Skypho: Um dos nomes mais ecléticos de Portugal

Resenha - Same Old Skin - Skypho

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Ainda que apareçam poucos registros lusitanos aqui no Brasil, dá para sacar que o cenário daqueles lados é bastante diversificado. E, neste sentido, o Skypho é considerado um dos nomes mais ecléticos de Portugal. Suas atividades se estendem para pouco mais de uma década e, após liberar a demo "Hidden Faces" (04) e o EP "Nowhere Neverland" (07), agora chegou a hora de marcar sua estreia com um álbum completo chamado "Same Old Skin", lançado em 2011 de forma independente.

E o Skypho não impôs limites em termos de estilos adotados em "Same Old Skin"... O pessoal abraça o heavy metal todo alternativo, o ska, música oriental e, oras vejam, "Jungle Syndrome" tem samba (traçaram um paralelo com o título?). Cantando em seu idioma pátrio e em inglês, os portugueses conseguem amarrar com eficiência estas sonoridades contrastantes – especialmente em "The Spirit" – mas é fato que tanta experimentação dividirá muito as opiniões por aí.

publicidade

Contudo, o Skypho também investe em composições não tão ambiciosas e, assim, com maior poder de assimilação, como é o caso das funcionais "My Insomnia" e a balada "White Bird"; mas esta direção acaba sendo uma minoria, a ideia por aqui é uma verdadeira mutação sonora. A produção geral do disco é de primeira linha, desde o áudio, gravado por Ivo Magalhães em Tio Rock Studios (Portugal) e masterizado por Jens Bogren (Opeth, Katatonia, Soilwork) no Fascination Street Studios (Suécia), além de o projeto gráfico ser em digipak e repleto de belíssimas fotografias.

publicidade

Com tantos ritmos e sons, este se torna um disco que muitos julgarão de ácida digestão, mas esse é o preço frequentemente pago por se investir em uma música de maior profundidade artística. Ainda assim, o público que aprecia nomes como Ill Niño, Korn, Pearl Jam, aliado às experimentações de Opeth e Pink Floyd, certamente encontrarão muita coisa interessante em "Same Old Skin". Merece uma conferida!

publicidade

Contato:
http://www.myspace.com/skypho
http://www.skyphoband.com

Formação:
Carlos Tavares - voz e violão
Hugo Sousa - guitarra
Zé Vidal - guitarra
Ricardo Santos - baixo
Ricardo Fontoura - bateria
Hugo Oliveira - percussão

publicidade

Skypho - Same Old Skin
(2011 / independente - importado)

01. s.d.s
02. Sleeping In The Monster's Bed
03. A última Caminhada
04. My insomina
05. Your Love, My Cage, My Prison, My Rage
06. Spirit
07. Nowhere Neverland
08. Demon's Party
09. Darkness Of The Soul
10. My Last Words
11. Re_Nasce
12. Jungle Syndrome
13. White Bird




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kiss: Perguntas, respostas e curiosidades diversasKiss
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin