Matérias Mais Lidas

imagemDave Mustaine perde a compostura e xinga membro da equipe do Judas Priest

imagemO mega sucesso do Led Zeppelin que era pra ser uma piada mas se tornou um hino

imagemA banda de hard rock dos anos 1970 que é a queridinha de Xande de Pilares

imagemO que Lemmy Kilmister aprendeu trabalhando como roadie de Jimi Hendrix

imagem"Master Of Puppets" entra no top 30 global do Spotify depois de "Stranger Things"

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemAngra: vídeos e setlist de show celebrando "Rebirth" em SP, com convidada especial

imagemLed Zeppelin ou Pink Floyd, qual dos dois vendeu mais discos de estúdio?

imagemGuitarrista original do Mercyful Fate solta os cachorros por ter ficado fora de reunião

imagemMorre Patricia Kisser, esposa do guitarrista Andreas Kisser

imagemGuns N' Roses: A crítica de Portnoy ao trabalho de Matt Sorum

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemAxl Rose teria sofrido ataque de ansiedade antes de show, diz jornal

imagemSlash explica porque o Guns N' Roses faz shows de 3 horas e meia

imagemAerosmith: Steven Tyler deixa reabilitação e morre esposa de Joey Kramer


Stamp

Napalm Death: uma lenda do som extremo

Resenha - Code is Red... Long Live the Code - Napalm Death

Por Rodrigo Noé de Souza
Em 20/11/12

Nota: 9

O Napalm Death veio em uma época que, para fazer um som pesado, precisa ultrapassar os limites da velocidade da luz. Surgidos na cidade de Birmingham (ING), berço do Black Sabbath e Judas Priest, a banda inovou no quesito brutalidade e ousadia, numa fase em que o Thrash Metal estava se desgastando e o Death Metal herdava os ensinamentos do Slayer, Celtic Frost, Possessed e Repulsed.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Inspirados nos filmes de guerra, como Apocalypse Now, Platoon e Nascido para Matar, o Napalm Death fez voz aos acontecimentos mais cabulosos da Humanidade, como guerras, religiões, políticas e temas sociais. Desde seu primeiro disco Scum (1987), a banda passou por mudanças de formação, até contar atualmente com Mark "Barney" Greenway (v), Mitch Harris (g/bv), Shame Embury (bx) e Danny Herrera (bt).

Despois de mudanças drásticas de sua sonoridade, o grupo voltou com carga total com Enemy of the Music Business (2000), criticando o sistema da indústria musical. Depois de homenagear seus ídolos na segunda parte da compilação Leaders Not Followers (2004) – seu primeiro lançamento pela Century Media - , o Napalm expele The Code Is Red... Long Live the Code.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como era de se esperar, aquela porradaria sem limites se encontra com Silence is Deafening, no melhor estilo Discharge, contando com aquela paradinha mortal. Right you Are e Diplomatic Immunity não fazem feio, botando todo mundo para mexer o pescoço. A faixa-título é mais cadenciada, com um refrão para cantar junto. Climate Controllers fala sobre os riscos do aquecimento global.

A novidade do disco são as participações especiais. Jamey Jasta (Hatebreed) dá sua canja com Instruments of Persuasion e Sold Short. O lendário Jello biafra (Dead Kennedys) remete aos tempos de Holiday in Camboja, com The Great And The Good. Boa pra pogar como louco. Pledge yourself to You traz Jeff Walker (Carcass) dividindo seus guturais cavernosos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre uma faixa e outra dá para se perceber que o ND deu uma balanceada, como as cacetadas Vegetative State, Pay for the Privilege of Breathing e Striding Purposefully Backwards e as "sabbáticas" Morale e Our Pain is Their Power.

The Code is Red... Long Live the Code foi dedicado ao falecido radialista John Pell, responsável pelo sucesso dessa, que é uma lenda do som extremo. Longa vida ao Código!

Confiram os clipes abaixo - Silence is Deafening:

Morale:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Formação:

Mark "Barney" Greenway – vocal
Shane Embury – baixo/backing vocals
Mitch Harris – guitarra/backing vocals
Danny Herrera – bateria

Tracklist:

1-Silence is Deafening
2-Right You Are
3-Diplomatic Immunity
4-The Code Is Red... Long Live The Code
5-Climate Controllers
6-Instruments of Persuasion
7-The Great And The Good
8-Sold Short
9-All Hail The Grey Dawn
10-Vegetative State
11-Pay For The Privilege of Breathing
12-Pledge Yourself to You
13-Striding Purposefully Backwards
14-Morale
15-Our Pain is Their Power


Outras resenhas de Code is Red... Long Live the Code - Napalm Death

Resenha - Code Is Red... Long Live The Code - Napalm Death

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Os 10 melhores álbuns lançados pela Earache Records, em lista da Metal Hammer


Napalm Death: o dia que eles sairam na mão com uma banda nazista

Napalm Death: a faixa e o vídeo-clipe mais curtos do mundo



Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don't Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza.