


Apesar de auto-intitulado (o que é normal nos primeiros discos) este é o sexto trabalho dos alemães do Obscurity. E, apesar também de se rotularem Pagan/Viking Metal ou Battle Metal, como queiram, o som do grupo vai além de rótulos e une de forma brilhante o melhor do Death Metal e Black Metal.

Mesmo transmitindo um clima de guerra e se desvencilhando de elementos Folk, o som do grupo soa como a junção do que há de melhor no Metal extremo atual. Com uma boa melodia e peso, as guitarras possuem riffs influenciados pelo Metal tradicional, porém com uma dose extra de peso. Tudo com ritmos velozes e marchantes, mérito da cozinha precisa.

publicidade

Os vocais de Agalaz é outro fator preponderante no disco, já que o cara consegue variar do rasgado ao gutural de forma incrível. Isso é mais um fator positivo no trabalho, já que distancia o som de algo comum, simples e, muito menos enjoativo. Ouça Germanenblut e Strandhogg, e confirme o que eu digo.

Mas os destaques não param por aí. A veloz e quebrada Obscurity é o primeiro grande destaque do trabalho com seu emotivo refrão em coro, além das quebradas precisas. Ensamvarg é como se fosse um verdadeiro hino de guerra enquanto Weltenbrand segue esta linha, mas com uma levada diferente.

publicidade

Não deixe se levar pelos rótulos dados à banda, já que seu som pode agradar desde fãs de Death Metal até os fãs de Black Metal. O que temos neste trabalho é algo que transcende os padrões do estilo e é Metal extremo acima de tudo. Indicado a fãs de Dissection, Amon Amarth e afins. Ótimo!

http://www.obscurity-online.de
http://www.reverbnation.com/obscuritybergischland
http://www.facebook.com/obscuritybergischland?v

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fotos de Infância: Ozzy OsbourneFotos de Infância
Ozzy Osbourne

Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin