Bejelit: Recalibrada em estilos saturados pela exposição

Resenha - Emerge - Bejelit

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Tem dias que ser fã de Metal sem divisionismos nos traz enormes satisfações, e gratas surpresas, já que sempre surgem nomes novos e fortes que dão uma recalibrada em estilos já um pouco saturados pela exposição.
5000 acessosMonsters of Rock: a feijoada que quase derrubou King Diamond5000 acessosPreços: quanto custa para contratar a sua banda favorita

O BEJELIT, vindo da Itália, é um desses que ajudam a dar uma renovada, já que foge das fórmulas consagradas de se fazer Power Metal, e assim, se saem muito bem com seu CD novo, 'Emerge', seu quarto Full Length, que acaba de sair pela Bakerteam Records.

O que este quinteto italiano apronta é uma fórmula bem nova, e que pareceria estranha a muitos: mixa em sua música as características do Power Metal com elementos mais secos e agressivos do Heavy Metal Tradicional e Thrash, bem empolgante e garbosa, e pronto: temos um discaço saindo do forno.

Tendo Sandro e Giulio Capone na produção, fora a mixagem feita por Nino Laurenne (SONATA ARCTICA, AMORPHIS, WINTERSUN, ELVENKING), feita nos Sonic Pump Studios em Helsinque, e a masterização de Svante Forsbäck nos Chartmakers Studios (RAMNSTEIN, KORPIPLAANI, AMORPHIS), a sonoridade pesada e límpida que flui dos falantes é de uma qualidade ótima, e nada fica oculto do ouvinte, e sempre mantendo o peso. A arte, feita por Seth Siro Anton (Kamelot, Exodus, Paradise Lost), é linda e bastante atraente.

Transitando entre letras intimistas com fundos épicos, a aura positiva que emana do disco é algo de absurdamente bom, sabendo ainda por cima ser um festival de ótimos vocais (que não exageram em agudos, mas busca usar tons mais normais, mesmo quando são altos), grandes riffs e solos de guitarra, baixo firme e sabendo não só marcar, e uma ótima bateria, pesada e que foge bastante dos bumbos duplos, sabendo quebrar ritmos e variar os andamentos. Isso sem falar nos instrumentos convidados: Giancarlo Salaris no acordeão em 'Dancerous' e 'Deep Waters', Laura Brancorsini nas cordas em 'Dancerous', 'Deep Waters' e 'Boogeyman', Niccolò Dagradi no solo em 'The Defending Dreams Battle' e 'To Forget and to Forgive', e Luana Didò nos coros.

A banda forma um time de músicos bem homogêneo, que sabe o que faz com seus instrumentos, e o que quer fazer de sua música, então, é mais um disco para ser ouvido infinitas vezes, especialmente por conta de faixas como 'The Darkest Hour', que sabe oscilar bastante entre momentos rápidos e mais melodiosos, com guitarras muito bem trabalhadas; 'C4', com seus riffs ótimos, bem como grandes vocalizações e andamento não tão veloz, assim como na forte 'Don't Know What You Need', onde os bumbos duplos surgem com mais regularidade e com grandes backing vocals; 'Emerge', que tem vídeo na net e se mostra uma música mais agressiva, com riffs empolgantes e grande refrão; a semibalada mais emotiva e cativante 'To Forget and to Forgive'; 'Dancerous', mais épica e com a bateria mostrando bom trabalho; 'Triskelion', com alguns momentos bem Prog Metal; a épica e longa 'Deep Waters', com belos teclados e guitarras, especialmente nos solos, e apesar de seu tamanho, não cansa o ouvinte, mas o embala por mais de dez minutos; e a linda acústica 'Boogyman', bem climática, que fecha o CD com chave de ouro.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Uma banda que, apesar de ter quatro CDs, é meio desconhecida por aqui, mas merece ser citada, e mais ainda ouvida e apreciada.

Bejelit - Emerge
(2012 – Bakerteam Records – Importado)

Tracklist:

01. The Darkest Hour
02. C4
03. Don't Know What You Need
04. Emerge
05. We Got the Tragedy
06. To Forget and to Forgive
07. Dancerous
08. Triskelion
09. Fairygate
10. The Defending Dreams Battle
11. Deep Waters
12. DefCon/13
13. Boogyman

Formação:

Fabio Privitera - Vocais
Sandro Capone – Guitarras
Marco Pastorino – Guitarras
Giorgio Novarino – Baixo
Giulio Capone – Bateria e teclados

Contatos:

http://www.bejelit.com
http://www.facebook.com/bejelit
http://www.myspace.com/bejelit
http://www.twitter.com/bejelitband
http://www.youtube.com/bejelitband
general info: info@bejelit.com
booking: booking@chiarapellegriniagency.com
merch: merch@bejelit.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bejelit"

Monsters of RockMonsters of Rock
A feijoada que quase derrubou King Diamond

PreçosPreços
Quanto custa para contratar a sua banda favorita

QueenQueen
A declaração musical de ódio de Freddie Mercury

5000 acessosKiss: vídeo com Gene Simmons em cena de sexo?5000 acessosA importância da revista Playboy na vida de alguns rockstars5000 acessosDiscórdia: alguns dos maiores insultos entre artistas5000 acessosNirvana: Polícia de Seattle libera novas fotos do corpo de Cobain3846 acessosMetaleiro: popularizado no 1º RIR, termo continua polêmico4566 acessosSteven Adler: é difícil para ele ver o Frank Ferrer tocar suas músicas

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online